A história da educação infantil no Brasil: avanços, retrocessos e desafios dessa modalidade educacional

  • Jaqueline Delgado Paschoal UEM
  • Maria Cristina Gomes Machado UEM
Palavras-chave: História da Educação. Fontes e Fundamentos. Educação Pública. Educação Infantil

Resumo

Este estudo tem como objetivo principal analisar, criticamente, a trajetória histórica dasinstituições de atendimento à criança, bem como discutir os avanços e retrocessos dessamodalidade educacional no Brasil. Entendemos que este trabalho, ao priorizar omovimento de investigar o passado, permite compreender os desafios que se coloca nasociedade contemporânea, sobretudo no que diz respeito à ação pedagógica dos professoresque atuam junto a esse nível de ensino. Para o seu desenvolvimento, optamos pela pesquisabibliográfica, tomando por base o Método Histórico, por considerar que, por meio dele, épossível conhecer a origem das primeiras instituições de atendimento à criança na Europa esuas diferentes funções no decorrer da história até sua propagação pelos outros continentes.É importante mencionar que as escolas infantis no Brasil sofreram, no decorrer dostempos, diferentes mudanças em suas funções, as quais passaram pelo assistencialismo,custódia e privação cultural até a função educativa. Os resultados da pesquisa apontamque, do ponto de vista histórico, houve um avanço significativo da legislação quando estareconheceu a criança como cidadã, como sujeito de direitos, inclusive o direito à educaçãode qualidade desde o nascimento.

Biografia do Autor

Jaqueline Delgado Paschoal, UEM

Mestre em Educação. Doutoranda no Curso de Pós-Graduação em Educação pela Universidade Estadual de Maringá/UEM. Docente no Departamento de Educação da Universidade Estadual de Londrina.

Maria Cristina Gomes Machado, UEM

Doutora em Educação. Docente do Departamento de Fundamentos da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá/UEM.

Referências

BARRETO, Ângela M. R. Situação atual da educação infantil no Brasil. In: BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Subsídios para o credenciamento e funcionamento de instituições de educação infantil. v. 2. Coordenação Geral de educação infantil. Brasília: MEC/SEF/COEDI, 1998.

BARRETO, Ângela M. R. Ângela M. R. A educação infantil no contexto das políticas públicas. Revista Brasileira de Educação – Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, Rio de Janeiro, Campinas, SP: Autores Associados, n. 24, p. 53-65, set./out./nov./dez. 2003.

BITTAR, M; SILVA, J.; MOTA, M. A .C. Formulação e implementação da política de educação infantil no Brasil. In: Educação infantil, política, formação e prática docente. Campo Grande, MS: UCDB, 2003.

BRANDÃO. Carlos da Fonseca. A educação infantil no Plano Nacional de Educação: a questão da oferta e do atendimento. In: PASCHOAL, Jaqueline. D. (Org.). Trabalho pedagógico na educação infantil. Londrina, PR: Humanidades, 2007. p.77-86.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988, 305 p.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei no 8.069, de 13 de junho de 1990.

BRASIL. Plano Nacional de Educação. Lei no 10.172/2001, de 09 de janeiro de 2001.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Política nacional de educação infantil. Brasília, DF: MEC/SEF/COEDI, 1994a.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Por uma política de formação do profissional de educação infantil. Brasília, DF: MEC/SEF/COEDI, 1994b.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Critérios para um atendimento em creches que respeite os direitos fundamentais das crianças. Brasília, DF: MEC/SEF/COEDI, 1995.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei no 9394, de 20 de dezembro de 1996. Dispõe sobre as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998a.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Subsídios para o credenciamento e funcionamento de instituições de educação infantil. Coordenação Geral de Educação Infantil, v. 1 e 2. Brasília, DF: MEC/SEF/DPE/COEDI, 1998b.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Básica. Política nacional de educação infantil. Brasília, DF: MEC/SEB, 2006.

BUJES, Maria Isabel E. Escola infantil: pra que te quero?. In: CRAIDY, Carmem; KAERCHER, Gládis E.(Org). Educação Infantil: pra que te quero? Porto Alegre: Artmed Editora, 2001. p.13-23.

DIDONET, Vital. Creche: a que veio, para onde vai. In: Educação Infantil: a creche, um bom começo. Em Aberto/Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. v 18, n. 73. Brasília, 2001. p.11-28.

FERREIRA, Maria Clotilde Rossetti (Org.). Os fazeres na educação infantil. São Paulo: Cortez, 2000.

HADDAD, Lenira. A creche em busca de identidade. São Paulo: Loyola, 1993.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Avanços e retrocessos na formação dos profissionais de educação infantil. In: MACHADO, Maria Lúcia de A. (Org.) Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002. p. 107-115.

KRAMER, Sonia. A política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. 5. ed. São Paulo: Cortez,1995.

KUHLMANN JR., Moisés. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

KUHLMANN JR., Moisés. O jardim de infância e a educação das crianças pobres: final do século XIX, início do século XX. In: MONARCHA, Carlos, (Org.). Educação da infância brasileira: 1875-1983. Campinas, SP: Autores Associados, 2001. p. 3-30 (Coleção educação contemporânea).

LEITE FILHO, A. Proposições para uma educação infantil cidadã. In: GARCIA, R. L.; LEITE FILHO, A. (Orgs.). Em defesa da educação infantil. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. p. 29-58. (Coleção O sentido da escola; 18).

MARCÍLIO, Maria Luiza. A roda dos expostos e a criança abandonada na História do Brasil. In: FREITAS, Marcos Cezar (Org.). História social da infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 1997. p. 51-76.

MARX, Karl. Divisão do trabalho e manufatura. In: MARX, Karl. O Capital. São Paulo: Difel, l. 1, v. 1, 1982. p. 386-422.

MARX, Karl. O Capital. l.1, v.1. São Paulo: Bertrand Brasil-Difel, 1986. p. 423-550.

OLIVEIRA, Zilma Moraes R. Creches: Crianças, faz de conta & Cia. Petrópolis, RJ: Vozes, 1992.

OLIVEIRA, Zilma Moraes R. Zilma Moraes R. Educação infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002. (Coleção Docência em Formação).

ONGARI, Bárbara; MOLINA, Paola. A educadora de creche: construindo suas identidades. Tradução: Fernanda L. Ortale e Ilse Paschoal Moreira. São Paulo: Cortez, 2003.

RIZZO, Gilda. Creche: organização, currículo, montagem e funcionamento. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

ZABALZA, Miguel. A . Qualidade em educação infantil. Trad. Beatriz Affonso Neves. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

Como Citar
Paschoal, J. D., & Machado, M. C. G. (1). A história da educação infantil no Brasil: avanços, retrocessos e desafios dessa modalidade educacional. Revista HISTEDBR On-Line, 9(33), 78-95. https://doi.org/10.20396/rho.v9i33.8639555
Seção
Artigos