A civilização como ideal: educação na imprensa de Uberabinha-MG na primeira república

Autores

  • Luciana Araujo Valle de Resende Universidade Federal de Uberlândia
  • Wenceslau Gonçalves Neto Universidade Federal de Uberlândia
  • Carlos Henrique de Carvalho Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v9i34.8639583

Palavras-chave:

Civismo. Educação. Ensino público. Progresso. Religião

Resumo

O presente estudo, resultante de projeto de pesquisa financiado pelo Conselho Nacional deDesenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), visa ampliar a compreensão daHistória da Educação em Minas Gerais, tomando a cidade de Uberabinha como referênciano correr da Primeira República. A nossa preocupação foi oferecer uma visão panorâmicaem torno das discussões sobre educação que circulavam em Uberabinha, MG (hojeUberlândia), buscando nos jornais e nas Atas da Câmara Municipal as iniciativas locais nocampo educacional e, ancorados nessas fontes, identificar os possíveis objetivos quenortearam a produção do discurso sobre a educação vigente no município à época. Asespecificidades desse discurso devotado à educação podem ser captadas através da análisede alguns jornais, dentre eles destacam-se Paranayba, O Progresso e A Tribuna. Estaimprensa, de caráter não pedagógico, nos permitiu encontrar um cabedal de informaçõesdas mais variadas formas do pensamento educacional, além do papel pioneiro que eladesempenhou enquanto fonte para o estudo da constituição e da dinâmica da questãoeducacional na cidade. Observou-se que nos periódicos circulavam concepções de cunholiberal e positivista que ganham aceitação entre os estratos sociais mais intelectualizadosda cidade, identificados com os princípios republicanos. Portanto, foi na tentativa deidentificar como se materializaram essas iniciativas, numa localidade distante dos grandescentros, que buscamos compreender as propostas educacionais que foram publicizadas pormeio dos jornais, pois, se de um lado os liberais apresentavam, via imprensa, a Repúblicacomo o espaço da visibilidade, da transparência, da verdade, da ordem e do progresso, poroutro, alguns segmento sociais a transformavam numa espécie de tribuna de verdadeseternas, que não podiam ser abaladas pelos detratores da ordem estabelecida, quealmejavam destruir os valores morais da sociedade brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Araujo Valle de Resende, Universidade Federal de Uberlândia

Pedagoga, aluna do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia.

Wenceslau Gonçalves Neto, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em História pela USP, professor do Instituto de História e dos Programas de Pós-Graduação em História e em Educação da Universidade Federal de Uberlândia.

Carlos Henrique de Carvalho, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em História pela USP, professor da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

BURKE, Peter. A Escola dos Annales (1929-1989): a Revolução Francesa da historiografia. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1997.

CAMARA Municipal de S. Pedro de Uberabinha. Actas da Camara. Uberabinha, Livro 10, 1910-1911 (Arquivo Público Municipal de Uberlândia-MG).

CAMPOS, Juca dos. Ordem e Progresso. A Tribuna, Uberabinha, MG, no 83, p. 1, 10/04/1921.

CARVALHO, José Murilo de. A Formação das Almas – O imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

GRUPO Escolar. O Progresso. Uberabinha, MG, no 57, p. 1, 19/10/1908.

GUIMARÃES, Honorio. Discurso com que Honorio Guimarães, secretario e membro da Commissao de Bases do Congresso do Professores, reunido pela segunda vez em Bello Horizonte, refutava os argumentos do congressista José Polycarpo de Figueiredo, sobre o ensino religioso nos escolas. O Progresso, Uberabinha, MG, no 172, p.1-2, 28/01/1911.

NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na Primeira República. Rio de Janeiro: DP&A Editora. 2001. Paranayba. Uberabinha, MG, no 2, p.1, 24/09/1914.

PEIXOTO, Anamaria C. Educação no Brasil anos vinte. São Paulo, Edições Loyola, 1983.

PELA Instrucção. O Progresso. Uberabinha, MG, no10, p. 1, 24/11/1907.

RIBEIRO, Maria Luisa Santos. História da educação brasileira: a organização escolar. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

SOUZA, Rosa Fátima de. Espaço da educação e da civilização: origens dos grupos escolares no Brasil. In: SAVIANI, Dermeval et al. O legado educacional do século XIX. Campinas, SP: Autores Associados, 2006.

TRINDADE, João B. Nota. O Progresso. Uberabinha, MG, no 9, p. 3, 17/11/1907.

VIEIRA, Flávio César Freitas. Profissionalização docente e legislação educacional: Uberabinha (1892 – 1930). Uberlândia: Programa de Pós-Graduação em Educação da UFU, 2004 (Dissertação de Mestrado).

VILLELA, Antonieta. A Instrução. A Tribuna, Uberabinha, MG, no 134, p. 2, 09/04/1922.

Downloads

Como Citar

RESENDE, L. A. V. de; GONÇALVES NETO, W.; CARVALHO, C. H. de. A civilização como ideal: educação na imprensa de Uberabinha-MG na primeira república. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 9, n. 34, p. 127–141, 2012. DOI: 10.20396/rho.v9i34.8639583. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639583. Acesso em: 8 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>