Lar Betânia: O atendimento à infância abandonada em Maringá – PR

  • Ângela Mara de Barros Lara Universidade Estadual de Maringá
  • Tânia dos Santos Alvarez da Silva Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: Estado. Políticas Públicas. Educação. Direitos Sociais. Abrigos para crianças em situação social de risco

Resumo

O presente artigo discute as políticas públicas de atendimento à criança e ao adolescenteem situação social de risco, na cidade de Maringá-PR, por meio da história do Lar Betânia,um abrigo fundado em 1965, no sistema casa-lar. A instituição que, em muitos períodos desua história chegou a atender, simultaneamente, 100 crianças vive hoje, a possibilidade desucumbir diante da atual filosofia do Estado de priorizar a permanência do menor junto àfamília biológica e, na impossibilidade dessa convivência, encaminhá-lo para acolhimento,junto às famílias cadastradas e preparadas para atuarem como famílias temporárias. Estadiscussão só foi possível a partir do estudo dos pressupostos que evidenciam o papel doEstado e dos direitos sociais na sociedade em que vivemos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ângela Mara de Barros Lara, Universidade Estadual de Maringá
Professora Doutora do Departamento de Fundamentos da Educação da Universidade Estadual de Maringá.
Tânia dos Santos Alvarez da Silva, Universidade Estadual de Maringá

Professora Doutora do Departamento de Teoria e Prática da Educação da Universidade Estadual de Maringá.

Referências

ALMEIDA, A. R. S. A emoção na sala de aula. Campinas, São Paulo: Papyrus, 1999. (Coleção Papyrus Educação)

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei no 8.069/90, de 13 de junho de 1990. São Paulo: CBIA-SP, 1991.

FERREIRA, Maria Clotilde Rossetti. O apego e as reações da criança à separação da mãe. Mãe & Criança: separação e reencontro – observação em situação de grupo. São Paulo: Edicom, 1986.

JUSTUS, Maria Arlene Lima. Entidades Betânia – histórico. Maringá: Lar Betânia, s/d.

JUSTUS, Maria Arlene Lima. Estrelas do meu chão. Maringá: Gráfica Boaventura Ltda,1998.

LEITE, S. A. da S.; TASSONI, E. C. M. A afetividade em sala de aula: as condições de ensino e a mediação do professor. In: AZZI, R. G. ; SADALLA, A. M. F. da A. (orgs.) Dificuldades de aprendizagem no contexto psicopedagógico. Petrópolis: Vozes, 2001.

NETTO, José Paulo. As condições histórico-sociais da emergência do serviço social. In: NETTO, José Paulo. Capitalismo monopolista e serviço social. São Paulo: Cortez, 2006, p. 15-51.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos. A Interação das crianças com adultos e outras crianças: o papel das famílias, educadores e comunidade no desenvolvimento infantil. In: OLIVEIRA, Z. M. R. (org.). Educação Infantil: muitos olhares. São Paulo: Cortez, 2007.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Departamento de Ensino de 1o grau. Uma proposta para a Pré-Escola. Curitiba, 1990. 44p.

QUEIROGA, Fátima de Souza Maia . Educando para o coração – a afetividade na escola infantil. In: & VELANGA. Reflexões e Sugestões Práticas para Atuação na Educação Infantil. Campinas: Alínea Editora, 2008.

RODRIGUES, Silvia Adriana. Afetividade e Educação Infantil: o olhar walloniano. In: Anais do IX Congresso Nacional de Educação – EDUCERE e III Encontro Sul Brasileiro de Psicopedagogia. 26 a 29 de outubro de 2009 – PUCPR

TASSONI, E. C. M. Afetividade e aprendizagem: a relação professor aluno. Anuário 2000. GT Psicologia da Educação, Anped, setembro de 2000.

VEIGA, Cynthia Greive; FARIA, Luciano Mendes de. Infância no Sótão. Belo Horizonte: Autêntica,1999.

Como Citar
Lara, Ângela M. de B., & Silva, T. dos S. A. da. (1). Lar Betânia: O atendimento à infância abandonada em Maringá – PR. Revista HISTEDBR On-Line, 10(38), 92-103. https://doi.org/10.20396/rho.v10i38.8639692
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)