Banner Portal
As competências do professor de educação física na educação especial: uma aproximação preliminar
PDF

Palavras-chave

Educação física adaptada
Educação especial
Competência docente

Como Citar

ANTUNES, Marcelo Moreira; DAMASCENO, Lilian Cristiane Costa; ALMEIDA, José Júlio Gavião; MOURA, Diego Luz. As competências do professor de educação física na educação especial: uma aproximação preliminar. Conexões, Campinas, SP, v. 12, n. 4, p. 23–40, 2014. DOI: 10.20396/conex.v12i4.1670. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/1670. Acesso em: 24 abr. 2024.

Resumo

A atuação do professor de educação física na educação especial é sempre desafiadora, demandando uma constante atualização das suas competências. O objetivo do presente estudo se constitui em identificar as competências necessárias ao professor de educação física para intervir adequadamente na educação especial. Para a realização do estudo foi realizada uma pesquisa de campo, utilizando uma escala Likert construída a partir da perspectiva dos pressupostos de Perrenoud (2000) sobre competência de professores. Foram pesquisados 30 profissionais que atuam na educação especial. Os dados apontam para a valorização de diferentes competências, entretanto, relações interpessoais, gestão e novas tecnologias ainda requerem avanços significativos. A formação continuada também se apresentou muito valorizada, mas ainda necessitam de aproximação com a temática da educação especial e para a construção de competências que se coadunem mais especificamente com essa dimensão da educação.

https://doi.org/10.20396/conex.v12i4.1670
PDF

Referências

PERRENOUD, P. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2000.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo demográfico 2010. Disponível em: http://www.censo2010.ibge.gov.br/. Acesso em: 03 jan. 2012.

LOPES, M. C.; FABRIS, E. H. Inclusão e educação. Belo Horizonte: Autentica, 2013.

SILVA, R. F.; SEABRA JÚNIOR, L.; ARAÚJO, P. F. Educação física adaptada no Brasil: da história à inclusão educacional. São Paulo: Phorte, 2008.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS DOCENTES DA EDUCAÇÃO ESPECIAL (ANDEE). Tomada de posição da ANDEE - Pró inclusão face ao insuficiente número de professores de educação especial. 2013. Disponível em: http://proandee.weebly.com/. Acesso em: 24 out. 2013.

TERRA, R. N.; GOMES, C. G. Inclusão escolar: carências e desafios da formação e atuação profissional. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 26, n. 45, p.109-124, jan./abr. 2013.

MAZZOTTA, M. J. S.; D’ANTINO, M. E. F. Inclusão social de pessoas com deficiências e necessidades especiais: cultura, educação e lazer. Saúde soc., São Paulo, v. 20, n. 2, 2011. p. 377-389.

PEDRINELLI, A.; TEIXEIRA, W. J. Atividade física nas amputações e anomalias congênitas. In: GORGATTI, M. G.; COSTA, R. F. (Org.). Atividade física adaptada: qualidade de vida para pessoas com necessidades especiais. 2. ed. Barueri: Phorte, 2008.

FERREIRA, E. L. (Org.). Atividade física para pessoas com deficiência física: livro de exercícios. 2. ed. Niterói: Intertexto, 2009.

TEIXEIRA, L. Atividade física adaptada e saúde: da teoria a prática. Barueri: Phorte, 2008.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

PERRENOUD, P. Ensinar: agir na urgência, decidir na incerteza. Porto Alegre: Artmed, 2001.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E CULTURA (UNESCO). O perfil dos professores brasileiros: o que fazem, o que pensam, o que almejam. São Paulo: Moderna, 2004.

BECKER, H. Métodos de pesquisa em ciências sociais. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1994.

VEIGA, I. P. A.; CUNHA, M. I. (Org.). Desmistificando a profissionalização do magistério. Campinas: Papirus, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Resolução CNE/CP 1, de 18 de fevereiro de 2002. Estabelece diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da educação básica, em nível superior, em curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, Brasília, p. 31, 9 abr. 2002. Seção 1. Republicada por ter saído com incorreção do original no D. O. U., p. 8, 4 mar. 2002. (b) Seção 1. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res1_2.pdf. Acesso em: 19 jan. 2013.

NAUJORKS, M. I.; REAL, D. C.; MOHR, A. C. Deficiência, cinema, imaginário e formação docente. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 24, n. 41, set./dez. 2011.

OLIVEIRA, A. A. S. Formação de professores em educação especial: a busca de uma direção. In: MENDES, E. G.; ALMEIDA, M. A.; WILLIAMS, L. C. A. (Org.). Temas em Educação Especial: avanços recentes. São Carlos: EdUFSCar, 2004.

DIAS, A. F.; CRUZ, M. H. S. A docência sob suspeita: as representações de gênero no campo da educação. Interfaces Científicas: educação, Aracaju, v. 2, n. 2, p. 93-110, fev. 2014.

OLIVEIRA, D. A. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, set./dez. 2004.

OLIVEIRA, M. P.; SANTOS, S. C.; FREITAS, S. N. (Trans)formação docente: entrecruzando competências e saberes no fazer pedagógico. Revista Brasileira de Educação e Cultura, São Gotardo, n. 5, p. 45-67, jan./jun. 2012.

MELO, F. R. L. V.; MARTINS, L.A. R. Acolhendo e atuando com alunos que apresentam paralisia cerebral na classe regular: a organização da escola. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v.13, n.1, p.111-130, jan./abr. 2007.

THIN, D. Para uma análise das relações entre família, populares e escola: confrontação entre lógicas socializadores. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v.11, n. 32, maio/ago. 2006.

MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 13. ed. Campinas: Papirus, 2007.

SANT’ANA, I. M. Educação inclusiva: concepções de professores e diretores. Psicologia em Estudo, Maringá, v.10, n. 2, p. 227-234, maio/ago. 2005.

AGUIAR, J. S.; DUARTE, E. Educação inclusiva: um estudo na área da educação física. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v.11, n. 2, p. 223-240, maio/ago. 2005.

FERREIRA, M. O. V. Somos todos trabalhadores em Educação? Reflexões sobre identidades docentes desde a perspectiva de sindicalistas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 225-240, maio/ago. 2006.

RICH, S. M. Estratégias de instrução na educação física adaptada. In: WINNICK, J. P. Educação física e esportes adaptados. Barueri: Manole, 2004.

SILVA, C. S.; SOUZA NETO, S.; DRIGO, A. J. Os professores de educação física adaptada e os saberes docentes. Motriz, Rio Claro, v.15, n. 3, p. 481-492, 2009.

O periódico Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.