Banner Portal
História comparada do município pedagógico no Brasil e em portugal: os casos de Uberabinha e Mafra
PDF

Palavras-chave

Brasil. Portugal. Município Pedagógico. Educação. República

Como Citar

CARVALHO, Carlos Henrique de; CARVALHO, Luciana Beatriz de Oliveira Bar de. História comparada do município pedagógico no Brasil e em portugal: os casos de Uberabinha e Mafra. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 10, n. 40, p. 49–59, 2012. DOI: 10.20396/rho.v10i40.8639805. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639805. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

centrou-se no período da primeira República brasileira. Esse recorte se justifica porque a mudança de regime de governo (monárquico para republicano) ocorreu nos dois países, assim como um debate intenso sobre a expansão do ensino público na esfera municipal; prova disso são os numerosos decretos e as leis relativos à necessidade de se implantar a escola pública nas duas cidades. No caso do Brasil, o marco cronológico inicial é 1888 — ano em que Uberabinha se emancipou politicamente de Uberaba — e o final é 1928 — ano de publicação dos últimos decretos que criaram a reforma educacional Francisco Campos, em Minas Gerais. No caso de Portugal, o período (1888–1927) começa no fim da monarquia — em parte, porque a República portuguesa só começou em 1910; em parte porque foi quando a expansão do ensino público começou e quando o processo de municipalização iniciado em 1870 avançou. A data-limite é 1927 porque nesse ano o ensino primário passou por uma reforma curricular; em Mafra, ela começou em 26 de outubro de 1928, quando o decreto 16.077 foi publicado em conseqüência do relatório da comissão criada para alterar os programas curriculares do ensino primário.

https://doi.org/10.20396/rho.v10i40.8639805
PDF

Referências

BRAY, Mark; THOMAS, R. Murray. Níveis de comparação em estudos educacionais: diversidade de percepções a partir de diferentes literaturas e o valor das análises em multiníveis. Contemporaneidade e Educação, v. 7, p. 127, 1o sem. 2000.

CIPOLLA, Carlo M. Instrução e desenvolvimento no Ocidente. Lisboa: Ulisseia, 1969.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Legislação educacional brasileira. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

FERREIRA, António Gomes. Percurso da educação comparada: evolução e construção de identidade. Revista Portuguesa de Pedagogia, n. XXXIII, v. 1, 1999.

LOURENÇO, Eduardo. A nau de Ícaro seguido de imagem e miragem da lusofonia. Lisboa: Gradiva, 1999.

MAGALHÃES, Justino Pereira de. Tecendo nexos: história das instituições educativas. Bragança Paulista: ed. Universitária São Francisco, 2004.

NÓVOA, António. Tempos da escola no espaço Portugal–Brasil–Moçambique: dez digressões sobre um programa de investigação. In: NÓVOA, António; SCHRIEWER, Jürgen (Ed.). A difusão mundial da escola: alunos–professores–currículo–pedagogia. Lisboa: Educa, 2000.

VIEIRA, Flávio César Freitas. Movimentos Educacionais em Uberabinha: Entusiasmo pela Educação e Otimismo Pedagógico (1919 a 1930). SEMINÁRIO NACIONAL DE

ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA, SOCIEDADE E EDUCAÇÃO NO BRASIL, 5., 2001, Campinas. Anais... Campinas: FE-UNICAMP, 2001, CD-ROM.

VIEIRA, Maria do Pilar de Araújo. A pesquisa em História. São Paulo, Ática, 1995.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.