"Agora é minha vez de jogar"? Percepção de estudantes sobre a utilização dos Exergames na educação física escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v17i0.8655366

Palavras-chave:

Exergames, Tecnologias digitais, Educação física escolar

Resumo

Objetivo: O objetivo desse trabalho foi analisar a percepção de estudantes sobre a utilização dos Exergames nas aulas de Educação Física, verificando nível de interesse e motivação, bem como discutir as implicações desse uso na prática docente. Metodologia: Participaram deste estudo 20 alunos dos anos finais do ensino fundamental em uma escola municipal da rede básica de ensino da cidade do Rio Grande. O questionário Long Flow State Scale Physical (FSS-2) foi utilizado para avaliar as questões relativas à percepção dos alunos a respeito dos Exergames. Além do questionário, foram produzidos diários de campo para registrar as potencialidades e dificuldades do uso de Exergames em sala de aula. Resultados e Discussão: Os alunos relataram um aumento no estímulo durante as aulas, mesmo que em algumas oportunidades a dinâmica possa ter comprometido a participação. Uma percepção positiva associada aos fatores motivacionais foi encontrada. Conclusão: A maioria dos itens das dimensões do fluxo demonstrou valores iguais ou acima de quatro, indicando que os indivíduos entraram em estado de fluxo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo da Silva Freitas, Universidade Federal do Rio Grande

Professor doutor no Instituto de Educação da Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande - RS, Brasil. Possui graduação em Educação Física pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

Vinícius Behling da Silva, Universidade Federal do Rio Grande

Graduação em Licenciatura Educação Física na Universidade Federal do Rio Grande.

Cesar Augusto Otero Vaghetti, Universidade Federal de Pelotas

Doutorado em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande. Professor Adjunto I na Escola Superior de Educação Fïsica da Universidade Federal de Pelotas.

Referências

ALMEIDA, Felipe Quintão. Educação física escolar e práticas pedagógicas inovadoras: uma revisão. Corpoconciência, v. 21, n. 3, p. 7-16, 2017. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/5312.

ARAÚJO, Bruno Medeiros Roldão de; FREITAS, Clara Maria Silvestre Monteiro de; CAMINHA, Iraquitan de Oliveira; SILVA, Priscilla Pinto Costa da. Virtualização esportiva e os novos paradigmas para o movimento humano. Motriz, v. 17, n. 4, p. 600-609, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-65742011000400004.

BARACHO, Ana Flávia de Oliveira; GRIPP, Fernando Joaquim; LIMA, Márcio Roberto de. Os exergames e a educação física escolar na cultura digital. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 34, n. 1, p. 111-126, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32892012000100009.

BAUMAN, Zigmund. 44 cartas do mundo líquido moderno. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

BRAGA, Mariluci. Realidade virtual e educação. Revista de Biologia e Ciências da Terra, Paraíba, v. 1, n. 1, 2001. Disponível em: http://joaootavio.com.br/bioterra/workspace/uploads/artigos/realidadevirtual-5155c805d3801.pdf.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para Formação Inicial e Continuada de Professores para Educação Básica. Brasília: MEC/SEB/DICEI, 2015.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino da educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

CSIKSZENTMIHALYI, Mihaly. A descoberta do fluxo: a psicologia do envolvimento com a vida cotidiana. São Paulo: Rocco, 1999.

CSIKSZENTMIHALYI, Mihaly. A psicologia da felicidade. São Paulo: Saraiva, 1992.

CSIKSZENTMIHALYI, Mihaly. Flow: the psychology of optimal experience. New York: Harper Perennial, 1990.

DINIZ, Irlla Karla dos Santos; K. S.; DARIDO, Suraya Cristina. Livro didático: uma ferramenta possível de trabalho com a dança na educação física escolar. Motriz, v. 18, n. 1, p. 176-185, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1980-65742012000100018&script=sci_abstract&tlng=pt.

EHRENBERG, Karla Caldas; SOUZA, Rogério Furlan. Comunicação mercadológica em mídias digitais e o consumidor internauta. Acta Científica, v. 21, n. 2, p. 33-44, 2012. Disponível em: http://revistas.unasp.edu.br/actacientifica/article/view/363.

FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo; SILVA, Marlon André da. Ensaiando o "novo" em educação física escolar: a perspectiva de seus atores. Revista brasileira de ciências do esporte, v. 33, n. 1, p. 119-134, 2011. Disponível em: http://revista.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/view/874.

FRAGO, Antonio Viñao. Historia de la educación e historia cultural – posibilidades, problemas, cuestiones. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 0, p. 63-82, 1995. Disponível em: http://educacao.uniso.br/pseletivo/docs/FRAGO.pdf.

FRANCO, Vagner Eduardo Hirschfeld; LIMA, Marcos Jordânio Feitosa; VAGHETTI, Cesar Augusto Otero. O. Exergames como ferramenta para aprendizagem motora. In: Anais Congresso de Iniciação Científica UFPEL, 2018.

GARIGLIO, José Ângelo. Modelos de ação profissional de professores de educação física de uma escola profissionalizante. Movimento. v. 16, n. 2, p. 167-191, 2010. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/8711.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GONZÁLEZ, Fernando. Jaime; FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo. Educação física e cultura escolar: critérios para identificação do abandono do trabalho docente. In: Congreso de Educación Física: repensando la educación física, 2006, Córdoba. Actas del Congreso de Educación Física: repensando la Educación Física. Córdoba: Ipef, p. 734 -746, 2006.

JACKSON, Sue; EKLUND, Bob; MARTIN, Andrew. The flow scales manual. Queensland: Mind Garden, 2010.

KROUSCAS, James Athan Jr. Middle school students’ attitudes toward a physical education program. 1999. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação do Departamento de Ensino e Aprendizagem, do Instituto Politécnico e Universidade Estadual de Virgínia, Blacksburg, 1999.

MACHADO, Silvia Cota. Análise sobre o uso das tecnologias digitais da informação e comunicação (TDICs) no processo educacional da geração internet. Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 14, n. 2, 2016. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/70645.

MACHADO, Thiago da Silva; BRACHT, Valter; FARIA, Bruno de Almeida; MORAES, Claudia, ALMEIDA, Ueberson; ALMEIDA, Felipe Quintão. As práticas de desinvestimento pedagógico na educação física escolar. Movimento, v. 16, n. 2, p. 129-147, 2010. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/10495.

MANLEY, Andrew; WHITAKER, Lisa. Wii-learning: using active video games to enhance the learning experience of undergraduate sport psychology students. Sport & Exercise Psychology Review, London, v. 7, n. 2, p. 45–55, 2011. Disponível em: https://www.semanticscholar.org/paper/Wii-learning%3A-Using-Active-Video-Games-to-enhance-Manley-Whitaker/973f7df3676ab62a1a538644f7ab60690bbc9175.

MOITA, Filomena Maria. Game on: jogos eletrônicos na escola e na vida da geração. Campinas: SP. Alínea. 2007.

PARANHOS, Ranulfo; FILHO, Dalson Britto Figueiredo; ROCHA, Enivaldo Carvalho da; JÚNIOR, José Alexandre da Silva; FREITAS, Diego. Uma introdução aos métodos mistos. Sociologias [online], v. 18, n. 42, p. 384-411, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-45222016000200384&script=sci_abstract&tlng=pt.

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Licenciatura em Educação Física – Universidade Federal do Rio Grande, 2005.

RODRIGUES, Gustavo Dore. Jogos eletrônicos na sala de aula: possibilidades de ensino através do lúdico e do digital. In: XXIX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação UnB. Brasília, 2006, Brasília. Anais do XXIX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação UnB, 2006.

RUSHKOFF, Douglas. Playing the future: how kids’ culture can teach us to thrive in an age of chaos. New York, NY: HarperCollins Publishers, 1996.

SANTOS, Valmaria Lemos da Costa; SANTOS, José Erimar dos. As redes sociais digitais e sua influência na sociedade e educação contemporâneas. Holos, ano 30, v. 6, p. 307-328, 2014. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/1936.

SCHWARTZ, Gisele. Maria; SANTIAGO, Danilo Roberto Pereira; KAWAGUTI, Cristiane Naomi; TAVARES, Gisele Hellena; FIGUEIREDO, Juliana de Paula; PALHARES, Marcelo Fadori Soares; NASCIMENTO, Amanda Mayara. Apropriação das tecnologias virtuais como estratégias de intervenção no campo do lazer: os webgames adaptados. Licere, v. 16, n. 3, p. 1-26, 2013. Disponível em: http://cev.org.br/biblioteca/apropriacao-das-tecnologias-virtuais-como-estrategias-intervencao-campo-lazer-os-webgames-adaptados-1/.

SILVERA, Guilherme Carvalho Franco; TORRES, Livia Maria Zahra Barud. Educação física escolar: um olhar sobre os jogos eletrônicos. Belo Horizonte: XV Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte, 2007.

STELZER, Jiri; ERNEST, James; FENSTER, Mark; LANGFORD, George. Attitudes toward physical education: a study of high school students from four countries: Austria, Czech Republic, England and USA. College Student Journal, Birmingham, v. 38, n. 2, p. 171-178, 2004. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/291021679_Attitudes_toward_physical_education_A_study_of_high_school_students_from_four_countries_-_Austria_Czech_Republic_England_and_USA.

TAPSCOTT, Don. A hora da geração digital. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2010.

TURKLE, Sherry. Life on the screen: identity in the age of the internet. New York, NY: Touchstone, 1995.

VAGHETTI, Cesar Augusto Otero. Exergames em rede: a educação física no cyberspace. 2013. Tese (Doutorado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande, 2013.

VAGHETTI, Cesar Augusto Otero; BOTELHO, Silvia Silva da Costa. Ambientes virtuais de aprendizagem na educação física: uma revisão sobre a utilização de exergames. Ciências & Cognição, v. 15, n. 1, p. 76-88, 2010. Disponível em: http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/292.

VAGHETTI, Cesar Augusto Otero; MUSTARO, Pollyana Notargiacomo; BOTELHO, Silvia Silva da Costa. Exergames no ciberespaço: uma possibilidade para educação física. In: Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento Digital, 10, Salvador. Anais do Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento, 2011.

VIEIRA, Karina Langone; VAGHETTI, Cesar Augusto Otero; MAZZA, Sheynara Emi Ito Mazza; CORRÊA, Leandro Quadro. Características comportamentais de escolares e sua percepção sobre a utilização dos exergames nas aulas de educação física. Cinergis, v. 15, n. 2, p. 65-69, 2014. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/cinergis/article/view/4431.

WEBER, Florence. A. Entrevista, a pesquisa e o íntimo, ou: por que censurar seu diário de campo? Horizontes Antropológicos, v. 15, n. 32, p. 157-170, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-71832009000200007.

ZEQUINÃO, Marcela Almeida; MEDEIROS, Pâmella de; PEREIRA, Beatriz; CARDOSO, Fernando Luis. School bullying: a multifaceted phenomenon. Educação e Pesquisa. [online], v. 42, n. 1, p. 181-198, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-97022016000100181&script=sci_arttext&tlng=en.

Downloads

Publicado

2019-10-19

Como Citar

FREITAS, G. da S.; SILVA, V. B. da; VAGHETTI, C. A. O. "Agora é minha vez de jogar"? Percepção de estudantes sobre a utilização dos Exergames na educação física escolar. Conexões, Campinas, SP, v. 17, p. e019020, 2019. DOI: 10.20396/conex.v17i0.8655366. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8655366. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigo Original