Modernidade e sociedade brasileira: “entusiasmo”, “otimismo” e iniciativas libertárias na educação

Autores

  • Juliana Guedes dos Santos Marconi Universidade Federal de São Carlos
  • Luiz Bezerra Neto Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i46.8640081

Palavras-chave:

Modernidade. Anarquismo. Entusiasmo. Otimismo

Resumo

O contexto da modernidade exigiu um projeto de educação diferente. No Brasil, esse novoprojeto, se fez tardiamente se o compararmos às civilizações européias, na transição doImpério para a República concomitantemente com a expansão das lavouras cafeeiras, ocrescimento industrial, a adoção do trabalho assalariado e a urbanização. Diante dessecenário dois movimentos ideológicos da elite permitiram que a educação se adequasse aoritmo da modernidade. Os termos que até hoje os denominam foram cunhados por JorgeNagle, em 1976, a saber: “entusiasmo pela educação” e “otimismo pedagógico”. Oprimeiro, especialmente de caráter mais quantitativo, de expansão das escolas. O segundo,de cunho mais qualitativo, focalizando a reestruturação interna das escolas. Além disso, ocenário citado permitiu a chegada dos ideais anarquistas ao Brasil na bagagem de italianose espanhóis, culminando inclusive na criação de escolas. O presente ensaio busca umaanálise do panorama no qual os movimentos (os referidos “entusiasmo”, “otimismo” e asiniciativas libertárias de educação concretizadas na cidade de São Paulo no início do séculoXX) permitiram-se atender à demanda de um projeto de educação adequado à novasituação social do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Guedes dos Santos Marconi, Universidade Federal de São Carlos

Doutoranda em História, Filosofia e Sociologia da Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos (PPGE-UFSCar) e professora da Escola Superior de Tecnologia e Educação de Porto Ferreira (ASSER).

Luiz Bezerra Neto, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e professor adjunto do Departamento de Educação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Referências

BERNAL, Anastasio Ovejero. Anarquismo espanhol e educação. In: EDUCAÇÃO LIBERTÁRIA - Educação e Revolução na Espanha Libertária. no1. IEL. São Paulo: Imaginário. p.9-24. 3o quadrimestre de 2006.

BEZERRA, Maria Cristina dos Santos. Imigração, Educação e Religião: Um estudo histórico-sociológico do Bairro dos Pires de Limeira, uma comunidade rural de maioria teuto-brasileira. Dissertação de Mestrado. Campinas: Unicamp, 2001.

CAMBI. Franco, História da Pedagogia. Tradução de Álvaro Lorencini. São Paulo: Fundação Editora da UNESP (FEU). 1999.

FERREIRA Jr., Amarílio. História da educação brasileira - História da educação 2. Coleção UAB-UFSCar. Pedagogia. Módulo 02. Edufscar. São Carlos. 2008.

FERRER y Guardia, Francisco. La Escuela Moderna. In: www.antorcha.net/biblioteca_virtual/pedagogia/escuelamoderna/indice.html. Consultado em 07/06/2005.

GHIRALDELLI Jr., Paulo. Educação e movimento operário. São Paulo: Cortez/ Autores Associados, 1987.

LEI no 601 de 18 de setembro de 1850. Dispõe sobre as terras devolutas do Império. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L0601-1850.htm. Acesso em 10/09/2009.

MANACORDA. Mario A., História da Educação - da Antigüidade aos nossos dias. Tradução de Gaetano Lo Monaco. 10a ed. São Paulo: Cortez. 2002.

MANIFESTO dos Pioneiros da Educação Nova. A reconstrução educacional no Brasil – ao povo e ao governo. In: GHIRALDELLI Jr., Paulo. História da Educação Brasileira. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

MARX. Karl, ENGELS. Friedrich, Manifesto do Partido Comunista. In: FILHO. Daniel Aarão Reis (org.), et. al. O Manifesto Comunista 150 anos depois. Tradução de Victor Hugo Klagsbrunn. p. 7-41. Rio de Janeiro: Contraponto. 1998.

NAGLE, Jorge. A educação na primeira república. In: FAUSTO, Boris (dir.) História Geral da Civilização Brasileira. Tomo III – O Brasil Republicano – Sociedade e Instituições (1889-1930). 2. ed. v. 2. São Paulo: Difel, 1978.

NAGLE. Jorge. Educação e Sociedade na Primeira Rapública. 1a Reimpressão. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária Ltda. (EPU). 1976.

SAVIANI, Dermeval. O legado educacional do “breve século XIX” brasileiro. In: SAVIANI, Dermeval; et. al. O Legado Educacional do Século XIX. 2aed. p. 8-31.2006.

SAVIANI, Dermeval. O legado educacional do “longo século XX” brasileiro. In: SAVIANI, Dermeval; et. al. O Legado Educacional do Século XX no Brasil. 2aed.. p. 9-57. 2006b.

Downloads

Como Citar

MARCONI, J. G. dos S.; BEZERRA NETO, L. Modernidade e sociedade brasileira: “entusiasmo”, “otimismo” e iniciativas libertárias na educação. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 46, p. 205–218, 2012. DOI: 10.20396/rho.v12i46.8640081. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640081. Acesso em: 3 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>