Banner Portal
As brincadeiras tradicionais infantis e os modos de brincar em diferentes gerações
Capa 2024 com foto das primeiras edições da revista
PDF

Palavras-chave

Brincadeiras tradicionais infantis
Educação física
Relação entre gerações

Como Citar

MARTINS, Ida Carneiro; ZAIM-DE-MELO, Rogério; GIMENEZ, Roberto; SAVAREZZI, Guilherme Rocha; PERUCCI, Renata Carbone. As brincadeiras tradicionais infantis e os modos de brincar em diferentes gerações. Conexões, Campinas, SP, v. 22, n. 00, p. e024018, 2024. DOI: 10.20396/conex.v22i00.8675845. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8675845. Acesso em: 22 jul. 2024.

Resumo

Compreender as mudanças culturais relativas aos modos de brincar de diferentes gerações é relevante para o futuro licenciado em Educação Física, em especial, na constituição de práticas educativas relativas ao tema. O trabalho que ora se apresenta traz o relato de experiência educativa que possui tal finalidade. Objetivo: Assim, é objetivo do trabalho apresentar uma prática educativa desenvolvida no componente curricular “Jogos e Brincadeiras”, com estudantes do primeiro semestre do Curso de Educação Física, modalidade Licenciatura, sobre aspectos relativos ao brincar de diferentes gerações. Metodologia: Os dados ora apresentados são decorrentes de um questionário respondido pelos estudantes, sobre o brincar de três grupos etários, os quais foram discutidos por meio da análise interpretativa, que consiste em relacioná-los com os princípios teóricos adotados. Resultados e discussão: Os resultados indicam que as crianças passaram brincar mais em espaços fechados e que as horas dedicadas ao uso telas teve um aumento significativo. Considerações Finais: A experiência permitiu a compreensão sobre a ação do professor ser fundamental na mediação de processos que envolvam o brincar, em especial daqueles que fazem parte da tradição do grupo cultural do qual fazemos parte.

https://doi.org/10.20396/conex.v22i00.8675845
PDF

Referências

BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e cultura. Tradução de Maria Alice de Sampaio Dória. São Paulo: Cortez, 1995.

CALLOIS, Roger. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Lisboa: Cotovia, 1967.

ELKONIN, Daniil Borisovich. Enfrentando o problema dos estágios no desenvolvimento mental das crianças. Educar em Revista, n. 43, p. 149–172, jan. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/NWgzBfFPJ8zzfmKLXzM9twh/abstract/?lang=pt#. Acesso em: 31 jan. 2024.

DA SILVA, Junior Vagner Pereira; NUNES, Paulo Ricardo Martins. A cidade, a criança e o limite geográfico para os jogos/brincadeiras. LICERE - Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, Belo Horizonte, v. 11, n. 3, 2008. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/892. Acesso em: 1 jun. 2024.

FERNANDES, Benecta Patrícia Fernandes. Entre o Tradicional e o Eletrônico: Significados do Brincar para Crianças de uma Escola Pública De Piracicaba - SP. Revista Brasileira de Estudos do Lazer, v. 3, n. 2, p. p.74–96, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/509. Acesso em: 1 jun. 2024.

FREIRE, João Batista. O jogo: entre o riso e o choro. Campinas: Autores Associados, 2002.

KISHIMOTO, Tizuko Morchidda. Jogos, brinquedos e brincadeiras do Brasil. Espac. blanco, Ser. indagaciones, Tandil, v. 24, n. 1, jun. 2014. Disponível em: http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1515-94852014000100007&lng=es&nrm=iso. Acesso em: 31 jan. 2024.

MACHADO, Marina Marcondes. A poética do brincar. São Paulo: Edições Loyola, 1998.

MARCELINO, Nelson Carvalho. Pedagogia da Animação. 4. ed. Campinas/SP: Papirus, 2002.

MARTINS, Ida Carneiro. As relações do professor de educação infantil com a brincadeira: do brincar na rua ao brincar na escola. 2009. 181 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, 2009. Disponível em: https://iepapp.unimep.br/biblioteca_digital/pdfs/2006/RAPQEBFSXBAY.pdf. Acesso em: 31 jan. 2024.

MARTINS, Ida Carneiro; CRUZ, Maria Nazaré. Brincar na rua e brincar na escola: infância, lazer e educação. Impulso, Piracicaba, v. 24, n. 61, p. 17-30, set./dez. 2014. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/impulso/article/view/2197. Acesso em: 31 jan. 2024.

MARQUES, Alcione. A parentalidade excessiva e as implicações na aprendizagem. Constr. psicopedagógica., São Paulo, v. 23, n. 24, p. 41-51, 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-69542015000100004&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 31 jan. 2024.

MELLO, Suely Amaral. Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva histórico-cultural. Perspectiva, v. 25, n. 1, p. 83–104, 2007. DOI: 10.5007/%x. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/1630. Acesso em: 18 jan. 2024.

MINAYO, Maria Cecília. de S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, n. 3, p. 621–626, mar. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/39YW8sMQhNzG5NmpGBtNMFf/#. Acesso em: 31 jan. 2024.

PEREIRA, Reginaldo Gomes. Ludicidade, infância e educação: uma abordagem histórica e cultural. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 64, p. 170-190, set 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641935. Acesso em: 30 jan. 2024.

SANTOS, Santa Marli Pires (Org.) Brinquedoteca: o lúdico em diferentes contextos. Petrópolis: Vozes, 1997.

TEIXEIRA SILVA, Estela. Rosetti.; BORTOLOZZI, Flávio.; MILANI, Rute Grossi. O brincar digital e o uso das tecnologias na saúde das crianças. Perspectivas em Diálogo: Revista de Educação e Sociedade, v. 6, n. 13, p. 125-138, 27 dez. 2019. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/persdia/article/view/8085. Acesso em: 30 jan. 2024.

VIANA, Marcos Alan. Infância contemporânea: institucionalização e cerceamento. Revista Psico FAE: Pluralidades em Saúde Mental, v. 7, n. 2, p. 47-68, dez. 2018. Disponível em: https://psico.fae.emnuvens.com.br/psico/article/view/203/126. Acesso em: 30 jan. 2024.

ZAIM-DE-MELO, Rogério; SCAGLIA, Alcides José. Memórias crianceiras: a infância pantaneira em meados do Século XX. Revista Temas em Educação, João Pessoa-PB, 2022, v. 31, n. 1, p. 41-60. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rteo/article/view/62408. Acesso em: 31 jan. 2024.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Conexões

Downloads

Não há dados estatísticos.