Banner Portal
Fabulações travestis sobre o fim
PDF
PDF (English)

Palavras-chave

Arte e temporalidade
Estudos cênicos de gênero
Curadoria do fim

Como Citar

LEAL, Dodi Tavares Borges. Fabulações travestis sobre o fim. Conceição/Conception, Campinas, SP, v. 10, n. 00, p. e021002, 2021. DOI: 10.20396/conce.v10i00.8664035. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conce/article/view/8664035. Acesso em: 16 jun. 2024.

Resumo

Se o tempo cura, qual o tempo da cura? O fim é transitivo ou intransitivo? Quais os traços de uma curadoria de arte temporalizada? O texto aborda, desde a cosmovisão travesti, as interjeições especulativas altamente publicizadas na pandemia do novo coronavírus de “fim do teatro”, “fim do gênero”, “fim da espécie humana” e “fim do mundo” procurando apreender a operatividade econômico-filosófica curatorial do apocalipse e a curabilidade do fim. Pretende-se equacionar o que há no subsolo destes discursos, aventando o modo fabular das transgeneridades no sentido de desarmar os arranjos de comercialização do fim (Krenak, 2019) e de barganhas mercadológicas do luto social (Žižek, 2012). Almeja-se compreender os limites do corpo, da raça, do gênero e da cena para além do dilema da escassez de capital, tendo em vista o alargamento das dimensões cronológicas lineares da branquitude e da cisgeneridade. Notamos, assim, que a artesania espiralar do tempo (Martins, 2002), corresponde à audácia da elaboração do inacabamento inexorável da existência e da estética. Neste sentido, as fabulações travestis sobre o fim trazem para os estudos do futuro inscrições paradigmáticas de tempografias sincopadas, não obsolescentes da arte e da vida.

https://doi.org/10.20396/conce.v10i00.8664035
PDF
PDF (English)

Referências

ADICHIE, Chimamanda. O perigo de uma história única. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

ARARUNA, Maria Léo. Bricolagem travesti. Brasília: Padê, 2019.

BRASILEIRO, Castiel. Quando encontro vocês - macumbas de travesti, feitiços de bixa. Vitória: Castiel Vitorino Brasileiro, 2019.

HABIB, Ian. Corpos transformacionais: a facetrans no Brasil. In: Revista Arte da Cena, v.6, n.2, pp.68-106, 2020a.

HABIB, Ian. Corpos Transformacionais: Proposições decoloniais sobre corpos e diversidades de gênero nas artes da cena. In: ALMEIDA, Saulo Vinícius; BRONDANI, Joice Aglae; HADERCHPEK, Robson Carlos (Orgs.). Práticas decoloniais nas artes da cena. São Paulo: Giostri, 2020b.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

KRENAK, Ailton. do tempo. In: Pandemia Crítica, n.038. São Paulo: n-1 edições, 2020a.

KRENAK, Ailton. O amanhã não está à venda. São Paulo: Companhia das Letras, 2020b.

LEAL, abigail. me curo y me armo, estudando: a dimensão terapêutica y bélica do saber prete y trans. In: Pandemia Crítica, n.052. São Paulo: n-1 edições, 2020a.

LEAL, abigail. Escuiresendo: ontografias poéticas. Uberlândia: O sexo da palavra, 2020b.

LEAL, Dodi. Performatividade transgênera: equações poéticas de reconhecimento recíproco na recepção teatral. Tese (Doutorado em Psicologia Social). Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 2018.

LEAL, Dodi. A arte travesti é a única estética pós-apocalíptica possível? Pedagogias antiCIStêmicas da pandemia. In: Pandemia Crítica, n.094. São Paulo: n-1 edições, 2020a.

LEAL, Dodi. Encontra de Pedagogias da Teatra: afetividades do saber riscar e arriscar. In: cartografias.MITsp - Revista de Artes Cênicas, v. 7, p. 22-23, 2020b.

LEAL, Dodi. ROSA, André. Transgeneridades em performance: desobediências de gênero e anticolonialidades das artes cênicas. In: Revista Brasileira de Estudos da Presença, v.10, n.3, pp.1-29, 2020.

MARTINS, Leda. Performances do tempo espiralar. In: RAVETTI, Graciela. ARBEX, Márcia. (Orgs.) Performance, exílio, fronteiras - errâncias territoriais e textuais. Belo Horizonte: Faculdade de Letras / Universidade Federal de Minas Gerais, 2002.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. São Paulo: n-1 edições, 2018.

MOMBAÇA, Jota. A plantação cognitiva. In: MASP Afterall - Arte e Descolonização. São Paulo: Museu de Arte de São Paulo, 2020.

PAVIS, Patrice. Dicionário de Teatro. São Paulo: Perspectiva, 2015.

PAVIS, Patrice. Dicionário da Performance e do Teatro Contemporâneo. São Paulo: Perspectiva, 2017.

PRECIADO, Paul. Testo Junkie. Sexo, drogas e biopolítica na era farmacopornográfica. São Paulo: n-1 edições, 2018.

PRECIADO, Paul. Un apartamento en Urano. Barcelona: Anagrama, 2019.

PRECIADO, Paul. Aprendendo do vírus. In: Pandemia Crítica, n.007. São Paulo: n-1 edições, 2020a.

RAVENA, Isadora. Sinfonia para o fim do mundo. Fortaleza: LAC - Laboratório de Estética e Filosofia da Arte, LAC - Laboratório de Arte Contemporânea / Universidade Federal do Ceará, 2020.

RUFINO, Luiz. Pedagogia das encruzilhadas. Rio de Janeiro: Mórula, 2019.

SILVA, Denise. A dívida impagável: lendo cenas de valor contra a flecha do tempo. São Paulo: Oficina de Imaginação Política, 2019.

SIMAS, Luiz. RUFINO, Luiz. Fogo no mato: a ciência encantada das macumbas. Rio de Janeiro: Mórula, 2018.

SIMAS, Luiz. RUFINO, Luiz. Encantamento: sobre política de vida. Rio de Janeiro: Mórula, 2020.

TÉO, Preto. EP. Brasília: Padê, 2018.

VERGUEIRO, Viviane. Sou travestis: estudando a cisgeneridade como uma possibilidade decolonial. Brasília: Padê, 2018.

ŽIŽEK, Slavoj. Vivendo no fim dos tempos. São Paulo: Boitempo, 2012.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Dodi Tavares Borges Leal

Downloads

Não há dados estatísticos.