A busca do dissenso para a compreensão das influências dos organismos internacionais no desenvolvimento da educação rural nos anos 1950 à educação do campo após os anos 1990

Autores

  • Angela Maria Hidalgo Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (UNICENTRO)
  • Fernanda de Aragão Mikolaiczyk Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (UNICENTRO)

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i47.8640042

Palavras-chave:

Educação Rural. Educação do Campo. Organismos Internacionais. Desenvolvimento Sustentável. Agricultura Familiar

Resumo

Como resultado do projeto de pesquisa “A materialização das propostas para a EducaçãoRural, elaboradas pelos governos federais e estaduais no período entre 1947-1960, na regiãode Guarapuava/PR”, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico eTecnológico - CNPQ, realizado com material bibliográfico e documental, este texto discuteas influências dos organismos internacionais (CEPAL e UNESCO) na definição de açõeseducativas para os povos do campo nos anos 1950 e 1990. Com o objetivo de questionar aafirmação, de que as propostas para a Educação do Campo implementadas nos anos 1990,são fruto exclusivo da mobilização popular e que diferem essencialmente das políticas paraa área difundidas nos anos 1950, apresentamos neste artigo, num primeiro momento aexplicitação da materialização das relações entre o desenvolvimento econômico e aeducação para as populações do campo nos anos 1950. Posteriormente são discutidas asinfluências dos organismos internacionais na definição de projetos, programas e políticaspúblicas para a educação que se realiza no campo e, finalmente, analisaremos os discursossobre desenvolvimento sustentável e agricultura familiar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angela Maria Hidalgo, Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (UNICENTRO)

Doutora em Educação, professora do Departamento de Pedagogia – DEPED, da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO).

Fernanda de Aragão Mikolaiczyk, Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (UNICENTRO)

Graduanda do 4o ano do curso de Pedagogia: Docência e Gestão Educacional, da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO) e bolsista PIBIC/FA.

Referências

ALMEIDA JR. A. Os objetivos da Escola Primária Rural. In: Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 29-35, 1944.

BIELSCHOWSKY, Ricardo. Pensamento econômico brasileiro: o ciclo ideológico do desenvolvimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 2000.

EXPOINTER. 34a Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=pQTgNYckWf8. Acesso em: 04 Set. 2011.

FIORI, José Luís. Em busca do dissenso perdido: ensaios críticos sobre a festejada crise do Estado. Rio de Janeiro: Insight, 1995.

FOSTER, John Bellamy. Em defesa da história. In: WOOD, Ellen M & FOSTER, John B. Em defesa da História: marxismo e pós-modernismo. Trad. Ruy Jungman. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1999.

GUILHOTO, J. J.M.; ICHIHARA, S. M.; SILVEIRA, F. G. et al. A importância da agricultura familiar no Brasil e em seus estados. Disponível em: http://www.anpec.org.br/encontro2007/artigos/A07A089.pdf. Acesso em: 05 Set. 2011.

HIDALGO, Angela M. Tendências contemporâneas da privatização do Ensino Público: o caso do Estado do Paraná. In: HIDALGO, Angela M.; SILVA, Ileizi L. F. Educação e Estado: as mudanças nos sistemas de ensino do Brasil e do Paraná na década de 90. Londrina: Ed. UEL, 2001.

HOBSBAWM, Eric J. A era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

KUENZER, Acácia Zeneida. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. Disponível em: http://forumeja.org.br/go/files/13%20Exclusao%20Includente%20Acacia%20Kuenzer_1.pdf. Acesso em: 26 Ago. 2011.

MONARCHA, Carlos. Cânon da reflexão ruralista no Brasil: Sud Mennucci. In: WERLE, Flávia Obino Corrêa (org.). Educação rural em perspectiva internacional: instituições, práticas e formação do professor. Ijuí: Ed. Unijuí, 2007.

MONTAÑO, Carlos. Terceiro Setor e questão social. Crítica ao padrão emergente de intervenção social. São Paulo, Cortez, 2002.

NETTO, José Paulo; BRAZ, Marcelo. O capitalismo contemporâneo. In: NETTO, José Paulo; BRAZ, MarceloEconomia política: uma introdução crítica. São Paulo: Cortez, 2006.

OLIVEIRA, Marcos Antonio. As bases filosóficas e epistemológicas de alguns projetos de Educação do campo: do pretendido marxismo à aproximação ao Ecletismo pós-moderno. 2008. 481 p. Doutorado em educação - Universidade Federal do Paraná, Curitiba-Pr.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano. Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. Estocolmo, 1972. Disponível em: file:///C:/Users/user/Documents/MEUS%20DOCUMENTOS/projetos%20pesquisa/IC/organismos%20internaconais/Stockholm%201972%20-%20Declaration%20of%20the%20United%20Nations%20Conference%20on%20the%20Human%20Environment%20-%20United%20Nations%20Environment%20Programme%20(UNEP).htm. Acesso em: 25 Ago. 2011.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração da Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente Humano. Agenda 21. Departamento de negócios econômicos e sociais. Divisão para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro, 1992. Disponível em: http://www.un.org/esa/dsd/agenda21/res_agenda21_14.shtml. Acesso em: 25 Ago. 2011.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Sobre o Direito ao Desenvolvimento. Assembléia Geral da ONU. Nova York, 1986. Disponível em: http://www.dhnet.org.br/direitos/sip/onu/spovos/lex170a.htm. Acesso em: 25 Ago. 2011.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração do Milênio. Cimeira do Milènio. Nova Iorque, 2000. Disponível em: http://www.unric.org/html/portuguese/uninfo/DecdoMil.pdf. Acesso em: 25 Ago. 2011.

PERONI, Vera. Política educacional e papel do Estado no Brasil dos anos 1990. São Paulo: Xamã, 2003.

RIBEIRO, Maria Luisa Santos. A organização escolar no contexto do modelo nacional-desenvolvimentista com base na industrialização (1937-1955). In: RIBEIRO, Maria Luisa Santos. História da educação brasileira: a organização escolar. 16 ed. rev. e ampl. Campinas, SP: Autores Associados, 2000, p. 127-150.

ROMERO, Ana Paula H.; NOMA, Amélia K. “Novos” movimentos da sociedade civil, no Brasil do século XX. In: AZEVEDO, Mario L. N. V. de Azevedo (org.). Políticas públicas e educação: debates contemporâneos. Maringá: Eduem, 2008.

SHIROMA, Eneida Oto; MORAES, Maria Célia Marcondes de; EVANGELISTA, Olinda. Os arautos da reforma e a consolidação do consenso: anos de 1990. In: SHIROMA, Eneida Oto; MORAES, Maria Célia Marcondes de; EVANGELISTA, Olinda. Política Educacional. Rio de Janeiro: DP&A, 2000, p. 53-86.

TOSCANO, L. F. Agricultura familiar e seu grande desafio. Diário de Votuporanga, Ano 50, n. 12.769, 09 de Outubro de 2003, p. 02. Disponível em: http://www.agr.feis.unesp.br/dv09102003.htm. Acesso em: 12 Set. 2011.

UNESCO, OREALC. Década das Nações Unidades da Educação para o Desenvolvimento Sustentável (2005-2014). Brasília: UNESCO, OREALC, 2005. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001399/139937por.pdf. Acesso em: 24 Nov. 2011.

Downloads

Como Citar

HIDALGO, A. M.; MIKOLAICZYK, F. de A. A busca do dissenso para a compreensão das influências dos organismos internacionais no desenvolvimento da educação rural nos anos 1950 à educação do campo após os anos 1990. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 47, p. 108–121, 2012. DOI: 10.20396/rho.v12i47.8640042. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640042. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)