“Educar para enriquecer”: o liberal desenvolvimentismo, o projeto tecnocrático e a educação pública na Bahia (1940-1970)

Autores

  • Antonia Almeida Silva UEFS
  • Maria Cristina Dantas Pina UESB

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v9i36.8639640

Palavras-chave:

Modernização. Estado. Tecnocracia. Políticas públicas

Resumo

Neste trabalho tematizamos as políticas públicas para a educação na Bahia face aoprocesso de industrialização deflagrado a partir do final da década de 1940, o qual seconsubstanciou num movimento que denominamos de modernização conservadora. Nessaanálise os espaços de interseção entre o Estado e os sujeitos implicados nos processoseducacionais é parte central da opção por assinalar as séries de eventos quecircunstanciaram as dinâmicas educacionais do período, num esforço de abordagem daspolíticas públicas de uma perspectiva política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonia Almeida Silva, UEFS

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, Professora Adjunta do Departamento de Educação da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), atuando na área de Política Educacional e na linha História das Políticas Públicas em Educação.

Maria Cristina Dantas Pina, UESB

Doutora em Educação pela Universidade de Campinas – SP, Professora Adjunta da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), atuando na área de História da Educação com ênfase em História do Ensino de História, vinculada ao grupo de pesquisa do Museu Pedagógico da UESB.

Referências

AGUIAR, M. P. de. Notas sobre o “enigma baiano”. Salvador, Bahia: Edições da CPE (Comissão de Planejamento Econômico) n. 3; Livraria Progresso Editora, 1958.

ALMEIDA, S. B. de. Escola Parque: paradigma escola (1947-1951). 1988. 156 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, 1988.

ALVES, Ma H. M. Estado e oposição no Brasil (1964-1984). 4a ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

BAHIA. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA. Alguns indicadores da situação educacional do estado da Bahia. Salvador: SEC/IAT, 1988 (parte integrante do PLANDEBA).

BOAVENTURA, E. M. Síntese e fundamentação do Plano Estadual de Educação da Bahia – 1978-1981. Planejamento. Salvador, 6 (3), p. 323-334, jul./set, 1978.

BRITTO, L. N. Educação na Bahia: propostas, realizações e reflexões. São Paulo: T. A. Queiroz; Salvador, Ba: Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia; Brasília, DF: INEP; [S.L.]: OEA. Coletânea Navarro de Britto, 1991, vol. 1.

CRUZ, R. C. da. A inserção de Feira de Santana (BA) nos processos de integração produtiva e de desconcentração econômica nacional. 1999. 334 f. Tese (Doutorado em Economia) - Instituto de Economia da UNICAMP-Campinas, SP, 1999.

DANTAS NETO, P. F. “Surf” nas ondas do tempo: do carlismo histórico ao carlismo pós-carlista. Caderno CRH. Salvador: UFBa, n° 39, p. 213-255, jul/dez, 2003.

FRIGOTTO, G. A produtividade da escola improdutiva. 3a ed. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1989.

GANDINI, R. P. C. Tecnocracia, capitalismo e educação em Anísio Teixeira (1930-1935). Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

GUIMARÃES, A. S. Formação e crise da hegemonia burguesa na Bahia. 144 f 2003. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia - UFBA. Salvador, Bahia, 2003.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. A educação no estado da Bahia: repertório estatístico comemorativo do IV Centenário da Cidade do Salvador. Rio de Janeiro: Serviço Gráfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 1949.

MENSAGEM DO GOVERNADOR OTÁVIO MANGABEIRA À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, Diário Oficial do Estado, 05 de janeiro de 1949.

NAGLE, J. Educação e sociedade na primeira república. São Paulo: EPU; Rio de Janeiro: Fundação Nacional de Material Escolar, 1974.

OLIVEIRA, F. O elo perdido: classe e identidade de classe na Bahia. São Paulo: Perseu Abramo, 2003.

PAIVA, V. Educação popular e alfabetização de adultos. 5a ed. São Paulo: Loyola, 1987.

SILVA, Antonia Almeida. As políticas públicas para a educação básica na Bahia nos anos 90: propostas e ações nas gestões de Antonio Carlos Magalhães e Paulo Souto (1991-1998). 2007, 243 f. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

TAVARES, L. H. D. História da Bahia. 10a ed. São Paulo: Editora UNESP: Salvador, BA: EDUFBA, 2001.

TEIXEIRA, A. S. O ensino no Estado da Bahia 1924-1928 – Relatório. Bahia, Imprensa Oficial do Estado, 1928.

VIANA FILHO, L. Prefácio. In: BRITO, L. N. de. Educação na Bahia: propostas, realizações e reflexões. São Paulo: T. A. Queiroz; Salvador, Ba: Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia; Brasília, DF: INEP; [S. L]: OEA, 1991.

Downloads

Como Citar

SILVA, A. A.; PINA, M. C. D. “Educar para enriquecer”: o liberal desenvolvimentismo, o projeto tecnocrático e a educação pública na Bahia (1940-1970). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 9, n. 36, p. 57–69, 2012. DOI: 10.20396/rho.v9i36.8639640. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639640. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)