Educação de jovens e adultos: memórias do grupo escolar noturno Visconde de Nácar em Maringá (1947-1958)

Autores

  • Adalgisa Silva Rodrigues Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Ednéia Regina Rossi Universidade Estadual de Maringá - UEM

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v9i35.8639612

Palavras-chave:

Educação de Jovens e Adultos. Maringá 1947-1958. Grupo Escolar noturno Visconde de Nácar. Memórias de práticas escolares

Resumo

O presente artigo busca recuperar o movimento de constituição da modalidade de educaçãobásica e pública para jovens e adultos, por meio de um recorte regional, qual seja, Maringá,no período de 1947-1958. Foram utilizadas fontes iconográficas e orais. A recuperaçãohistórica dessa instituição se fez por meio de depoimentos de ex-alunos, ex-professores eex-diretores que estudaram e trabalharam no período noturno. O resultado da investigaçãoevidenciou práticas escolares próprias da época em que o desenvolvimento de Maringá eramuito intenso. Os depoimentos dos entrevistados permitiram observar o uso de táticas eestratégias pelos sujeitos em respostas às exigências de instâncias superiores. Também foipossível observar o valor que a sociedade maringaense atribuía ao Grupo Escolar Viscondede Nácar e a pequena participação do Estado do Paraná, em termos de recursos financeiros,à educação elementar de adultos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adalgisa Silva Rodrigues, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Universidade Estadual de Maringá - UEM

Ednéia Regina Rossi, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Professora associada na Universidade Estadual de Maringá com atuação na graduação em Pedagogia e no Programa de Pós-graduação em Educação (Mestrado). 

Referências

ARROYO, Miguel G. Da escola carente à escola possível. São Paulo: Loyola, 1986.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. 3.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

BRASIL. Decreto-Lei n.8.529, 2 jan. 1946. Lei Orgânica do Ensino Primário. São Paulo: Saraiva, 2002. (Coleção Saraiva e Legislação).

BRASIL. Lei n.4.024/61. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1961.

BRASIL. Lei n.5.692/71. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1971.

BRASIL. Decreto n.4.123. Autoriza a criação de dois grupos escolares em Maringá. Diário Oficial do Estado do Paraná. Curitiba: Imprensa Oficial, Ano XXXVI, 9 set. 1948.

BRASIL. Deliberação n.031, de 1986. Trata da forma de organização e manutenção da escrituração escolar e do arquivo. SEED, Curitiba: Imprensa Oficial, 1986.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Tradução de Maria Manuela Galhardo. 2.ed. Rio de Janeiro: DIFEL, 2002.

DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes, 1994.

DE CERTEAU, Michel. A escrita da história. Tradução de Maria de Lourdes Menezes; revisão técnica de Amo Vogel. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

DI PIERRO, Maria Clara. Descentralização, focalização e parceria: uma análise das tendências públicas de educação de jovens e adultos. In Educação e Pesquisa. Vol. 27 no.2 São Paulo July/Dec.2001.

ENS, Romilda Teodora. O desenvolvimento do ensino Supletivo no Paraná e as dificuldades de sua implantação: intenção e realidade. Curitiba, 1981. 198f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

O JORNAL DE MARINGÁ. Veículo informativo. Ano V. Diretor responsável: Ivens Lagoano Pacheco. Maringá. 1957/1958.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, n.1, p.9-43, jan./jun. 2001.

PEREIRA, Lígia Maria Leite. Algumas reflexões sobre histórias de vida, biografias e autobiografias. Revista Brasileira de História Oral, São Paulo, n.3, p.117-127, jun. 2000.

REIS, Osvaldo. Maringá: a História em conta-gotas. 2.ed. Maringá: Gráfica Primavera, 2004.

POLLAK, Michel. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v.2, n.3, p.3-15, 1989.

REVISTA A PIONEIRA. O retrato do Norte do Paraná. Londrina: Empresa de Propaganda e Publicidade “A Pioneira”, n.7, jul./ago. 1950.

SILVA, Zélia Lopes da. Arquivos, patrimônio e memória: trajetórias e perspectivas / organizadora. São Paulo: Editora UNESP: FAPESP, 1999 (Seminários & Debates).

VIDAL, Diana Gonçalves. Cultura e práticas escolares: uma reflexão sobre documentos e arquivos escolares. In: SOUZA, Rosa; VALDEMARIN, Vera T. (Org.). A cultura escolar em debate: questões conceituais, metodológicas e desafios para a pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2005. p.3-30.

Downloads

Como Citar

RODRIGUES, A. S.; ROSSI, E. R. Educação de jovens e adultos: memórias do grupo escolar noturno Visconde de Nácar em Maringá (1947-1958). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 9, n. 35, p. 29–47, 2012. DOI: 10.20396/rho.v9i35.8639612. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639612. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos