A educação anarquista e a educação pública estatal brasileira: o encontro de dois paradigmas

Autores

  • Juliana Guedes dos Santos Marconi Universidade Federal de São Carlos – UFSCar
  • Luiz Bezerra Neto Universidade Federal de São Carlos – UFSCar

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v9i33.8639559

Palavras-chave:

Educação Pública Estatal. Anarquismo. Educação Libertária

Resumo

O presente trabalho procura refletir acerca de duas vertentes educacionais existentes noBrasil: a Educação Pública Estatal, que sempre se ministrou na história da educaçãobrasileira, e as Escolas Libertárias baseadas no ideário anarquista, vigentes na década de1920, com o objetivo de compreender o desenvolvimento das escolas anarquistas e apontaralgumas semelhanças e diferenças em relação às escolas públicas estatais. Para tanto, foianalisada parte da literatura que trata da História do Brasil (principalmente a época em quese deu a imigração européia), da história da educação brasileira, dos princípios e ideaisanarquistas e da educação libertária, com o objetivo de se traçar um panorama dasprincipais iniciativas estatais de educação desde a Proclamação da República até o PlanoNacional de Educação (2000), além da discussão sobre os ideais e princípios doanarquismo visando compreender melhor a Educação Libertária. Por fim, pode-se concluirque, embora existam momentos em que as concepções analisadas se divergem e seconvergem, a diferença fundamental entre a educação que vemos proferida pelas escolaspúblicas e as libertárias está na questão da representatividade e participação na gestãoeducacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Guedes dos Santos Marconi, Universidade Federal de São Carlos – UFSCar

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos (PPGE/UFSCar) - Área de concentração: Fundamentos da Educação.

Luiz Bezerra Neto, Universidade Federal de São Carlos – UFSCar

Professor do Departamento de Educação da Universidade Federal de São Carlos.

Referências

BERNAL, A. O. Anarquismo espanhol e educação. In: EDUCAÇÃO LIBERTÁRIA - Educação e Revolução na Espanha Libertária. no1. 3o quadrimestre de 2006. IEL. São Paulo: Imaginário. p.9-24.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Documento Introdutório. 1997. In: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf . Consultado em 11/05/2007.

BRASIL. Plano Nacional de educação. Brasília, Câmara dos Deputados, 2000. In: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/pne.pdf . Consultado em 11/05/2007B.

COSTA, C. T. O que é anarquismo. 15a ed. Coleção Primeiros Passos. Ed. Brasiliense. 1990.

DELORS, J. Os quatro pilares da educação. In: Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, Brasília, DF: UNESCO, 2000, p. 89-101.

FERREIRA, A. B. de H. Minidicionáro Aurélio da Língua Portuguesa. Ed. Nova Fronteira. Rio de Janeiro. 1993.

GALLO, S. Anarquismo e filosofia da educação. Disponível em: http://www.cedap.assis.unesp.br/cantolibertario/textos/0113.html. Consultado em 22/08/2008.

GHIRALDELLI Jr., P. Educação e movimento operário. São Paulo: Cortez: Autores Associados. 1987.

FERRER y Guardia, F. La Escuela Moderna. Disponível em: www.antorcha.net/biblioteca_virtual/pedagogia/escuelamoderna/indice.html. Consultado em 07/06/2005.

MORAES, J. D. de. A trajetória educacional anarquista na Primeira República: das escolas aos centros de cultura social. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas. 1999.

SAVIANI, D. O legado educacional do “breve século XIX” brasileiro. In: SAVIANI, D. et al. O Legado Educacional do Século XIX. 2aed. 2006. p. 8-31.

SAVIANI, D. O legado educacional do “longo século XX” brasileiro. In: SAVIANI, D. et al. O Legado Educacional do Século XX no Brasil. 2aed. 2006b. p. 9-57.

VALDEMARIN, Vera Teresa. O método intuitivo: os sentidos como janelas e portas que se abrem para um mundo interpretado. In: SAVIANI, D. et al. O Legado Educacional do Século XIX. 2aed. 2006. p. 85-132.

Downloads

Como Citar

MARCONI, J. G. dos S.; BEZERRA NETO, L. A educação anarquista e a educação pública estatal brasileira: o encontro de dois paradigmas. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 9, n. 33, p. 142–158, 2012. DOI: 10.20396/rho.v9i33.8639559. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639559. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>