Manuais didáticos de ensino de língua e literatura na modernidade: gênese e desenvolvimento histórico

  • Ana Aparecida Arguelho de Souza Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Manuais didáticos. Educação. História

Resumo

O presente trabalho resulta da investigação de instrumentos didáticos na prática educativaescolar e vincula-se ao Programa de Pesquisa O manual didático como instrumento detrabalho nas escolas secundária e normal (1835-1945), desenvolvido pelo gruporegional HISTEDBR/MS, coordenado pela Profa. Dra. Sílvia Helena Andrade de Brito(UFMS) e financiado pelo CNPQ. Trata-se de pesquisa de ampla extensão, que intentaapreender elementos internos e externos a instrumentos didáticos de língua e literaturareveladores do percurso que estes cumpriram historicamente e da sua função social nointerior da sociedade moderna. Por tal razão, a investigação vem sendo desenvolvida pormeio de recortes temporais. Para fins deste trabalho, limita-se às obras traduzidas para oportuguês, de Wolfgang Ratke – séculos XVI e XVII e João Amós Comenius – séculoXVII, no que respeita, estritamente, aos instrumentos de leitura mencionados nas obrasexaminadas. A partir desse material, procurou-se reconstituir a gênese dos manuaisdidáticos contemporâneos, bem como a tarefa histórica que tais instrumentos cumprem nasociedade moderna. O estado da arte sobre manuais didáticos demonstra lacunas no querespeita à dimensão histórica e à tarefa que cumpriram os instrumentos de leitura naconstrução e manutenção do capitalismo. Por isso, o objetivo aqui é, assentando apesquisa em uma base histórica, contribuir com a superação dessa lacuna, questionando ouso massivo e os limites desse instrumento para a atualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Aparecida Arguelho de Souza, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Professora e pesquisadora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Doutora em Letras pela UNESP – campus Assis e Mestre em Educação pela UFMS – Campo Grande.

Referências

ABAURRE, Maria Luiza e outros. Português, língua e literatura (volume único). São Paulo: Moderna, s/d.

ALVES, Gilberto Luiz. A produção da escola pública contemporânea. Campo Grande: UFMS; Campinas: Autores Associados, 2001.

ALVES, Gilberto Luiz. O pensamento burguês no Seminário de Olinda (1800 - 1836). Ibitinga - São Paulo: Humanidades, 1993.

ALVES, Gilberto Luiz e CENTENO, Carla Villamaina. A Produção de Manuais Didáticos de História do Brasil: remontando ao século XIX e início do século XX . Revista Brasileira de Educação. Set/Dez. v.14, n. 42, 2009.

ARISTÓTELES. Poética. Tradução, prefácio, introdução, comentário e apêndices de Eudoro de Sousa. 7.ed., Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2003. (Estudos Gerais. Série Universitária. Clássicos da Filosofia).

COMENIUS, João Amós. Tratado universal de ensinar tudo a todos. Introdução, tradução e notas de Joaquim Ferreira Gomes. 3. ed. Lisboa. Calouste Gulbenkian, 1985.

COMENIUS, João Amós. Pampedia. (Selección de textos). Publicação eletrônica. Sítio acessado em 29 de agosto de 2008: http://www.uned.es/manesvirtual/Historia/Comenius/Pampaedia.html

FREITAS, M. T. de Assunção. Leitores e escritores de um novo tempo. In: FREITAS, Maria Tereza A. e COSTA, Sérgio Roberto. (Orgs.) Leitura e escrita na formação de professores. São Paulo: Musa Editora, 2002.

GOMES, Ferreira Joaquim. Introdução – Orbis sensualium pictus. In: COMENIUS, João Amós. Tratado universal de ensinar tudo a todos. Introdução, tradução e notas de Joaquim Ferreira Gomes. 3. ed. Lisboa. Calouste Gulbenkian, 1985.

LOCKE, Jonh. Segundo tratado sobre o governo. São Paulo: Abril Cultural, 1973 (Col. Os Pensadores).

LUKÁCS, George. A teoria do romance: um ensaio histórico-filosófico sobre as formas da grande épica. Tradução de José Marques Mariani de Macedo. São Paulo: Duas Cidades / Edições 34, 2000.

PETRÔNIO. Satiricon. São Paulo. Círculo do Livro, s.d.

RATKE, Wolfgang. A nova arte de ensinar: (1571 - 1635) textos escolhidos. Apresentação, tradução e notas de Sandino Hoff. Campinas: Autores Associados, 2008. (Coleção Clássicos da Educação).

SILVA, Ezequiel Theodoro da. Leituras aventureiras. São Paulo: Global Editora, 2008. (Coleção Leitura e formação).

SILVA, Ezequiel Theodoro da. Leitura e realidade brasileira. 2.ed., Porto Alegre: Mercado Aberto, 1985.

SILVA, Lilian L. M. “... Às vezes ela mandava ler dois ou três livros por ano”. In: GERALDI. O texto em sala de aula: leitura & produção. 2. ed., Cascavel: Assoeste, 1984, p. 71.

SMOLKA, Ana Luiza B. A criança na fase inicial da escrita. 4. ed., São Paulo: Cortez, 1991, p.17.

SMITH, Adam e outros. Economistas políticos. Tradução e organização e comentários de Pedro Alcântara Figueira. São Paulo: Musa Editora; Curitiba: Segesta Editora, 2001.

SOUZA, Ana Aparecida Arguelho de. Manuais didáticos: formas históricas e alternativas de superação. In: BRITO, Silvia Helena Andrade de; CENTENO, Carla Villamaina;

LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval (orgs). A organização do trabalho didático na História da Educação. Campinas: Autores Associados.

TERRA, Ernani & DE NICOLA, José. Português de olho no mundo do trabalho (volume único). São Paulo: Scipione, 2004. (Coleção De olho no mundo do trabalho).

ZILBERMAN, Regina. (org.). Leitura em crise na escola: as alternativas do professor. São Paulo: Mercado Aberto, 1982.

ZILBERMAN, Regina. (org.). Respondendo em forma de proposta. In: ZILBERMAN e SILVA. Literatura e pedagogia. SP: Global; ALB – Associação de Leitura do Brasil, 2008.

Como Citar
Souza, A. A. A. de. (1). Manuais didáticos de ensino de língua e literatura na modernidade: gênese e desenvolvimento histórico. Revista HISTEDBR On-Line, 10(37e), 6-19. https://doi.org/10.20396/rho.v10i37e.8639777
Seção
Artigos