A nova pedagogia da hegemonia e a inclusão social

Autores

  • Leonardo Docena Pina Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v11i43.8639940

Palavras-chave:

Inclusão social. Ideologia. Hegemonia

Resumo

O presente artigo busca refletir sobre as implicações ideológicas da inclusão social. Para isso, analisa a função educativa de conceitos como “sociedade inclusiva”, “empresa inclusiva”, “acessibilidade” e “equiparação de oportunidades”. O texto situa a inclusão social como uma ideologia, que afirma a viabilidade de um capitalismo de face humanizada, e que se constitui como um desdobramento das políticas hegemônicas do neoliberalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Docena Pina, Universidade Federal de Juiz de Fora

O autor é mestre em Educação (UFJF), professor de educação física da Rede Pública Municipal de Ensino de Juiz de Fora/MG e integrante do Núcleo de Estudos sobre Trabalho e Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Referências

ANDERSON, Perry. Além do neoliberalismo. In: GENTILI, Pablo; ANDERSON, Perry. Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. 4. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1998.

BUARQUE, Cristóvam. O colapso da modernidade brasileira: e uma proposta alternativa. São Paulo: Paz e Terra, 1991.

CHAUÍ, Marilena. Escritos sobre a universidade. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

COSTA, Áurea de Carvalho. Anônimas odisséias: a dupla destituição do direito à educação e ao trabalho na infância e na vida adulta. São Paulo: Anna Blume, 2005.

DUARTE, Newton. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Campinas: Autores Associados, 2003.

EAGLETON, Terry. Depois da teoria: um olhar sobre os estudos culturais e o pós-modernismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

FONTES, Vigínia. Reflexões im-pertinentes: história e capitalismo contemporâneo. Rio de Janeiro: Bom texto, 2005.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A nova e a velha faces da crise do capital e o labirinto dos referenciais teóricos. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria (orgs.). Teoria e educação no labirinto do capital. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Vol 1. Introdução ao estudo da filosofia. A filosofia de Benedetto Croce. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Vol. 3. Maquiavel. Notas sobre o Estado e a política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

GUIDDENS, Anthony. A terceira via: reflexões sobre o impasse político atual e o futuro da social-democracia. 4. ed. Rio de Janeiro: Record, 2001a.

GUIDDENS, Anthony. A terceira via e seus críticos. Rio de Janeiro: Record, 2001b.

GUIDDENS, Anthony. Para além da esquerda e da direita: o futuro da política radical. São Paulo: Editora da UNESP, 1996.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. Uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 16. ed. São Paulo: Loyola, 2007.

LANCILLOTTI, Samira Saad Pulchério. Deficiência e Trabalho. Campinas: Autores Associados, 2003.

LEHER, Roberto. Prefácio. Uma penetrante perspectiva teórica para compreender como os dominantes dominam. In: NEVES, Lúcia Maria Wanderley (org.). A direita para o social e esquerda para o capital: intelectuais da nova pedagogia da hegemonia no Brasil. São Paulo: Xamã, 2010.

MARTINS, André Silva. A direita para o social: a educação da sociabilidade no Brasil contemporâneo. Juiz de Fora: Editora da UJFJ, 2009.

MARTINS, André Silva. O Estado educador e a Nova Pedagogia da Hegemonia. Juiz de Fora: 2010 (mimeo).

MARTINS, Andre Silva; NEVES, Lúcia Maria Wanderley. A nova pedagogia da hegemonia e a formação/atuação de seus intelectuais orgânicos. In: NEVES, Lúcia Maria Wanderley (org.). A direita para o social e esquerda para o capital: intelectuais da nova pedagogia da hegemonia no Brasil. São Paulo: Xamã, 2010.

MCLAREN, Peter; FARAHMANDPUR, Ramin. Pedagogia revolucionária na globalização. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

MÉSZÁROS, István. O poder da ideologia. São Paulo: Boitempo, 2004.

NEVES, Lúcia Maria Wanderley (org.). A nova pedagogia da hegemonia: estratégias da burguesia brasileira para educar o consenso na atualidade. São Paulo: Xamã, 2005.

NEVES, Lúcia Maria Wanderley (org.). Direita para o social e esquerda para o capital: intelectuais da nova pedagogia da hegemonia no Brasil. São Paulo: Xamã, 2010.

OLIVEIRA, Avelino da Rosa. Marx e a exclusão. Pelotas: Seiva, 2004a.

OLIVEIRA, Avelino da Rosa, (2004b). Sobre o alcance teórico do conceito “exclusão”. Civitas, v.4, n.1, p.1-30.

PINA, Leonardo Docena; MARTINS, André Silva, (2010). Implicações da crise capitalista no campo teórico: pós-modernidade e exclusão social das pessoas com deficiência. Trabalho necessário, v.10, p.1-29.

PLATT, Adreana Dulcina. O paradigma inclusivo das políticas educacionais e o paradigma excludente das políticas econômicas nos anos 90: o constructo sócio-conceitual da normalidade/anormalidade (ou adequação social). Tese (Doutorado em Educação). Campinas: Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2004.

SANCHEZ, Pilar Arnaiz, (2005). A educação inclusiva: um meio de construir escolas para todos no século XXI. In: Inclusão. Revista da Educação especial. v.1, n.1, p.7-18.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão. Construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1999.

SASSAKI, Romeu Kazumi, (2005). Inclusão: o paradigma do século XXI. Inclusão. Revista da Educação especial. v. 1, n. 1, p.19-23.

Downloads

Como Citar

PINA, L. D. A nova pedagogia da hegemonia e a inclusão social. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 11, n. 43, p. 237–253, 2012. DOI: 10.20396/rho.v11i43.8639940. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639940. Acesso em: 24 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos