Um legado do século XX para a política educacional do século XXI: a teoria do capital humano

Autores

  • Letícia Carneiro Aguiar Universidade do Sul de Santa Catarina - Unisul

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v10i40.8639810

Palavras-chave:

Educação e Desenvolvimento. Política Educacional. Teoria do Capital Humano

Resumo

O artigo analisa os referenciais teóricos da política educacional brasileira na década de 1960, relacionando-os com os referenciais adotados pela mesma na atualidade. Intenciona demonstrar como algumas configurações estabelecidas para a educação naquela década ainda constituem um legado educacional que persiste nas políticas educacionais dos anos de 1990. Novamente há uma recuperação do raciocínio economicista para justificar os ajustes e reformas que atingem as políticas públicas, sendo mantidas matrizes teóricas que reforçam as noções de desenvolvimento como progresso, aliado ao investimento em recursos humanos, e o binômio educação e desenvolvimento é colocado na centralidade das políticas educativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Carneiro Aguiar, Universidade do Sul de Santa Catarina - Unisul

Professora de Tempo Integral na Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL, lecionando em cursos de graduação e pós-graduação, sendo Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/Curso de Mestrado. 

Referências

AGUIAR, Letícia Carneiro. Política educacional e a criação do curso de Pedagogia em Santa Catarina. Palhoça: Editora da Unisul, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas. Assistência Técnica aos Estados no campo da Educação. CEOSEs, Brasília: MEC/INEP, 1967.

CRUZ, Marta Vieira. Brasil nacional-desenvolvimentista (1946-1964). Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/artigos_titulos.html. Acesso em: 15 maio 2008.

CUNHA, Luiz Antonio. Educação e desenvolvimento social no Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1980.

DALE, Roger. Globalização e educação: demonstrando a existência de uma “cultura educacional mundial comum” ou localizando uma “agenda globalmente estruturada para a educação”. Educação, Sociedade & Culturas, Porto, n.16, p.133-169, 2001.

DUTRA, A.; PEREIRA, Luzete Adelaide; AURAS, Marli. O avanço progressivo: uma proposta pedagógica de avaliação do rendimento escolar distintiva da reorganização do ensino em Santa Catarina. Cadernos do CED, Florianópolis, Ano I, n. 1⁄2, 1984.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA – FIESC. Documento Básico do Seminário Sócio-Econômico. Florianópolis: Biblioteca da FIESC, 1960.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. São Paulo: Cortez, 1995.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Os delírios da razão: crise do capital e metamorfose conceitual no campo educacional. In: GENTILI, Pablo (Org.). Pedagogia da exclusão: o neoliberalismo e a crise da escola pública. Petrópolis: Vozes, 1997.

GIDDENS, Anthony. A Terceira Via. Reflexões sobre o impasse político atual e o futuro da social-democracia. Tradução de Maria Luiza Borges. Rio de Janeiro: Record, 2001.

GOULARTI FILHO, Alcides. Formação econômica de Santa Catarina. Florianópolis: Cidade Futura, 2002.

LEITE, Márcia de Paula. Qualificação, desemprego e empregabilidade. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v.11, n.1, jan./mar. 1997, p. 64-69.

LIMA, Kátia Regina de Souza. Contra-reforma na educação superior: de FHC a Lula. São Paulo: Xamã, 2007.

LIMA, Kátia Regina de Souza, MARTINS, A. S. Pressupostos, princípios e estratégias. In: NEVES, Lúcia M.W. (Org). A nova pedagogia da hegemonia. Estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005, p. 43-68.

MARTINS, André Silva. Burguesia e a nova sociabilidade: estratégias para educar o consenso no Brasil Contemporâneo. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2007.

MICHELS, Ido Luiz. Crítica ao modelo catarinense de desenvolvimento. Campo Grande: Editora da UFMS, 1998.

MOTTA, Daniela. A formação de professores a distância para a nova sociabilidade: análise do “Projeto Veredas” de Minas Gerais. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2008.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Educação básica: gestão do trabalho e da pobreza. Petrópolis: Vozes, 2000.

OLIVEIRA, Dalila Andrade; DUARTE, Adriana. Política educacional como política social: uma nova regulação da pobreza. Perspectiva, Florianópolis, v. 23, n. 2, p. 279-301, 2005.

OLIVEIRA, Ramon de. A teoria do capital humano e a educação profissional brasileira. Boletim Técnico do SENAC, Rio de Janeiro, v. 27, n. jan./abr., p. 26-37, 2001.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. OCDE. Avaliação de Políticas Nacionais de Educação – Estado de Santa Catarina, Brasil. 2010.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. PNUD. Informe Regional sobre Desarrollo Humano para América Latina y el Caribe. Actuar sobre el futuro, romper la transmisión intergeneracional de la desigualdad. 2010. Disponível em: http://www.idhalc-actuarsobreelfuturo.org/site/index.php. Acesso em: nov. 2010.

ROMANELLI, Otaíza. História da Educação no Brasil (1930-1975). 27. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

SAVIANI, Dermeval. Educação: do senso comum à consciência filosófica. 5. ed. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1985.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica. São Paulo: Autores Associados, 2005.

SANTA CATARINA. Governador Celso Ramos: 1961/1966. Mensagens Anuais apresentadas à Assembléia Legislativa, 4a e 5a, em 15 de março de 1965. Florianópolis, 1965, p. 13.

SANTA CATARINA. Sobre as Condições do Processo Educacional de Santa Catarina. Florianópolis: FESC/UDESC/FAED/CEPE, 1967.

SANTA CATARINA. Programa de Governo do Estado de Santa Catarina. Florianópolis, v. II (separata), n. 5 - Educação, mar. 1969a.

SANTA CATARINA. Plano Estadual de Educação 1969-1980. Florianópolis, 1969b.

SCHULTZ, Theodoro W. O valor econômico da educação. Rio de Janeiro: Zahar, 1962.

WARDE, Miriam Jorge. Educação e estrutura social: a profissionalização em questão. 2. ed. São Paulo: Cortez & Moraes, 1984.

Downloads

Como Citar

AGUIAR, L. C. Um legado do século XX para a política educacional do século XXI: a teoria do capital humano. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 10, n. 40, p. 126–144, 2012. DOI: 10.20396/rho.v10i40.8639810. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639810. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos