Banner Portal
As instituições escolares públicas dos Campos Gerais - PR (1904-1950)
PDF

Palavras-chave

História da Educação. Paraná. Escolas Públicas

Como Citar

NASCIMENTO, Maria Isabel Moura. As instituições escolares públicas dos Campos Gerais - PR (1904-1950). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 45e, p. 76–87, 2012. DOI: 10.20396/rho.v12i45e.8640109. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640109. Acesso em: 17 jun. 2024.

Resumo

O artigo enfoca o período compreendido entre o início da República até a metade do século XX, que foi muito importante para o desenvolvimento do Estado do Paraná e para a História da Educação Brasileira. Neste período ocorreu a criação dos primeiros grupos escolares públicos na região dos Campos Gerais - PR, como concretização do importante papel da educação no processo de desenvolvimento e modernização da sociedade brasileira. Como critério de delimitação do campo de pesquisa, foi adotada a área de atuação da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), considerando os Campi Avançados e as atividades extensionistas. O artigo delimita o espaço para estudo da reconstrução histórica dos Campos Gerais obrigou-nos ao processo complexo de ir às determinações mais gerais dos Campos Gerais, buscando compreender sua formação, os interesses que cercaram a organização da região e as articulações com outras regiões. A reconstrução histórica das Instituições Escolares na Região dos Campos Gerais, do Estado do Paraná, no período compreendido entre o início da República até a década de cinqüenta do século XX é o que busca divulgar neste artigo. Como critério de delimitação do campo de pesquisa foi adotada a área de atuação da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), considerando os Campi Avançados e as atividades extensionistas na Região dos Campos Gerais-PR., que compreende dezenove municípios: Arapoti, Campo do Tenente, Cândido de Abreu, Castro, Ipiranga,Jaguariaíva, Ortigueira, Piraí do Sul, Porto Amazonas, Reserva, Balsa Nova, Campo Largo, Carambeí, Imbaú, Ivaí, Lapa, Palmeira, Ponta Grossa e Rio Negro. Para responder aos desafios teórico-metodológicos da pesquisa com fontes históricas, a organização das fontes de cada escola foram entregues a cada escola um CD com a organização da história de cada escola articulando os seus conteúdos aos contextos de referência, de maneira a agregar elementos de compreensão das próprias fontes.

https://doi.org/10.20396/rho.v12i45e.8640109
PDF

Referências

ARAÚJO, J. C. S.; GATTI JR., D. (orgs.). Novos temas em História da Educação brasileira. Instituições Escolares e educação na imprensa. Campinas, SP: Autores Associados; Uberlândia, MG: EDUFU, 2002.

HOBSBAWM, E. Sobre História. São Paulo, Companhia das Letras, 1998.

MIGUEL, M. E. B. Do levantamento de fontes à construção da historiografia: uma tentativa de sistematização. In. LOMBARDI, J. C.; NASCIMENTO, M. I. M. (orgs.). Fontes, História e Historiografia da Educação. Campinas, SP: Autores Associados HISTEDBR; Curitiba, PR: PUCPR; Palmas, PR: UNICS; Ponta Grossa, PR: UEPG, 2004. p. 111 – 140.

PAULILO, A. et al. Arquivo Fernando de Azevedo: instrumentos de pesquisa em fonte primária. In: FARIA FILHO, L. M. (Org.). Pesquisa em História da Educação: perspectivas de análise, objetos e fontes. Belo Horizonte, 1999. p. 201-208.

SANFELICE, J. L. História, Instituições Escolares e gestores educacionais. Texto inédito. 2006.

SAVIANI, D. Breves considerações sobre fontes para a História da Educação. In: LOMBARDI, J. C.; NASCIMENTO, M. I. M. (orgs.). Fontes, História e Historiografia da Educação. Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR; Curitiba, PR: PUCPR; Palmas, PR: UNICS; Ponta Grossa, PR: UEPG, 2004. p. 3 – 12.

SAVIANI, D. História das idéias pedagógicas: reconstruindo o conceito. In: FARIA FILHO, L.M. (Org.) Pesquisa em História da educação: perspectivas de análise, objetos e fontes. Belo Horizonte: HG Edições,1999, p.9-24

SAVIANI, D.; LOMBARDI, J. C.; SANFELICE, J. L. (orgs.). História e História da Educação. O debate teórico-metodológico atual. Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR, 1998.

VIDAL, D. G.. Fim do mundo do fim: avaliação, preservação e descarte documental. In: FARIA FILHO, L. M. (Org.). Arquivos, fontes e novas tecnologias: questões para a História da Educação. Campinas: Autores Associados, 2000.p.31-43.

Fontes Primárias que foram catalogas

FONTES PRIMÁRIAS

PARANÁ. Relatório do Presidente da Província de 29.12.1820.

PARANÁ. Livro Atas – Castro, 1823.

PARANÁ. Decreto no 15 de setembro de 1823.

PARANÁ. Lei 15 de novembro de 1827

PARANÁ. Código de Processos em 1835, criou o cargo de prefeito.

PARANÁ. Lei de 16. de março de 1846.

PARANÁ. Lei n. 704, de 29 de agosto de 1853 – A Província do Paraná desmembra-se da Província de São Paulo.

PARANÁ. Lei n. 17 de setembro se 1854. Primeira lei de ensino da Província do Paraná que cria a cadeiras do ensino secundário e trata da obrigatoriedade do ensino primário.

PARANÁ.Câmara Municipal de Curitiba. Sessões de 1820 a 1854. Boletim do Arquivo

PARANÁ. Regulamentos e Deliberações do Governo da Província do Paraná. Curityba:Typ. Paranaense, 1854.

PARANÁ.Lei de 27 de agosto de 1856.

PARANÁ. Regulamento de Ordem Geral para as escolas de instrução primária em 24 de abril de 1857. Leis e regulamentos da Província do Paraná. Curityba: Typ. Paranaense, 1857.

PARANÁ. Lei 21 de 2 de março de 1857.

PARANÁ. Lei no 238. de 19 de março de 1870.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.