Banner Portal
As potencialidades da arte como ferramenta ontológica para adiar o fim do mundo
PDF

Palavras-chave

Antropoceno
Desenhos de transição
Ideário de desenvolvimento

Como Citar

OLIVEIRA, Jéssica Righi de; VARGAS, Rayan Scariot; WIZNIEWSKY, José Geraldo. As potencialidades da arte como ferramenta ontológica para adiar o fim do mundo: educação estética e a problemática ambiental . Conceição/Conception, Campinas, SP, v. 11, n. 00, p. e022010, 2022. DOI: 10.20396/conce.v11i00.8670806. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conce/article/view/8670806. Acesso em: 21 abr. 2024.

Dados de financiamento

Resumo

O presente trabalho trata-se de uma pesquisa qualitativa de caráter explicativo, que, partindo das considerações de Krenak (2019) quanto às condições de insustentabilidade, estruturadas pelo modelo de racionalidade predominante, tem por objetivo investigar as contribuições da educação estética do ser humano, proposta por Schiller (2017), à teoria do desenho ontológico de Escobar (2016), demonstrando a importância da arte como ferramenta para a transição às ontologias harmoniosamente integradas à natureza.

 

https://doi.org/10.20396/conce.v11i00.8670806
PDF

Referências

BARONI, Vivian; CENCI, Angelo Vitório; Uma tarefa para mais de um século: Schiller e os potenciais formativos da educação estética. Belo Horizonte: Educação em Revista, v. 36, n. 1, p. 1-17. 2020. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/edur/v36/1982-6621-edur-36-e20089.pdf. Acesso em: 09 set. 2022.

BASTOS, Gustavo. A peça Maria Stuart de Friedrich Schiller. Vitória: Século Diário, 24 jul. 2016a. Disponível em: https://www.seculodiario.com.br/cultura/a-peca-maria-stuart-de-friedrich-schiller. Acesso em: 29 out. 2022.

BASTOS, Gustavo. Os Bandoleiros de Friedrich Schiller, tempestade e ímpeto no teatro. Vitória: Século Diário, 26 jun. 2016b. Disponível em: https://www.seculodiario.com.br/cultura/os-bandoleiros-de-friedrich-schiller-tempestade-e-impeto-no-teatro. Acesso em: 26 out. 2022.

BAUMAN, Z. Vida para consumo: a transformação das pessoas em em mercadorias. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

CORREA, Lara Cruz. Romantismo e republicanismo: História, estética e política em F. Schiller. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 38., 2014, Presidente Prudente. Anais do... Caxanbu, Hotel Glória, 2014. p. 1-26. Disponível em: http://anpocs.org/index.php/papers-38-encontro/gt-1/gt39-1/9204-romantismo-e-republicanismo-historia-estetica-e-politica-em-f-schiller/file. Acesso em: 26 out. 2022.

CRUTZEN, Paul J.; STOERMER, Eugene F. The “Anthropocene”. Global Change New Letter, v. 1, n. 41, p. 17-18, mai. 2000. Disponível em: http://www.igbp.net/download/18.316f18321323470177580001401/1376383088452/NL41.pdf. Acesso em: 13 out. 2022.

DALY, H. E. De la economía del mundo vacío a la economía del mundo lleno. In: GOODLAND, R.; DALY, H.; EL SERAFY, S.; von DROSTE, B. Medio ambiente y desarrollo sostenible: Más allá del informe Brundtland. Madrid: Trotta S. A., 1997. p. 37-50. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/libro?codigo=1253. Acesso em: 28 jun. 2022

DRUMMOND, J. A. A primazia dos cientistas naturais na construção da agenda ambiental contemporânea. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo: v. 21, n. 62, p. 5-25, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcsoc/a/F8rDhfv79vRpc6LTm5RmzDr/?lang=pt#:~:text=Trata%2Dse%20de%20um%20livro,agr%C3%ADcolas%20(e%20subst%C3%A2ncias%20associadas). Acesso em: 28 jun. 2022

ELHACHAM, E., BEN-URI, L. GROZOVSKI, J. et al. Global human-made mass exceeds all living biomass. Nature: Berlim. [online], n. 588, p. 442-444, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1038/s41586-020-3010-5. Acesso em: 25 jun. 2022.

ESCOBAR, A. Autonomía y diseño: la realización de lo comunal. Popayán: Editorial Universidad del Cauca, 2016.

ESCOBAR, A. Capítulo VI. In: La invención del Tercer Mundo: construcción y deconstrucción del desarrollo. Caracas: Fundación Editorial el perro y la rana, 2007, p. 355-379.

ESCOBAR, A. Más allá del desarrollo: postdesarrollo y transiciones hacia el pluriverso. Madrid: Revista de Antropología Social, v. 21, n. 1, p. 23-62, 2012. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/edur/v36/1982-6621-edur-36-e20089.pdf. Acesso em: 20 jun. 2022.

FAÇANHA, L. S. A Fratura da estética classicista a partir do pré romantismo de Rousseau. Fortaleza: Revista Dialectus, v. 1, n. 15, p. 156-170, 2019. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/dialectus/article/view/43142. Acesso em: 26 out. 2022.

FELLOWS, T. M. Brecht, Schiller e o teatro como instituição moral. São Paulo: Paralaxe, v. 3, n. 1, p. 75-90, 2015. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/paralaxe/article/view/19507. Acesso em: 26 out. 2022.

GAIO, G. G. G. A tragédia ática e o teatro de Schiller. Rio de Janeiro: Ars Historica, v. 1, n. 14, p. 80-101, 2017. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/ars/article/view/45836/24665. Acesso em: 26 out. 2022.

GALLOWAY, J. N.; SCHLESINGERET, W.; LEVY, H.; MICHAEL, A. Nitrogen fixation: Anthropogenic enhancement‐environmental response. Global biogeochemical cycles: Gothenburg, v. 9, n. 2, p. 235-252, 1995. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/228599857_Nitrogen_fixation_Anthropogenic_enhancement-environmental. Acesso em: 24 jun. 2022.

GOODLAND, R. La tesis de el mundo está en sus límites. In: GOODLAND, R.; DALY, H. E.; EL SERAFY, S.; VON DROSTE, B. Medio ambiente y desarrollo sostenible: Más allá del informe Brundtland. Madrid: Trotta S. A., 1997. p. 19-36.

Intergovernmental Panel on Climate Change. Summary for Policymakers. In: Climate Change 2021: The Physical Science Basis. Contribution of Working Group I to the Sixth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Cambridge: 2021. Disponível em: https://www.ipcc.ch/report/ar6/wg1/. Acesso em: 06 out. 2021.

JAENISCH, D. B. Poéticas e políticas da relação: Apontamentos a partir da ação de Ailton Krenak na Assembléia Constituinte e seu deslocamento para espaços de arte contemporânea. Porto Alegre: Iluminuras, v. 18, n. 43, p. 215-239, jan/jun, 2017. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/iluminuras/article/view/72884/. Acesso em: 06 out. 2021.

KRENAK, A. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

KRENAK, A. Invocação à Terra: Discurso de Ailton Krenak na Constituinte. 1987. Disponível em: http://selvagemciclo.com.br/wp-content/uploads/2021/07/CADERNO27_CONSTITUINTE.pdf. Acesso em: 29 jun. 2022.

LAGROU, E. Anaconda-becoming: Huni Kuin image-songs, an Amerindian relational aesthetics. Horizontes antropológicos, v. 24, p. 17-49, 2018. Didponível em: https://www.scielo.br/j/ha/a/5tvJ8jZ36BwB6b4CZ6PNy4B/abstract/?lang=en. Acesso em: 29 out. 2022.

LEFF, E. Discursos Sustentáveis. São Paulo: Cortez, 2010.

LIMA, S. A. Educação estética, política e liberdade do homem em Friedrich Schiller. O Manguezal: Revista de Filosofia: São Cristóvão. v. 2, n, 10, jun./dez., 2021, p. 129-143. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1fMvCmv9PA9g6Uel0kSZf7azRetft5D7W/view. Acesso em 25 jun. 2022.

MIGNOLO, W. D. Colonialidade: O lado mais escuro da modernidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 32, n. 94, p. 1-22, jun. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcsoc/a/nKwQNPrx5Zr3yrMjh7tCZVk/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 13 out. 2022

MIGNOLO, W. D. Historias locales/disenos globales: colonialidad, conocimientos subalternos y pensamiento fronterizo. Madrid: Akal, 2003.

MOSÉ, V. A espécie que sabe: do Homo Sapiens à crise da razão. Petrópolis: Vozes, 2019.

MOURÃO, R. Laboratório Huni Kuin:Ritual e arte, performance e vídeo, corpo e imagem. Funchal: Cinema & Território, v. 1, n. 4, p. 30-41, 2019. Disponível em: https://digituma.uma.pt/handle/10400.13/3603. Acesso em: 29 out. 2022.

NIETZSCHE, F. O nascimento da tragédia ou Grécia e pessimismo. São Paulo: Escala, 2007.

PORTO, M. F. de S. Complexidade, processos de vulnerabilização e justiça ambiental: um ensaio de epistemologia política. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, [online], n. 93, p. 31-58, out. 2011. Disponível em: https://journals.openedition.org/rccs/133. Acesso em: 28 jun. 2022

QUIJANO, A. Colonialidad y Colonialidad/Racionalidad. Lima: Perú lndígena, v. 13, n. 29, p. 11-20, 1992. Disponível em: https://www.lavaca.org/wp-content/uploads/2016/04/quijano.pdf. Acesso em: 28 jun. 2022

RAMOSE, M. B. Globalização e Ubuntu. In: Epistemologias do sul. Coimbra: Edições Almedina. S. A, 2009, p. 135-176.

REICH, W. Psicologia de massas do fascismo. São Paulo: Martins Fontes, 2001

ROCKSTRÖM, J., STEFFEN, W., NOONE, K. et al. A safe operating space for humanity. Londres: Nature, v. 461, n. 7263, p. 472-475, set. 2009. Disponível em: https://www.nature.com/articles/461472a. Acesso em: 29 out. 2022

SCHILLER, F. A educação estética do homem: numa série de cartas. São Paulo: Iluminuras, 2017.

SCHILLER, F. Do sublime ao trágico. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

SCHILLER, F. Teoria da tragédia. São Paulo: E.P.U., 1992.

SÜSSEKIND, P. O impulso lúdico: sobre a questão antropológica em Schiller. Ouro Preto: Artefilosofia, v. 1, n. 10, p. 11-24, abr. 2011. Disponível em: https://periodicos.ufop.br/raf/article/view/611. Acesso em: 28 jun. 2022

THIELE, G. Teatro y teatralidad en los dramas del joven Schiller. Revista de la Universidad, La Plata, v. 1, n. 9, p. 33-48, 1959. Disponível em: http://sedici.unlp.edu.ar/handle/10915/92773. Acesso em 26 out. 2022

TRUMAN, H. S. Inaugural Address 20 jan. 1949. Disponível em: https://www.trumanlibrary.gov/library/public-papers/19/inaugural-address. Acesso em: 25 jun. 2022.

União Internacional para a Conservação da Natureza. Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. World Wide Fund for Nature. World Conservation Strategy: Living Resource conservation for sustainable development. 1980. Disponível em: https://portals.iucn.org/library/efiles/documents/wcs-004.pdf. Acesso em: 20 jun. 2022.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Conceição/Conception

Downloads

Não há dados estatísticos.