A comissão nacional do livro didático após 1945 e os livros de matemática aprovados para uso no ensino secundário

Autores

  • Bruno Alves Dassie Universidade Federal Fluminense – UFF

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i47.8640041

Palavras-chave:

Comissão Nacional do Livro Didático. História da Educação Matemática. Livros didáticos

Resumo

A Comissão Nacional do Livro Didático foi instituída pelo Governo Federal em 1938.Algumas pesquisas analisaram os trabalhos dessa comissão, principalmente, na gestão deGustavo Capanema (1934-1945) no Ministério da Educação e Saúde. Essas pesquisasapontam, entre outras questões relacionadas com o funcionamento da comissão, aproblemática da divulgação das listas dos livros aprovados. Desse modo, o objetivo destetrabalho é apresentar a localização das listas que foram publicadas em Diário Oficial daUnião entre os anos de 1947 e 1961. Em particular, ao final, iremos dar destaque aos livrosde matemática que foram aprovados para uso no ensino secundário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Alves Dassie, Universidade Federal Fluminense – UFF

Professor Adjunto II da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense, Doutor em Educação e Mestre em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

Referências

ALVAREZ, A. Tratado de arithmetica. 2 ed. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1931.

BRASIL. Decreto-lei n. 1006, de 30 de dezembro de 1938. Estabelece as condições de produção, importação e utilização do livro didático.

BRASIL. Portaria Ministerial n. 253, de 24 de dezembro de 1940.

BRASIL. Decreto-lei n. 4.244, de 9 de abril de 1942. Lei orgânica do ensino secundário.

BRASIL. Decreto-lei n. 8460, de 26 de dezembro de 1945. Consolida a legislação sobre as condições de produção, importação e utilização do livro didático.

BRASIL. Portaria Ministerial n. 363, de 31 de setembro de 1947. Dispõe sôbre a aprovação de livros didáticos.

BRASIL. Portaria Ministerial n. 44, de 03 de fevereiro de 1948. Suspende os efeitos da portaria número 363, de 31 de julho de 1947.

BRASIL. Portaria Ministerial n. 212, de 31 de maio de 1950. Aprova regulamento de recurso.

BRASIL. Portaria Ministerial n. 594, de 27 de outubro de 1969. Extingue a Comissão Nacional do Livro Didático.

NEVES, F.F. Elementos de aritmética racional: para o VII ano dos liceus. Lisboa: Livraria Sá da Costa Editora, s/d.

O LIVRO didático nas escolas primarias, secundarias, profissionais e normais. Folha da Manhã, 11-09-1947, Primeiro Caderno, p. 2.

RODRIGUES, E.C. 1700 Exercícios de Álgebra. 3 ed. São Paulo: Editôra Clássico-Científica, s/d. Referências

BITTENCOURT, C. Em foco: história, produção e memória do livro didático. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 30, n. 3. pp. 471-473, set./dez. 2004,.

BRAGANÇA, A. Francisco Alves, uma editora sesquicentenária (1854-2004). In XXVII INTERCOM 2004. São Paulo - SP: Intercom - Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, 2004. v. 1.. Disponível em: http://www.uff.br/lihed/images/anibal_livros/franciscoalves.pdf. Acesso em 16 nov. 2011.

DALCIN, A. O ensino de matemática entre 1885 e 1929 no Colégio Salesiano Liceu Coração de Jesus: “bons cristãos, honestos cidadãos”. Bolema, vol. 23, n. 35A, p. 241-268, abril. 2010.

FILGUEIRAS, J.M. Os processos de avaliação de livros didáticos na comissão nacional do livro didático. Anais do XIX Encontro Regional de História: Poder, Violência e Exclusão. ANPUH/SP – USP. 08 a 12 de setembro de 2008. Cd-Rom. Disponível em: http://www.anpuhsp.org.br/downloads/CD%20XIX/PDF/Autores%20e%20Artigos/Juliana%20Miranda%20Filgueiras.pdf. Acesso em mar. 2011.

FREITAG, B.; COSTA, W.F.; MOTTA, V.R. O estado da arte do livro didático no Brasil. Brasília: INEP/REDUC, 1987.

FREITAS, I. A historiografia escolar na Comissão Nacional do Livro Didático: pareceres de Jonathas Serrano (1938/1941). História & Ensino, Londrina, v. 12, p. 141-156, ago. 2006.

MICELI, S. Intelectuais à brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

OLIVEIRA, J.B.A.e; GUIMARÃES, S.D.P.; BOMÉNY, H.M.B. A política do livro didático. São Paulo: Summus; Campinas: Editora da Unicamp, 1984.

SAVIANNI, D. et al. O legado educacional do século XX no Brasil. 2 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2006. (Coleção Educação Contemporânea).

SOARES, F.S.; ROCHA, J.L. As políticas de avaliação do livro didático na Era Vargas: a Comissão Nacional do Livro Didático. ZETETIKE, Cempem, FE, Unicamp, v. 13, n. 24, p. 81-112, jul./dez. 2005.

VALENTE, W.R. (Org). Euclides Roxo e a modernização do ensino da matemática no Brasil. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 2004.

VALENTE, W.R. A matemática do ginásio: livros didáticos e as reformas Campos e Capanema. CD-ROM, ago. 2005.

VALENTE, W.R. Osvaldo Sangiorgi: um professor moderno. São Paulo: Annablume; Brasília: CNPq; Osasco: GHEMAT, 2008.

VALENTE, W.R. A matemática do colégio: livros didáticos para a história de uma disciplina. DVD, fev. 2011. Disponível em: http://www.unifesp.br/centros/ghemat/DVD_s/HISTORIA/inicio.html. Acesso em 10 abri. 2011.

VIEIRA, S.L. A educação nas constituições brasileiras: texto e contexto. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 88, n. 219, p. 291-309, maio/ago. 2007. Dissertações e Teses

ALMEIRA, R.C.M. Abordagens do conceito de proporcionalidade em livros didáticos de matemática no Brasil do século XX. 2004. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Educação, 2004.

BARONE, J. Livros didáticos de matemática da editora FTD no cenário brasileiro: as primeiras décadas do século XX. 2008. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, 2008.

BELTRAME, J. Os programas de ensino de matemática do Colégio Pedro II: 1837-1932. Rio de Janeiro, 2000. Dissertação (Mestrado em Matemática) – Departamento de Matemática, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2000.

DASSIE, B.A. A Matemática do curso secundário na Reforma Gustavo Capanema. 2001. Dissertação (Mestrado em Matemática) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Matemática, 2001.

DASSIE, B.A. Euclides Roxo e a constituição da educação matemática no Brasil. 2008. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Matemática, 2008.

FERREIRA, R.C.C. A Comissão Nacional do Livro Didático durante o Estado Novo (1937- 1945). 2008. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis, 2008.

HELMER, H. Equações do segundo grau: métodos de resolução e análise em livros didáticos antes e durante o movimento da matemática moderna. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2005.

KILL, T.G. O estudo de funções à luz das reformas curriculares: reflexos em livros-didáticos. 2004. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2004.

LONGEN, A. Livros didáticos de Algacyr Munhoz Maeder sob um olhar da Educação Matemática. 2007. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, 2007.

ROCHA, J.L. A Matemática do curso secundário na Reforma Francisco Campos. 2001. Rio de Janeiro, Dissertação (Mestrado em Matemática) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Matemática, 2001.

VALENTE, W. R. Uma história da matemática escolar no Brasil (1730 – 1930). São Paulo, 1997. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 1997.

Downloads

Como Citar

DASSIE, B. A. A comissão nacional do livro didático após 1945 e os livros de matemática aprovados para uso no ensino secundário. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 47, p. 88–107, 2012. DOI: 10.20396/rho.v12i47.8640041. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640041. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos