Notas sobre a relação entre trabalho, educação profissional e formação em nível médio para a docência

Autores

  • Vera Lúcia Martiniak Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
  • Renata de Almeida Vieira Universidade Estadual de Maringá - UEM

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i48.8640015

Palavras-chave:

Trabalho. Educação Profissional. Formação Docente

Resumo

Este artigo  tem como objeto de estudo a formação de professores oferecida em nível Médio. Procura-se, pautado na categoria trabalho, explicitar o processo de esvaziamento da formação inicial de docentes, o qual colabora para uma acentuada desqualificação intelectual do professor. Aborda-se, para isso, o histórico da Educação Profissional e da Formação de Professores no Brasil. Apresentam-se, ainda, as concepções orientadoras da Educação Profissional no Estado do Paraná, com ênfase na Proposta Pedagógica Curricular do Curso de Formação de Docentes em nível Médio. Nesta Proposta, detecta-se uma fundamentação de tradição marxista baseada no trabalho como princípio educativo, concepção defendida como uma proposta alternativa de educação profissional, o que significa adotar como princípio metodológico a articulação dialética entre teoria e prática na perspectiva da práxis. Observa-se que, embora, no âmbito desta Proposta, tais categorias fazem-se presentes, ao confrontar suas proposições com a realidade vivenciada nos cursos de Formação de Docentes, tem-se como principal resultado a prevalência de uma concepção pragmática de formação. Diante do constatado, conclui-se que a grande distância entre o proposto e o efetivado tem suas raízes plantadas no terreno contraditório e antagônico das determinações do capital, cuja margem para consecução de propostas educativas alternativas que lhe são concorrentes e, até mesmo, negadoras, é, por demais, estreita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Lúcia Martiniak, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UEPG na linha de História e Políticas Educacionais e pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas História Sociedade e Educação-HISTEDBR da Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP. 

Renata de Almeida Vieira, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Possui Licenciatura em Pedagogia (2005), Especialização em Psicologia Histórico-Cultural (2007), Mestrado (2008) e Doutorado em Educação (2011) pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Pós-Doutorado (2014) pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP).

Referências

CAMPOS, M. C. S. S. Formação do magistério em São Paulo: do império a 1930. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n.72, p.5-16, fev. 1990.

CORDÃO, F. A. A educação profissional no Brasil. In: PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EM EDUCAÇÃO – PUC/SÃO PAULO (Org.). Ensino Médio e ensino técnico no Brasil e em Portugal: raízes históricas e panorama atual. Campinas, SP; Autores Associados, 2005.

CUNHA, L. A. O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. São Paulo: Ed. UNESP; Brasília, DF: FLACSO, 2005.

DUARTE, N. A individualidade para-si: Contribuições a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. Campinas, SP: Autores Associados, 1993.

DUARTE, N. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Quatro ensaios crítico-dialéticos em filosofia da educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

KUENZER, A. (Org.). Ensino médio: Construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

KULESZA, W. A. A institucionalização da Escola Normal no Brasil (1870-1910). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v.79, n.79, p. 63-71, set./dez. 1998.

MANFREDI, S. M. Educação profissional no Brasil. São Paulo: Cortez, 2003.

MARKUS, G. A teoria do conhecimento no jovem Marx. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

MARX, K. Trabalho alienado e superação positiva da auto-alienação humana. In: FERNANDES, F. (Org.). Marx e Engels: história. São Paulo: Ática, 1983. p. 146-181.

MIGUEL, M. E. B. A formação do professor e a organização social do trabalho. Curitiba: Ed. UFPR, 1997.

MIRANDA, M. F. de. Num quintal da globalização: reflexo do processo de ocidentalização do mundo na educação brasileira de ensino médio. 2000. 203 f. Tese (Doutorado em Educação)-Unesp, Marília, SP, 2000.

PARANÁ. Proposta pedagógica curricular do curso de formação de docentes para a Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Curitiba: SEED, 2006.

PIASSA, Z. A. C. Como fênix renascida das cinzas: análise do processo histórico do curso de Formação de Docentes em nível Médio no Estado do Paraná. Anais... VII Jornada do Histedbr, Campo Grande, MS, 2007, p. 1-26.

SANTOS, J. A. dos. A trajetória da educação profissional. In: LOPES, E. M. T.; FARIA, L. M. F.;VEIGA, C. G. (Org.). 500 anos de educação no Brasil. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 205-224.

SAPELLI, M. L. S. Políticas educacionais do Governo Lerner no Paraná (1995-2002). Cascavel: Igol, 2003.

SAVIANI, D. Escola e Democracia: curvatura da vara, onze teses sobre a educação política. 39. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 8. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas/SP: Autores Associados, 2010.

TANURI, L. M. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 14, p. 61-88, maio/jun./jul./ago. 2000.

XAVIER, M. E. S. P. Capitalismo e escola no Brasil. Campinas, SP: Papirus, 1990.

Downloads

Como Citar

MARTINIAK, V. L.; VIEIRA, R. de A. Notas sobre a relação entre trabalho, educação profissional e formação em nível médio para a docência. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 48, p. 168–183, 2013. DOI: 10.20396/rho.v12i48.8640015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640015. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos