Trabalho e educação em documentos de políticas educacionais

Autores

  • Amélia Kimiko Noma (UEM)
  • Eliana Claudia Navarro Koepsel (UEM)
  • Edinéia Fátima Navarro Chilante (FAFIPA)

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v10i38e.8639751

Palavras-chave:

Trabalho e educação. Políticas educacionais. Documentos da UNESCO

Resumo

No presente texto, apresentamos elementos teóricos e metodológicos que podem subsidiara análise da relação entre trabalho e educação em documentos de política educacional.Ancoradas no método dialético, analisamos de que forma a relação em pauta é estabelecidaem três fontes primárias produzidas e divulgadas no âmbito da UNESCO. Explicitamosque, nestes documentos, a relação entre “trabalho e educação” aparece invertida etransmuta-se na relação entre “educação e trabalho”, na qual a educação passa a assumirum caráter instrumental de preparação para o mercado de trabalho. Expressam umaperspectiva histórica, política e ideológica, que traduz uma visão operacional eeconomicista da educação, pertinente ao contexto da mundialização do capital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amélia Kimiko Noma, (UEM)

Docente aposentada da Universidade Estadual de Maringá e do Programa de Pós-graduação em Educação. 

Eliana Claudia Navarro Koepsel, (UEM)

Docente da Universidade Estadual de Maringá.

Edinéia Fátima Navarro Chilante, (FAFIPA)

Docente da Universidade Estadual do Paraná.

Referências

CHESNAIS, François. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.

CHESNAIS, François. O capitalismo de fim de século. In: COGGIOLA, Osvaldo (Org.). Globalização e socialismo. São Paulo: Xamã, 1997. p. 7-33.

CHESNAIS, François. Mundialização: o capital financeiro no comando. Outubro, São Paulo, n. 5, p. 7-28, 2001.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Educação e contradição: elementos metodológicos para uma teoria crítica do fenômeno educativo. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1985.

DELORS, Jacques. Educação um tesouro a descobrir. 4. ed. São Paulo: Brasília, DF: MEC: UNESCO, 1999.

EVANGELISTA, Olinda. Apontamentos para o trabalho com documentos de política educacional. Disponível em: http://www.dfe.uem.br/texto.Olinda.PDF. Acesso em: 16 mar. 2009.

FIOD, Edna Garcia Maciel. A década de 90 e os rumos do ensino público. In: RAMPINELLI, Waldir José; OURIQUES, Nildo Domingos (Orgs.). No fio da navalha: críticas das reformas neoliberais da FHC. São Paulo: Xamã, 1997. p. 201-223.

GOHN, Maria da Glória Marcondes. A pesquisa da produção do conhecimento: questões metodológicas. Ecos - Revista Científica, v. 7, n. 2, p. 253 -274, jul./dez. 2005.

HARVEY, David. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. Tradução de Adail Ibirajara Sobral; Maria Stela Gonçalves. 8. ed. São Paulo: Loyola, 2003.

HOBSBAWN, Eric. Sobre história: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. 5. ed. Tradução de José Carlos Bruni e Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Hucitec, 1986.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Introdução Jacob Gorender. Tradução Luís Cláudio de Castro e Costa. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MARX. Karl. Miséria da filosofia. São Paulo: Ciências Humanas, 1982.

MESSINA, Graciela; PIECK, Enrique; CASTANEDA, Elsa. Educación y Trabajo: lecciones desde la práctica innovadora en América Latina. Santiago: OREALC/UNESCO, 2008.

MÉSZÁROS, István. O século XXI: socialismo ou barbárie? São Paulo: Boitempo, 2003.

MÉSZÁROS, István. O poder da ideologia, São Paulo: Boitempo, 2004.

MORAES, Reginaldo C. de. Neoliberalismo: de onde vem para onde vai? São Paulo: Editora SENAC, 2001.

NETTO, José Paulo; BRAZ, Marcelo. Economia política: uma introdução crítica. São Paulo: Cortez, 2006.

NORONHA, Olinda M. Políticas neoliberais, conhecimento e educação. Campinas: Alínea, 2002.

ROSEMBERG, Fúlvia. Educação formal, mulher e gênero no Brasil contemporâneo. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 9, n. 2, p. 515-540, 2001.

SANDRONI, Paulo. Novo dicionário de economia. 7. ed. São Paulo: Best Seller, 1994.

SAVIANI, Dermeval. A nova lei da educação: LDB trajetória, limites e perspectivas. 10. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2006.

SHIROMA, Eneida Oto; CAMPOS, Roselane Fátima; GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Decifrar textos para compreender a política: subsídios teórico-metodológicos para análise de documentos. Perspectiva, Florianópolis, v. 23, n. 2, p. 427-446, jul./dez. 2005.

VIEIRA, Sofia Lerche. Política(s) e gestão da educação básica; revisitando conceitos simples. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Porto Alegre: Anpae, v. 13, n. 1, p. 53-70, jan./jun. 2007.

UNESCO. A Unesco e a educação na América Latina e Caribe (1987-1997). Santiago-Chile: UNESCO-SANTIAGO, 1998.

UNESCO. A UNESCO no Brasil: consolidando compromissos. Brasília: UNESCO, 2004.

WCEFA- Declaração mundial sobre educação para todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. 1990. Disponível em: http://www.interlegis.gov.br. Acesso em: 4 fev. 2004.

Downloads

Como Citar

NOMA, A. K.; KOEPSEL, E. C. N.; CHILANTE, E. F. N. Trabalho e educação em documentos de políticas educacionais. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 10, n. 38e, p. 65–82, 2012. DOI: 10.20396/rho.v10i38e.8639751. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639751. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos