As primeiras letras e a instrução secundária na província da Parahyba do norte: ordenamentos e a construção da nação. 1836-1884

  • Antonio Carlos Ferreira Pinheiro Universidade Federal da Paraíba
  • Cláudia Engler Cury Universidade Federal da Paraíba
  • Mauricéia Ananias Universidade Federal da Paraíba
Palavras-chave: Instrução primária. Práticas ordenadoras na Paraíba. Instrução secundária

Resumo

Este texto é fruto de um trabalho que vem sendo desenvolvido coletivamente porpesquisadores que têm se dedicado, mais particularmente, à história da educação paraibanano século XIX. Para tanto, o grupo de pesquisa tem trabalhado com a documentaçãoencontrada no Arquivo Público da Paraíba, vinculado à Fundação Espaço Cultural –FUNESC, no Instituto Histórico e Geográfico Paraibano - IHGP, a legislação que foipublicada na Coleção Documentos da Educação Brasileira, em 2004, bem como asmensagens dos presidentes de província encaminhadas à Assembléia Legislativa daParahyba do Norte. Além dessa documentação, o referido grupo tem também se debruçadosobre os jornais e sobre os textos de memorialistas. Este trabalho tem como objetivodiscutir o papel que tiveram as ações ordenadoras engendradas na Província da Parahybado Norte, no período de 1836 a 1884, relacionadas às cadeiras de primeiras letras e àinstrução secundária, esta última, marcadamente, institucionalizada a partir da criação doLyceu Parahybano (1836). Partimos do pressuposto que tais ações ordenadoras edisciplinadoras estiveram consorciadas às expectativas da intelectualidade(administradores públicos, professores, jornalistas, bacharéis, entre outros) que tinha comopropósito pensar e tentar efetivar politicamente as normatizações escolares, bem comopretendia que as práticas educativas pudessem contribuir com o processo de formação econsolidação do Estado-nacional brasileiro a partir das experiências que deveriamacontecer em escala provincial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Carlos Ferreira Pinheiro, Universidade Federal da Paraíba
Coordenador do HISTEDBR- PB e pesquisador do GHENO.
Cláudia Engler Cury, Universidade Federal da Paraíba
Coordenadora do GHENO e pesquisadora do HISTEDBR- PB.
Mauricéia Ananias, Universidade Federal da Paraíba
Pesquisadora do GHENO e do HISTEDBR-PB.

Referências

BARROSO, J. L. A instrucção publica no Brasil. Rio de Janeiro: B. L. Garnier, 1867.

BASTOS, M. H. C.; FARIA FILHO, L. M. (Org.). A escola elementar no século XlX. O método monitorial/mútuo. RS: Universidade de Passo Fundo/EDIUPF, 1999.

BRASIL. Lei de 1o de outubro de 1828. Dá nova forma às Câmaras Municipaes, marca suas attribuições, e o processo para a sua eleição, e dos Juizes de paz. CAMPANHOLE, A.; CAMPANHOLE, H.L. Constituições do Brasil. São Paulo: Atlas, 1981.

CUNHA, J. R. da. Colégio Nossa Senhora de Lourdes: Cajazeiras. João Pessoa, PB: A União, 2000.

CURY, C. E. Métodos de ensino e formas de controle sobre o cotidiano escolar na instrução pública da Parahyba do Norte (1835-1864). SCOCUGLIA, A. C.; MACHADO,

C. J. dos S. (Org.). Pesquisa e historiografia da educação brasileira. Campinas, Autores Associados, 2006.

CURY, C. E.; PINHEIRO, A. C. F. A Instrução Secundária na Província da Parahyba do Norte (1822– 1889): o Lyceu Parahybano. In: Anais do VII Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas – História, Sociedade e Educação no Brasil. Formato Digital. Campinas: UNICAMP, 2006.

CURY, C. E.; PINHEIRO, A. C. F. (Orgs.). Leis e regulamentos da instrução da Parahyba do Norte no período imperial. Coleção Documentos da educação brasileira [recurso eletrônico] – Dados eletrônicos- Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2004.

EGITO, P. H. T. do. A instrução feminina na capital da Província da Parahyba do Norte: O Colégio de Nossa Senhora das Neves (1858 – 1895). In: PINHEIRO, A. C. F.; FERRONATO, C. (Orgs.). Temas sobre a instrução no Brasil imperial (1822−1889). João Pessoa, PB: Universitária - UFPB, 2008.

FARIA FILHO, L. M. de. A legislação escolar como fonte para a História da Educação: uma tentativa de interpretação. In: ________(Org.). Educação, modernidade e civilização: fontes e perspectivas de análise para a história da educação oitocentista. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 1998.

FERNANDES, G. Composição de textos na escola brasileira: em busca de uma história. Do Ratio Studiorum aos manuais de estilo do final do século XIX. São Paulo, SP: FE/USP, 2006. (Tese de doutoramento)

GOMES, J. de P. C. A profissionalização dos professores na Parahyba do Norte (1834-1889). In: PINHEIRO, A. C. F.; FERRONATO, C. (Orgs.). Temas sobre a instrução no Brasil imperial (1822−1889). João Pessoa, PB: Universitária - UFPB, 2008.

GOUVÊA, M. de F. S. O império das províncias: Rio de Janeiro, 1822-1889. Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira, 2008.

HAIDAR, M. de L. M. O ensino secundário no Império brasileiro. São Paulo: Grijalbo, Editora da Universidade de São Paulo, 1972.

LESAGE, P. A pedagogia nas escolas mútuas do século XlX. BASTOS, M. H. C.; FARIA FILHO, L. M. de. Escola elementar no século dezenove: o método monitorial/ mútuo. Passo Fundo, RS: Ediupf, 1999.

MATTOS, I. R. de M. O tempo saquarema. A formação do Estado Imperial. São Paulo: Editora Hucitec, 2004.

MELLO, J. B. de. Evolução do ensino na Paraíba. João Pessoa, PB: Secretaria da Educação e Cultura; Conselho Estadual de Educação, 1996.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Discurso com que o prezidente da província da Paraíba do Norte, fez a abertura da sessão ordinária da Assembléa Provincial no mez de janeiro de 1837. Cidade da Paraíba, Typ. Paraibana, 1837.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatório apresentado á Assembléa Legislativa provincial pelo presidente da mesma província, o tenente coronel Frederico Carneiro de Campos, em 3 de maio de 1846. Pernambuco, Typ. Imparcial, por S. Caminha, 1841.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Exposição feita pelo tenente coronel de engenheiros Frederico Carneiro de Campos na de presidente de província ao exmo. vice-presidente della no acto de passar-lhe a administração da Presidencia em 16 março de 1848. Parahyba, Typographia de J.R. da Costa, Rua Direita no8, 1848.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatorio apresentado a Assembléa Legislativa Provincial da Parahyba do Norte pelo excellentissimo presidente da provincia, o bacharel João Antonio de Vasconcellos, em o 1.o de agosto de 1849. Parahyba, Typ. de José Rodrigues da Costa, 1849.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Exposição feita pelo dr. Antonio Coêlho de Sá e Albuquerque na qualidade de presidente da provincia da Parabyba [sic] do Norte no acto de passar a administração da provincia ao segundo vice-presidente, o excellentissimo senhor doutor Flavio Clementino da Silva Freire, em 29 de abril de 1853. Parahyba, Typ. de José Rodrigues da Costa, 1853.

PARAHYBA DO NORTE, Província. Relatorio apresentado á Assembléa Legislativa da provincia da Parahyba do Norte em 20 de setembro de 1858 pelo presidente, Henrique de Beaurepaire Rohan. Parahyba, Typ. de José Rodrigues da Costa, 1858.

SÁ, N. P., XAVIER, A. P. da S. Um olhar sobre a leitura e a escrita na cultura escolar de Mato Grosso (1837-1889). In: Anais do IV CBHE- Congresso Brasileiro de História da Educação: a educação e seus sujeitos na história. Goiânia: SBHE; UCG, 2006.

PINHEIRO, A. C. F. Da era das cadeiras isoladas à era dos grupos escolares na Paraíba. Campinas, SP: Autores Associados e Universidade de São Francisco. 2002.

PINTO, I. F. Datas e notas para a história da Paraíba (reprodução da edição de 1916), V.II, João Pessoa, PB: Ed. Universitária/UFPB, 1977.

ROCHA, S. P. da. Gente negra na Paraíba Oitocentista: população, família e parentesco espiritual. São Paulo, SP: UNESP, 2009.

Como Citar
Pinheiro, A. C. F., Cury, C. E., & Ananias, M. (1). As primeiras letras e a instrução secundária na província da Parahyba do norte: ordenamentos e a construção da nação. 1836-1884. Revista HISTEDBR On-Line, 10(37), 238-252. https://doi.org/10.20396/rho.v10i37.8639676
Seção
Artigos