Banner Portal
Percepção de pais/responsáveis sobre o jogo infantil
Capa 2024 com foto das primeiras edições da revista
PDF

Palavras-chave

Família
Jogos e brinquedos
Criança

Como Citar

GARCIA, Leticia Vilhena; SILVA, Junior Vagner Pereira da; CAVALCANTE , Alex de Oliveira; RAMOS, Isabela Almeida. Percepção de pais/responsáveis sobre o jogo infantil. Conexões, Campinas, SP, v. 22, n. 00, p. e024022, 2024. DOI: 10.20396/conex.v22i00.8675685. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8675685. Acesso em: 22 jul. 2024.

Dados de financiamento

Resumo

Objetivo: Analisar a percepção de pais/responsáveis por crianças de 3 a 13 anos sobre o jogo no contexto do cotidiano de seus filhos. Metodologia: neste estudo descritivo/exploratório, transversal, quali-quantitativo e de campo, país/responsáveis (n=58) por crianças de 3 a 13 anos, participantes de colônia de férias social (CFS), responderam a questionários sobre a percepção em relação ao jogo, e a percepção em relação a importância entre o jogar e o uso de tecnologias pela criança. E ainda, participaram de entrevista semiestruturada, com a apresentação perguntas abertas referentes ao brincar. Resultados e Discussão: A maioria dos pais/responsáveis jogava na própria casa durante a infância (81,72%), há preocupações sobre o impacto da tecnologia, acredita-se que os jogos tradicionais podem desaparecer (50%), e as crianças não brincam como antigamente (78,04%). A influência das telas foi destacada, com alguns pais sendo os próprios incentivadores do uso devido à falta de opções. A compreensão do brincar foi associada ao lúdico e lazer, um momento privilegiado de felicidade e diversão. Apesar de reconhecerem a importância do jogo para o desenvolvimento neuropsicomotor, alguns pais enfrentam dificuldades em brincar com os filhos devido à falta de tempo. A satisfação foi expressa durante o momento de brincadeira em família proporcionado na CFS, indicando um desejo de preservar a tradição do brincar na família. Conclusão: Os pais percebem a preferência por jogos tecnológicos pelas crianças, mas reconhecem a importância do brincar tradicional para o desenvolvimento, destacando a necessidade de iniciativas como a CFS para preservar essas atividades na infância.

https://doi.org/10.20396/conex.v22i00.8675685
PDF

Referências

ALVES, Cáthia; CÂMARA, Ana Rosa; GERALDIN, Camila; MARTINS, Ida Carneiro. Políticas públicas de lazer: jogos, brinquedos e brincadeiras de crianças em praças, na cidade de Araras. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v. 13, n. 2, p. 196-2014, 2014. Disponível em: https://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/remef/article/view/5249/5122. Acesso em: 10 maio 2019.

BEACH, Betty. Rural children's play in the natural environment. In: LYTLE, Don. Play and Educational Theory and Practice. Bloomsbury Publishing, 2003. p. 183-194. Series Play and culture studies, v. 5.

BERMUDES, Wanderson Lyrio; SANTANA, Bruna Tomaz; BRAGA, José Hamilton Oliveira; SOUZA, Paulo Henrique. Tipos de escalas utilizadas em pesquisas e suas aplicações. Vértices, v. 18, n. 2, p. 7-20, 2016. Disponível em: https://editoraessentia.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/1809-2667.v18n216-01/5242. Acesso em: 10 maio 2019.

BICHARA, Ilka Dias; FIAES, Carla Silva; MARQUES, Reginalice; BRITO, Taciana; SEIXAS, Angélica Amanda Campos. Brincadeiras no contexto urbano: um estudo em dois logradouros de Salvador (BA). Boletim Academia Paulista de Psicologia, v. 26, n. 2, p. 39-52, 2006. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/946/94626210.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

BORGES, Ana Lúcia Araújo. A criança, o brincar e a interação entre pais e filhos. Rev. Ed. Popular, Uberlândia, v. 7, p. 120-126, 2008. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/download/20106/10738/75965. Acesso em: 10 maio 2019..

BURGOS, Miria Suzana; KREBS, Ruy Jornada; KOEHLER, Jonathan. O jogo espontâneo em contextos informais interpretado pela teoria dos sistemas ecológicos. Cinergis, v. 2, n. 2, p. 75-109, 2002.

BURGOS, Miria Suzana; GAYA, Adroaldo Cézar. O lazer e as atividades lúdico desportivas qualificados pelos hábitos de vida: uma resposta do contexto sociocultural. Cinergis, v. 2, n. 1, 115-141, 2001.

BURGUÉS, Pere Lavega; RIBAS, João Francisco Magno; MARIN, Elizara Carolina; SOUZA, Maristela da Silva. Os Jogos Tradicionais no Mundo: Associações e Possibilidades. LICERE - Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, 2011. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/775. Acesso em: 10 maio 2019.

CAILLOIS, Roger; HALPERIN, Elaine P. The structure and classification of games. Diogenes, v. 3, n. 12, p. 62-75, 1955. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/039219215500301204. Acesso em: 10 maio 2019.

CARNEIRO, Maria Ângela Barbato; DODGE, Janine. A descoberta do brincar. São Paulo: Melhoramentos, 2007.

CARVALHO, Levindo Diniz; SILVA, Rogério Correia. Infâncias no campo: brinquedo, brincadeira e cultura. Childhood & Philosophy, v. 14, n. 29, p. 189-212, 2018. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/childphilo/v14n29/1984-5987-childphilo-14-29-00189.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

COELHO, Victor Antônio Cerignoni; TOLOCKA, Rute Estanislava. E. Perfil de atividades cotidianas no ambiente domiciliar e o brincar de pré-escolares no município de Palmas/TO. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 27, n. 1, p. 116-26, 2019. Disponível em: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/9859. Acesso em: 10 maio 2019.

COSTA, Filipe Ferreira; ASSIS, Maria Alice Altenburg. Nível de atividade física e comportamentos sedentários de escolares de sete a dez anos de Florianópolis, SC. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 16, n. 1, p. 48-54, 2011. Disponível em: https://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/557. Acesso em: 10 maio 2019.

DI GIORGI, Piero. A criança e as suas instituições: a família – a escola. Lisboa: Livros Horizonte, 1980.

OTEGI, Joseba Etxebeste; LIEBAERT, Clara Urdangarín; BURGUÉS, Pere Lavega; OTERO, Francisco Lagardera; ROQUE, José Ignacio Alonso. EL PLACER DE DESCUBRIR EN PRAXIOLOGÍA MOTRIZ: LA ETNOMOTRICIDAD. Acción Motriz, v. 15, n. 1, p. 15–24, 2022. Disponível em: https://www.accionmotriz.com/index.php/accionmotriz/article/view/85. Acesso em: 10 maio 2019.

FEITOSA, Antonio Cordeiro; VIANA, Raimundo Nonato Assunção; RÊGO, Fabiane Costa; RÊGO, Adriana Costa. “DANDO LINHA NA PIPA”: uma análise das brincadeiras populares no cotidiano de crianças do bairro da Liberdade em São Luís-MA. Revista Interdisciplinar em Cultura e Soc, v. 3, n. especial, p. 303-315, 2017. Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/ricultsociedade/article/view/7760/4812. Acesso em: 10 maio 2019.

FERNANDES, Marcela Melo; ALVES, Fabiana Simões. Jogos eletrônicos x jogos tradicionais: realidade no cotidiano infantil. In: HABOWSKI, Adilson Cristiano; CONTE, Elaine. Crianças e tecnologias: influências, contradições e possibilidades formativas. São Paulo: Pimenta Cultural, 2020. p. 136-148.

FERREIRA, Rafael Duarte. O jogo tradicional no contexto atual: o que sobrou? 2015. 53 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Educação Física)-Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

FERREIRA, Gabryelle Chaves; SILVA, Maria Auricélia da; GARCIA, Thiago de Sousa. Um boom de mídias na infância: Reflexões acerca do Uso de Tecnologias Digitais na Educação Infantil. In: CONGRESSO SOBRE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO, 4, 2019, Recife. Anais... Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2019. p. 184-191.

HAN, Byung-Chul. The burnout society. Stanford University Press, 2015.

HALLAL, Pedro Curi; BERTOLDI, Andréa Dâmaso; GONÇALVES, Helen; VICTORA, Cesar Gomes. Prevalência de sedentarismo e fatores associados em adolescentes de 10-12 anos de idade. Cad. Saúde Pública, v. 22, n. 6, p. 1277-1887, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/c4pqMtQsyCZZbCPfvyCHWzb/?lang=pt#. Acesso em: 10 maio 2019.

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens. São Paulo: Perspectiva, 1993.

GAYA, Adroaldo Cezar; POLETTO, Aline; TORRES, Lisiane. Uma paisagem sobre o cotidiano: o perfil sociocultural dos alunos das escolas da rede pública municipal de Porto Alegre. In: BURGOS, Miria Suzana; PINTO, Leila Mirtes Santos de Magalhães (Org.). Lazer e estilo de vida. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2002. p. 56-89.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas; 2010.

GODOY, Luís Bruno de; LEONARDO, Lucas; SCAGLIA, Alcides José. Do macrojogo ao microjogo: os vários jogos que compõem o jogo. Motrivivência, v. 34, n. 65, p. 1-22, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/87101/51519. Acesso em: 10 maio 2019.

KARSTEN, Lia; VLIET, Willen Van. Children in the city: reclaiming the street. Children, Youth and Environments, v. 16, n. 1, p. 151-167, 2006. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/254897061_Children_in_the_city_Reclaiming_the_street. Acesso em: 10 maio 2019.

LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre. Editora Artmed, 1999.

LIMA, Juliana de Souza. A infância, o brincar e o consumo na Sociedade Contemporânea: As percepções da escola, pais e filhos. 2015. 46 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2015.

MAJEWSKI, Jéssica Alessandra; MARINHUK, Jessica Chaiane Brem. O conhecimento dos alunos do 5º ano da cidade de Mallet–PR referente aos jogos e brincadeiras tradicionais. Revista Renovare de Saúde e Meio Ambiente, v. 3, n. 7, p. 361-378, 2020. Disponível em: https://book.ugv.edu.br/index.php/renovare/article/view/324. Acesso em: 10 maio 2019.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. Estudos do lazer: uma introdução. Campinas: Autores Associados, 2023.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. Pedagogia da animação. Campinas: Papirus, 1992.

MARCELLINO, Nelson Carvalho; BARBOSA, Felipe Soligo; MARIANO, Sthéphanie. As Cidades e o Acesso aos Espaços e Equipamentos de Lazer. Impulso, v. 17, n. 44, p. 55-66, 2006. Disponível em: https://docente.ifrn.edu.br/andreacosta/planejamento-de-espacos-e-equipamentos-de-lazer/texto-3-as-cidades-e-os-equipamentos-de-lazer. Acesso em: 10 maio 2019.

MARTINS, André Augusto Brites; SOUZA, Giovana Mestrine de; RAMOS, Guilherme Bueno; SILVA, Junior Vagner Pereira da. Jogos tradicionais em família. Integra. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS. 2023. p. 888.

MAUSS, Marcel. Les techniques du corps. Paris: Flammarion, 2023.

NUNES, Ana Célia; EMMEL, Emmel, Maria Luisa Guillaumon. O uso do tempo nas atividades cotidianas de crianças de classe popular de 9 a 12 anos. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v. 26, n. 2, p. 176-185, 2015. Disponível em: https://revistas.usp.br/rto/article/view/89617. Acesso em: 10 maio 2019.

PADILHA, Andrieli Regina Sehnem. A infância, o brincar e a família contemporânea. 2015. 39 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Psicologia) - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, 2015.

PAIVA, Natália Moraes Nolêto; COSTA, Johnatan da Silva. A influência da tecnologia na infância: desenvolvimento ou ameaça. Psicologia, v. 1, p. 1-13, 2015. Disponível em: https://revista.uninga.br/uningareviews/article/download/3186/2101/9081. Acesso em: 10 maio 2019.

PEREIRA, Beatriz Oliveira; NETO, Carlos. As crianças, o lazer e os tempos livres. In: PINTO, Manuel; SARMENTO, Manuel Jacinto (Org.). Para uma bibliografia sobre a infância e as crianças em Portugal. Braga: Universidade do Minho, 1999. p. 85-107.

BELINKY, Tatiana; LUÍS, Camargo; CAPARELLI, Sérgio; GOUVEIA, Julio; MAGALHÃES, Lígia Cademartori; MERTEN, Luiz Carlos; PONDÉ, Glória Maria Fialho; PERROTTI, Edmir. criança e a produção de cultura: apontamentos sobre o lugar da criança na cultura. In: ZILBERMAN, Regina (Org.). A produção cultural para a criança. Porto Alegre: Mercado Livre, 1982. p. 56-89.

POLETTO, Raquel Conte. A ludicidade da criança e sua relação com o contexto familiar. Psicologia em Estudo, v. 10, n. 1, p. 67-75, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pe/a/CLKS3Mqck77dqhn5cRZj7Rm/?format=pdf&lang=pt#:~:text=O%20BRINCAR%20COMO%20FATOR%20DE%20PROTE%C3%87%C3%83O&text=As%20crian%C3%A7as%20se%20desenvolvem%20em,como%20estimular%20as%20compet%C3%AAncias%20cognitivas. Acesso em: 10 maio 2019.

PONTES, Fernando Augusto Ramos; MAGALHÃES, Celina Maria Colino. A estrutura da brincadeira e a regulação das relações. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 18, p. 213-219, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ptp/a/vq5Kxp5mSXHMyJ4mfqF8Wbx/#ModalTutors. Acesso em: 10 maio 2019.

RAMOS, Isabela Almeida; LEITE, Claudia Dias; GUEDES, Gustavo Lira; GARCIA, Letícia de Vilhena; ROCHA, Valdir Henrique Melo da; RIBEIRO, Henrique Lima; PEREIRA, Raiane Maiara dos Santos. Colônia de férias social “Se essa rua fosse minha”: resgatando o brincar tradicional. In: RIBEIRO, Olívia Cristina. Colônia de férias temáticas. Campinas: Mercado de Letras, 2022. p. 133-149,

RODRIGUES, Natálie do Reis. Desempenho Motor e Escolar em crianças de 6 a 10 anos. 2011. 74 f. Monografia (Graduação em Educação Física) - Escola de Educação Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

SCAGLIA, Alcides José; FABIANI, Débora Jaqueline Farias; GODOY, Luís Bruno de. Dos jogos tradicionais às técnicas corporais: um estudo a partir das relações entre jogo e cultura lúdica. Corpoconsciência, v. 24, n. 2, p. 187–207, 2020. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10780. Acesso em: 10 maio 2019.

SILVA, Estela Rossetti Teixeira; BORTOLOZZI, Flávio; MILANI, Rute Grossi. O brincar digital e o uso das tecnologias na saúde das crianças. Perspectivas em diálogo: Revista de educação e sociedade, v. 6, n. 13, p. 125-138, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/persdia/article/view/8085. Acesso em: 10 maio 2019.

SILVA, Junior Vagner Pereira da; NUNES, Paulo Ricardo Martins. A cidade, a criança e o limite geográfico para os jogos/brincadeiras. Licere, v. 11, n. 3, p. 1-15, 2008. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/892. Acesso em: 10 maio 2019.

SILVA, Junior Vagner Pereira; TOLOCKA, Rute Estanislava; MARCELLINO, Nelson Carvalho. Lazer infantil-Direitos legais, transformações sociais e implicações ao crescimento e habilidades motoras básicas. Licere, v. 9, n. 1, p. 81-96, 2006. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/1534. Acesso em: 10 maio 2019.

SILVA, Junior Vagner Pereira; SAMPAIO, Tânia Maria Vieira. Jogos tradicionais: reprodução, ampliação, transformação e criação da cultura corpora do movimento. Revista Brasileira de Ciências e Movimento, v. 19, n. 1, 72-86, 2011. Disponível em: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/rbcm/article/view/2770. Acesso em: 10 maio 2019.

SILVA, Junior Vagner Pereira da; SAMPAIO, Tânia Mara Vieira. Os conteúdos das aulas de educação física no ensino fundamental: o que mostram os estudos? Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 20, n. 2, p. 106-118, 2012. Disponível em: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/3007. Acesso em: 10 maio 2019.

SILVA, Micaela Ferreira dos Santos; ANDRADE, Adriano Pinheiro de; TORRES, Magalia Farkath de Paiva; AMORIM, Giovana Carla Cardoso. As brincadeiras das crianças de ontem e de hoje no contexto sociocultural. Holos, v. 3, p. 62-74, 2017. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/5763. Acesso em: 10 maio 2019.

TEIXEIRA, Waléria Araújo. Brincadeira é coisa séria: o Olhar de Pais e Professores sobre a Importância do Brincar na Educação Infantil. 2012. 65 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade de Brasília, Universidade Aberta do Brasil, Brasília, 2012.

TENA, Rosália Romero; GUTIÉRREZ, María Pug; CEJUDO, Maria del Carmen Llorente. Technology use habits of children under six years of age at home. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, v. 27, p. 340-362, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ensaio/a/qFLBHhjSSMHQH3jgRmPjBXh/?lang=en#ModalTutors. Acesso em: 10 maio 2019.

UCHÔA, Maria Adriana da Silva. A preferência das crianças pelo celular em detrimento do brincar com materiais do seu cotidiano escolar: um estudo de caso no Centro de Educação Infantil Moura Brasil, Fortaleza, Ceará. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação, v. 9, n. 5, p. 1-15, 2023. Disponível em: https://periodicorease.pro.br/rease/article/view/9697. Acesso em: 10 maio 2019.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Conexões

Downloads

Não há dados estatísticos.