Sendas da escolarização feminina no Pará

Autores

  • Clarice Nascimento de Melo Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v11i43e.8639955

Palavras-chave:

Mulheres. Escolarização. Formação docente

Resumo

A escolarização de mulheres no Pará do final do século XIX é o objeto deste texto. A partir de jornais diários, de publicações periódicas e da legislação local, procurou-se os sinais dos modos como foram pensadas e vivenciadas as diferentes formas de inserção de mulheres, educandas e educadoras, na escola paraense. Apresentam-se vestígios da participação feminina na educação, feita de consensos e transgressões, que culminou na sua ampliação, sob efeito das alterações na configuração da escola imperial e republicana. Analisam-se os primeiros momentos em que a escolarização de meninas foi praticada, de modo diferenciado da escolarização masculina, e em seguida relacionar a ascensão numérica das n na escola em conjunto com as representações do feminino construídas nesse tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clarice Nascimento de Melo, Universidade Federal do Pará

Professora Adjunta da Universidade Federal do Pará, exercendo atividades de ensino e pesquisa no curso de graduação de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Currículo e Gestão da Escola Básica - PPEB .

Referências

A CONSTITUIÇÃO. Relatório do visitador das escolas publicas da província. Belém, 25 de janeiro de 1876, p. 1.

A CONSTITUIÇÃO. Festa Litteraria. Belém, 28 de novembro de 1876, pp.1-2.

A CONSTITUIÇÃO. Collegio de Santa Izabel em Cametá. Belém, 22 de dezembro de 1877, p. 3.

A ESCOLA. Belém, Ano 1, no 2, mai. 1900

A ESCOLA. Belém, Ano 1, no 03, jun. 1900

A ESCOLA. Belém, Ano 1, n° 4, jul.1900

A ESCOLA. Belém, Ano 1, no 03, jun. 1900.

A ESCOLA. Belém, Ano 2, no. 18. set. 1901

ALMEIDA, Jane Soares de. Mulher e educação: a paixão pelo possível. São Paulo: Fundação da Editora da UNESP, 1998.

CANCELA, Cristina Donza. Casamento e relações familiares na economia da borracha (Belém, 1870-1920). São Paulo-SP. 2006 Tese (Doutorado em História Econômica) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

CHAMON, Magda. Trajetória de feminização do magistério: ambigüidades e conflitos. Belo Horizonte: Autêntica/FCH-FUMEC, 2005.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: DIFEL, 1988.

CHARTIER, Roger. Diferença entre os sexos e dominação simbólica. Tradução de Sheila Schvarzman. Cadernos Pagu. Fazendo história das mulheres. n. 4. Campinas, UNICAMP, 1995.

COSTA, Suely Gomes. Gênero e história. In: ABREU, Martha & SOIHET, Rachel. Ensino de história. Conceitos, temáticas e metodologia. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003. p. 187-208.

CRUZ, Ernesto. História do Pará. Belém: Governo do Estado do Pará, 1973.

DEL PRIORE, Mary. História das mulheres. As vozes do silêncio. In: FREITAS, Marcos Cezar de. (Org.). Historiografia brasileira em perspectiva. São Paulo: Contexto, 1998. p.217-236.

DEL PRIORE, Mary. Mulheres no Brasil colonial. São Paulo: Contexto, 2003.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Instrução elementar no século XIX. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes de; VEIGA, Cynthia Greive. 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. p. 135-150.

FRAISSE, Geneviève; PERROT, Michelle. Introdução: ordens e liberdades. In: DUBY, George; PERROT, Michelle. (Org.). História das mulheres. Tradução de Cláudia Gonçalves e Egito Gonçalves. Vol. 4. O século XIX. Porto: Afrontamento, 1994, p. 9-15.

GASPARELLO, Arlete; VILLELA, Heloisa de Oliveira Santos. O discurso educacional no século XIX: a nova pedagogia em questão. In: Anais do Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação: Percursos e desafios da pesquisa e do ensino de História da Educação. Uberlândia – MG, Abril/2006.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1992.

LOPES, Eliane Marta Teixeira. História da educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

MACHADO, Maria Cristina Gomes. O Decreto de Leôncio de Carvalho e os pareceres de Rui Barbosa em Debate: A criação da escola para o povo no Brasil do século XIX. In: STEPHANOU, Maria; BASTOS, Maria Helena Câmara (org.) Histórias e memórias da educação no Brasil, vol. II: século XIX. Petrópolis, RJ:Vozes, 2005. p. 91-103.

MALUF, Marina; MOTT, Maria Lúcia. Recônditos do mundo feminino. In: SEVCENKO, Nicolau (org.) História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

MEIRA, Octávio. A primeira República no Pará. Desde o crepúsculo da Monarquia até o golpe de Estado de 1891, vol.1. Belém, Falângola, 1981.

MORAIS, Maria Arisnete Câmara de. A leitura de romances no século XIX. In: Cadernos CEDES, ano XIX, no 45, julho/1998. p.71-85.

NÓVOA, António. A imprensa de educação e ensino. In: CATANI, Denice Bárbara;

BASTOS, Maria Helena Câmara (org.). Educação em revista - A imprensa periódica e a educação. São Paulo: Escrituras, 1997. p.11-32.

O LIBERAL DO PARÁ. Estatística. Belém, 09 de novembro de 1873.

O LIBERAL DO PARÁ. Instrucção Pública. Belém, 25 de março de 1882, p.1.

O LIBERAL DO PARÁ. Os partos do contubernio dos srs. senador Siqueira Mendes e desembargador Barradas. Ensino publico – Escolas. Belém, 09 de fevereiro de 1887, p.1.

O LIBERAL DO PARÁ. Discurso presidencial. Collegio do Amparo. Belém, 02 de março de 1889, p.2.

PALLARES-BURKE, Maria Lúcia Garcia. Educação das massas: uma “sombra” no século das luzes. In: VIDAL, Diana Gonçalves; HILSDORF, Maria Lúcia Spedo (org.). Brasil 500 anos: tópicas em história da educação. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001. p. 53-66.

PARÁ, Governo do Estado do, 1901-1909 (Augusto Montenegro). Álbum do Estado do Pará: oito anos de governo. Paris: Chaponet, 1908.

PARÁ. Lei n. 664 de 31 de outubro de 1870.

PARÁ. Lei n. 1.030, de 07 de maio de 1880.

PARÁ. Portaria de 29 de Abril de 1871.

PARÁ. Relatório apresentado ao Exmo. Sr. Dr. Francisco Maria Correa de Sá e Benevides pelo Exmo. Sr. Dr. Pedro Vicente de Azevedo, por occasião de passar-lhe a administração da Província do Pará, no dia 17 de janeiro de 1875. Pará: Typ. De F.C. Roseard, 1875, pp. 21-34.

PARÁ. Relatório em que o Exmo Sr. Dr. José da Gama Malcher, 1o vice-presidente passou a administração da Província do Pará ao Exmo Sr. Dr. João Capistrano Bandeira de Mello Filho. Pará, 09 de março de 1878, pp. 66-74.

PARÁ. Relatório apresentado pelo Exmo. Sr. Dr. José Coelho da Gama e Abreu, Presidente da Província, á Assembléia Legislativa Provincial do Pará, na sua 1a sessão da 22a legislatura, em 15 de fevereiro de 1880. Pará, 1880.

PARÁ. Relatório apresentado á Assembléia Legislativa Provincial da 2a sessão da 22a legislatura, em 15 de fevereiro de 1881, pelo Exmo. Sr. Dr. José Coelho da Gama Abreu. Pará: Typographia do Diário de Notícias, 1881.

PERROT, Michelle. A família triunfante. In: PERROT, Michelle (org.). História da vida privada, 4: da revolução francesa à primeira guerra. Tradução de Bernardo Joffily. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. p. 93-104.

RAGO, Luzia Margareth. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

RIZZINI, Irma. O cidadão polido e o selvagem bruto: a educação dos meninos desvalidos na Amazônia imperial. 2004. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

RIZZINI, Irma. A politicagem na instrução pública da Amazônia imperial: combates à política d’aldeia. In: Revista Brasileira de História da Educação. n.10 (jul./dez. 2005) - São Paulo, SP: CNPq; Autores Associados, 2005. p.11-44.

SOHIET, Rachel. História das Mulheres. In: CARDOSO, Ciro Flamarion & VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Domínios da história. Ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro. Campinas, 1997. p. 275-296.

SOUZA, Marco Antônio de. Algumas reflexões sobre a lei e a legislação como fontes de pesquisa para a história da educação. In. LOPES, Ana Amélia Borges de. et all. (org.). História da educação em Minas Gerais. Belo Horizonte: FCH/FUMEC, 2002.

VERÍSSIMO, José. A instrução pública no Estado do Pará em 1890. Belém: Tipografia de Tavares Cardoso & Cia., 1891.

VILLELA, Heloisa de O.S. O mestre-escola e a professora. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira et all. 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. p.95- 135.

Downloads

Como Citar

MELO, C. N. de. Sendas da escolarização feminina no Pará. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 11, n. 43e, p. 83–102, 2012. DOI: 10.20396/rho.v11i43e.8639955. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8639955. Acesso em: 27 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos