Banner Portal
História e cultura afro-brasileira e indígena nas escolas: uma reflexão necessária
PDF

Palavras-chave

Educação Escolar. Diversidade cultural. Exclusão. Inclusão

Como Citar

COLARES, Anselmo Alencar; GOMES, Marco Antonio de Oliveira; COLARES, Maria Lília Imbiriba Sousa. História e cultura afro-brasileira e indígena nas escolas: uma reflexão necessária. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 10, n. 38, p. 197–213, 2012. DOI: 10.20396/rho.v10i38.8639699. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639699. Acesso em: 15 jun. 2024.

Resumo

Diante da vigência da Lei 11.645/08 que prevê a obrigatoriedade da temática “História eCultura Afro-Brasileira e Indígena” nas escolas, acreditamos que se faz necessário areflexão permanente sobre seus propósitos, alcances e limites, especialmente levando-seem conta a forma como as temáticas abrangidas pela Lei são contempladas nos currículosdos cursos que formam os professores incumbidos de aplicá-la. Dessa forma, aoescrevermos este artigo objetivamos analisar historicamente o sentido da inclusão dessatemática nas salas de aula, em uma sociedade na qual os segmentos economicamentedominantes naturalizam as diferenças entre as classes sociais. Sendo a educação escolarum reflexo, em última instância, das correlações de forças existentes em uma dadasociedade, ela própria reflete os valores dominantes, bem como as suas contradições. Daíporque, pode servir tanto para a legitimidade das diferenças quanto para odesenvolvimento de propostas com vistas a superação dos mecanismos opressores quegeram as desigualdades.
https://doi.org/10.20396/rho.v10i38.8639699
PDF

Referências

ANTONIL, André João. Cultura e Opulência do Brasil por suas drogas e minas. São Paulo: Edusp, 2007.

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

DIAS, Romualdo. Imagens da ordem – a doutrina católica sobre autoridade no Brasil (1992-1933). São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1996.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 24. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. 6. ed., Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1988.

GRAMSCI, Antonio. Maquiavel, a política e o Estado moderno. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1988.

IANNI, Octavio. O colapso do populismo no Brasil. 4.ed., Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1988.

IANNI, Octavio. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchausen. 5 ed. São Paulo: Cortez, 1994

JAPIASSÚ, Hilton. MARCONDES, Danilo. Dicionário básico de filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 1996.

MARX, Karl, ENGELS, Friedrich. Manifesto do partido comunista. São Paulo: Cortez, 1998.

MELLO, Leonel Itaussu Almeida. John Locke e o individualismo liberal. In: WEFFORT, Francisco C. Os clássicos da política. vol. I São Paulo: Ática, 1999.

MACHADO, Lucília R. de Souza. Politecnia, escola unitária e trabalho. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1989.

MATOS, Olgária. Discretas esperanças: reflexões filosóficas sobre o mundo contemporâneo. São Paulo: Nova Alexandria, 2006.

MÉSZÁROS, István. O século XXI: socialismo ou barbárie? São Paulo: Boitempo Editorial, 2003.

MÉSZÁROS, István. O poder da ideologia. São Paulo: Boitempo Editorial, 2004.

MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2005.

NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na primeira República. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 1974.

PAIVA, José Maria de. Colonização e catequese, 1549-1600. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1982.

SALVADOR, Frei Vicente do. História do Brasil (1500-1627). 6. ed. São Paulo: Companhia Melhoramentos; Instituto Nacional do Livro, 1975, p. 82.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas: Autores Associados, 2003.

SILVA, Tomaz Tadeu. da. (org.). A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz Tadeu. da. (org.). Identidade e diferença : a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000. cap. 2, p. 73 -102. Sem fé, lei ou rei, Veja, 28 de abril de 2004.

TEIXEIRA, A.S. O Manifesto dos Pioneiros da educação nova. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos,1984, 65(150):407-425.

TEIXEIRA, A.S. Educação no Brasil. Rio de Janeiro, Editora UFRJ, 1999.

TEIXEIRA, Anísio. Educação não é privilégio. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1999.

WOOD, Ellen Meiksins. O que é agenda pós-moderna? In: WOOD, Ellen Meiksins; FOSTER, John Bellamy (orgs.). Em defesa da história: Marxismo e pós-modernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.