A questão da nacionalização do ensino: escolas italianas na cidade de São Paulo no início do século XX

Autores

  • Eliane Mimesse Centro Universitário Internacional(UNINTER)

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i48.8640022

Palavras-chave:

Nacionalização do ensino. Imigração italiana. História da educação

Resumo

Este estudo pretende abordar a questão da nacionalização do ensino na cidade de São Paulo nos anos iniciais do século XX. A proliferação das escolas privadas subsidiadas pelo Governo Italiano causou polêmica nos meios educacionais paulistanos. Objetiva-se compreender o impasse entre o discurso oficial sobre a necessidade de se expandir a escola primária pública e a proliferação das escolas italianas subsidiadas. As fontes documentais utilizadas para essa pesquisa foram os Annuarios de Ensino do Estado de São Paulo e os periódicos italianos L’Eco; Avanti! e Fanfulla. Essas fontes podem ser encontradas no acervo do Arquivo Público do Estado de São Paulo. Faz-se também menção a autores que trataram da imigração na cidade de São Paulo como Pereira (2010), Cenni (2003) e Biondi (2010); aos que estudaram a educação nesse período como Nagle (1985) e Catani & Lima (2002); e a autores que contribuíram com o esclarecimento sobre a situação escolar italiana como Manca (2011) e Salvetti (2002). Pôde-se constatar que o governo paulista conseguiu atingir seus ideais com relação a alfabetização da população residente na cidade de São Paulo, somente após a redução e consequente extinção dos subsídios recebidos pelas escolas privadas italianas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Mimesse, Centro Universitário Internacional(UNINTER)

Doutora em Educação pela PUC/SP. Efetua estágio de Pós-Doutorado no PEPG em História na PUC/SP.

Referências

BIONDI, L. Imigração italiana e movimento operário em São Paulo: um balanço historiográfico. In: CARNEIRO, M. L. T.; CROCI, F. & FRANZINA, E. (Org.s) História do trabalho e História da imigração: trabalhadores italianos e sindicatos no Brasil (séculos XIX e XX). São Paulo: EDUSP: FAPESP, 2010. p. 23-48.

CATANI, D. B. & LIMA, A. L. G. Vigilância e controle: os Anuários do Ensino do Estado de São Paulo e a História do trabalho docente no Brasil. (1907-1937). In: CATANI, D. B. & BASTOS, M. H. C. (Org.s) Educação em revista: a imprensa periódica e a História da Educação. 1a reimp. São Paulo: Escrituras, 2002, p. 155 - 172.

CENNI, F. Italianos no Brasil: andiamo in’Merica. 3. ed. São Paulo: Edusp, 2003.

MANCA, P. Note su profili di insegnanti elementari a Carmiano e Magliano tra fine‘800 ed inicio ‘900. Lecce: Progetto Emeroteca Digitale Salentina. Disponível: www.culturaservizi.it/vrd/files.pdf. Acesso: 25/11/2011.

NAGLE, J. A educação na Primeira República. In: FAUSTO, B. (Org.) História Geral da Civilização Brasileira. O Brasil Republicano: sociedade e instituições. (1889-1930). Tomo III. Vol. 2, 3. ed. São Paulo: DIFEL, 1985. p. 261- 291.

PEREIRA, R. M. Washington Luís na administração de São Paulo (1914-1919). São Paulo: Editora da UNESP, 2010.

SALVETTI, P. Le scuole italiane all’estero. In: BEVILACQUA, P., DE CLEMENTI, A. & FRANZINA, E. Storia dell’emigrazione italiana: arrivi. Vol. 2. Roma: Donzelli, 2002, p. 535 – 549.

Fontes

AVANTI!: giornale socialista quotidiano. São Paulo. Ano IX , n. 2037, 19/06/1908.

FANFULLA. Il Brasile e gli italiani. Firenze: R. Bemporad & figlio, 1906.

L’ECO: d’ell’ Unione Magistrale Italiane. Ano I, n. 1, S. Paulo, 19/03/1908.

SÃO PAULO. Annuarios do Ensino do Estado de São Paulo. São Paulo: Typ. Siqueira & C.,1907 a 1910.

Downloads

Como Citar

MIMESSE, E. A questão da nacionalização do ensino: escolas italianas na cidade de São Paulo no início do século XX. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 48, p. 286–295, 2013. DOI: 10.20396/rho.v12i48.8640022. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640022. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos