Apontamentos sobre a constituição do estado em J. J. Rousseau

Autores

  • Mateus Mioto dos Santos UNIOESTE

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i48.8640024

Palavras-chave:

Filosofia Política. Contrato Social. Estado. Moral

Resumo

É considerável compreender as partes constituintes do Estado para Rousseau em nossos dias, de modo que as sociedades modernas enfrentam crises democráticas nas quais, a falência da representatividade se confunde com a insuficiência dos argumentos do autor. Com o presente artigo, intentamos ainda propor uma alternativa de interpretação ao problema fundamental do pensamento de Rousseau, que consiste na constituição de um novo cidadão, produto de um contrato social que precipuamente o tornaria mais humano por meio de uma desnaturação. Nesse sentido, relevamos a questão do direito à igualdade, que passa por alterações na medida em que a liberdade natural é substituída pela liberdade convencional. Em consequência, analisamos o processo de composição da moral do homem, que de forma abrangente considera os elementos levantados anteriormente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Mioto dos Santos, UNIOESTE

Aluno do Programa de Pós-graduação strictu senso em Educação nível de Mestrado na UNIOESTE, área de concentração Sociedade, Estado e Educação com ênfase em História da Educação. Graduado em Pedagogia Pela UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná e membro do grupo de pesquisa História e Historiografia na Educação na mesma instituição.

Downloads

Como Citar

SANTOS, M. M. dos. Apontamentos sobre a constituição do estado em J. J. Rousseau. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 48, p. 310–323, 2013. DOI: 10.20396/rho.v12i48.8640024. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640024. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos