Instrução, ciência e civilização: a província do Grão Pará e as influências francesa e estadunidense nas questões educacionais (1860 a 1870)

Autores

  • Rogério Guimarães Malheiros Universidade Federal do Pará
  • Genylton Odilon Rêgo da Rocha Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i48.8640010

Palavras-chave:

Ciência. Instrução Pública. Província do Grão-Pará

Resumo

Neste artigo privilegiamos o debate acerca das influências do “modelo” educacional francês e estadunidense nas discussões, aspirações e medidas propostas por políticos e intelecutais paraenses, na tentativa de estabelecer melhorias ao sistema de instrução pública da Província do Grão-Pará na segunda metade do século XIX. Deste modo, por meio de um ideal científico e de instrução do cidadão paraense tivemos a concorrencia de modelos de instrução na Província do Grão-Pará que nos leva a repensar acerca da predominância francesa entre a classe abastarda e dirigente da mencionada Província do Império do Brasil, pois tivemos a nítida defesa do modelo educacional dos Estados Unidos da América, tecida pelo naturalista e etnólogo Ferreira Penna, que se destacou na Província pela sua atuação científica que resultou na organização do Museu Paraense de História Natural e Etnolografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Guimarães Malheiros, Universidade Federal do Pará

Mestre em Educação pela UFPA

Genylton Odilon Rêgo da Rocha, Universidade de São Paulo

Doutor em Geografia pela USP

Referências

ALONSO, Ângela. Idéias em movimento: a geração de 1870 na crise do Brasil Império. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2002.

ALVES, José Jerônimo de Alencar. O cientificismo da França para a Amazônia. In: ALVES, José Jerônimo de Alencar. (org.). Múltiplas faces da história das ciências na Amazônia. Belém: UFPA, 2005.

ARAGO, François. Oeuvres de Condorcet. Biographie, vol. I, Paris: F. Didot frères, 1847-1849, réimp. F. Frommann Verlag, Stuttgart, 1968.

BACZKO, B. “Utopia”. In: Enciclopédia Einaudi, vol. 5, IN/CM, Lisboa, 1985, pp. 333-396.

BAKER, Keith Michael. The Old Regime and the French Revolution. Chicago, 1987.

BANDEIRA, Luiz Alberto M. Presença dos Estados Unidos no Brasil: dois séculos de História. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1973.

BARBANTI, Maria Lúcia Hilsdorf. Escolas americanas de confissão protestante na Província de São Paulo: estudo de suas origens. Dissertação (Mestrado em Educação), Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 1977.

BOTO, Carlota. Na Revolução Francesa, os princípios democráticos da escola pública, laica e gratuita: o relatório de Condorcet. Revista Educação e Sociedade. vol. 24, no.84, Campinas, Set. 2003. pp. 735-762.

BURKE, Peter. História e teoria social. São Paulo: UNESP, 2002.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados. São Paulo, Companhia das Letras, 1999.

CHARTIER, R. A histórica cultural: entre práticas e representações. Lisboa/Rio de Janeiro: Difel/Bertrand Brasil, 1990.

CONDORCET, M. J. A. N. C., Marques de. Rapport et projet de décret sur l’instrutuction publique, présentées à l’Assemblée Nationalle, au non du Comité d’Instruction Publique. In: DUMAZEDIER, J. (Dir.). La Leçon de Condorcet: une conception oublié de l’instruction pour tous nécessaire à une republique. Paris: L’Harmattan, 1994.

COUTEL, C. À l'école de Condorcet. Contre l'orléanisme des esprits. Paris: ellipses/éditions marketing S.A., 1996.

COUTEL, C. Décembre 1792: les objections au Rapport sur l’instruction publique: réponses de Condorcet. In: CREPEL, P.; GILAIN, C. (Dir.). Condorcet, mathématicien, économiste, philosophe et homme politique: colloque internacional. Paris: Minerve, 1996.

COUTEL, C. Politique de Condorcet. Paris: Payot & Rivages, 1996.

DUARTE, Dércio Pena. Bases para o espírito: Ferreira Penna, Ciência e Educação na Província do Grão-Pará (1866-1891). Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Educação Matemática e Científica, 2010.

GIL-PÉREZ, Daniel et al. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência e Educação. São Paulo, v. 7, n. 2, 2001, pp. 125-153.

GRANGER, Gilles-Gaston. La mathématique sociale du marquis de Condorcet. Paris: PUF, 1956, rééd., Paris: Odile Jacob, 1989.

GUALTIERE, Regina Cândida Ellero. A Amazônia sob olhares evolucionistas: a ciência no Museu Paraense (1894-1914). In: ALVES, José Jerônimo de Alencar (org.). Múltiplas faces da história das ciências na Amazônia. Belém: UFPA, 2005, pp. 103-134.

KINTZLER, K. C. Condorcet, l’instruction publique et la naissance du citoyen. Paris: Folio - Essais, Minerve, 1994.

KINTZLER, K. C. & COUTEL, C. Notas. In: CONDORCET. Marquis de. Cinq mémoires sur l’instruction públique. Paris: GF-Flamarion, 1994.

MACHADO, Maria Cristina Gomes. O Decreto de Leôncio de Carvalho e os Pareceres de Rui Barbosa em Debate – A criação da escola para o povo no Brasil no século XIX. In: ESTEPHANOU, Maria & BASTOS, Maria Helena Camara. Histórias e memórias da educação no Brasil. Vol. II – século XIX. Petrópolis: Vozes, 2005, pp. 91-103.

MARTINS, Lilian Al-Chueyr Pereira & BRITO, Ana Paula O. P. Moraes. A história da Ciência e o ensino da Genética e Evolução no nível médio: um estudo de caso. In: SILVA, Cibele Celestino. Estudos de história e filosofia das ciências: subsídios para aplicação no ensino. São Paulo: Livraria da Física, 2006, pp. 245-264.

MATTOS, Ilmar Rohloff de. O tempo Saquarema. Rio de Janeiro: ACCESS, 1994.

MOOG, Vianna. Em busca de Lincoln. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

MORSE, Richard M. O espelho de próspero. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. “A ilusão americana”. In: MOTA, Lourenço Dantas (org.). Um banquete no trópico. São Paulo: SENAC, 2001, pp. 134-150.

PARÁ, Governo da Província do. Relatório apresentado a Assembléia Legislativa Provincial na segunda sessão da 17.a Legislatura, pelo Dr. Abel Graça, Presidente da Província, em 15 de agosto de 1871. Pará: Typographia do Diário do Gram-Pará, 1871. Disponível em www.crl.edu/areastudies/LAMP/index.htm. Acesso em: 30 de novembro de 2011.

PENNA, Domingos Soares Ferreira. A Instrucção na Província do Pará. Colombo. Belém do Pará (PA): Typographia do Jornal do Amazonas, 13 de maio de 1869.

SALDAÑA, Juan José. Ciência e identidade cultural: a história da ciência na América Latina. In: FIGUEIRÔA, Silvia F. de M. (org.). Um olhar sobre o passado: história das ciências na América Latina. Campinas: UNICAMP; São Paulo: Imprensa Oficial, 2000, pp. 11-31.

SANJAD, Nelson. “Ciência de potes quebrados”: Nação e região na arqueologia brasileira do século XIX. Anais do Museu Paulista. São Paulo. N. Sér. v.19. n.1. p. 133-163. jan.- jun. 2011.

SANJAD, Nelson. A coruja de Minerva: o Museu Paraense entre o Império e a República, 1866 – 1907. Tese (Doutorado em História Social) – Fundação Oswaldo Cruz – Rio de Janeiro, 2005.

SAVIANI, Demerval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, jan./abr. 2009.

SCHWARTZMAN, Simon. O Espelho de Morse. Novos estudos CeBRAp, v. 22, p. 185 – 192, out. 1988.

SILVA, Sidney Reinaldo. Direitos humanos e instrução pública segundo Condorcet. Educação em Revista, Marília, v. 11, n.12, p. 1-18, Jan.-Jun. 2010.

TANURI, Leonor Maria. História da formação de professores.Revista Brasileira de Educação, Mai/Jun/Jul/Ago de 2000, no 14. Disponível em: www.anped.org.br/rbe/rbedigital/RBDE14/RBDE14_06_LEONOR_MARIA_TANURI.pdf. Acesso em: 14 de março de 2011.

VIANNA, Luiz Werneck. A revolução passiva: iberismo e americanismo no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 1997.

VILLELA, H. de O. S. A primeira escola normal do Brasil: uma contribuição à história da formação de professores. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Educação – UFF – Niterói, 1990.

XAVIER, Maria Elizabete S. Prado. Poder político e educação de elite. 3.ed., São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1992.

Downloads

Como Citar

MALHEIROS, R. G.; ROCHA, G. O. R. da. Instrução, ciência e civilização: a província do Grão Pará e as influências francesa e estadunidense nas questões educacionais (1860 a 1870). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 48, p. 77–92, 2013. DOI: 10.20396/rho.v12i48.8640010. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640010. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos