Memórias das escolas normais de Cascavel-PR: desafios à preservação

Autores

  • André Paulo Castanha Unioeste
  • Jehnny Zélia Kalb Facchi Unioeste

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i45e.8640115

Palavras-chave:

Formação de Professores. Escolas Normais. Fontes Históricas. Arquivos Escolares

Resumo

A discussão proposta neste artigo refere-se ao desafio de preservar arquivos e fontes históricas das escolas normais criadas a partir da Lei Orgânica do ensino Normal, Decreto-Lei n. 8530, de 2 de janeiro de 1946, especialmente das escolas “Carola Moreira” e “Irene Rickli”, que funcionaram em Cascavel – PR, entre as décadas de 1950 a 1970, cujo intuito é resgatar a história da formação de professores. Parte-se do pressuposto de que uma pesquisa histórica pautada em dados reais e concretos necessita, antes de tudo, que as fontes históricas existam, que estejam preservadas a fim de atuar como testemunhas do passado. Neste sentido, é imprescindível realizar ações no sentido de levantar, catalogar, digitalizar e interpretar todas as fontes possíveis sejam orais, escritas, legais, ou iconográficas num esforço de compreender como era o funcionamento, a prática e organização dessas instituições escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Paulo Castanha, Unioeste

Professor do Colegiado de Pedagogia da Unioeste – Campus de Francisco Beltrão e do Mestrado em Educação da Unioeste – Campus de Cascavel. Membro do Grupo de Pesquisa: História, Sociedade e Educação no Brasil - HISTEDOPR. Historiador e mestre em Educação pela UFMT, Doutor em Educação pela UFSCar e Pós-doutor na área de Filosofia e História da Educação pela UNICAMP.

Jehnny Zélia Kalb Facchi, Unioeste

Graduada em Pedagogia e Especialista em Fundamentos da Educação pela Unioeste – Campus de Cascavel. Professora da rede municipal de Cascavel e mestranda em Educação na Unioeste, na Linha de Pesquisa em História da Educação.

Referências

BRASIL. Decreto-Lei n. 8.530, de 2 de janeiro de 1946. Lei Orgânica do Ensino Normal. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-8530-2-janeiro-1946-458443-publicacaooriginal-1-pe.html. Acessado em: 04 nov. 2011.

BRASIL. Decreto-Lei n. 8.586, de 8 de janeiro de 1946. Dispõe sobre a adaptação dos serviços do ensino normal nos Estados, Territórios e Distrito Federal, à Lei Orgânica do Ensino Normal. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-8586-8-janeiro-1946-416404-publicacaooriginal-1-pe.html. Acessado em: 04 nov. 2011.

BRASIL. Lei 4.024, de 20 de dezembro de 1961. “Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional”. In: DAVIES, Nicholas. Legislação educacional federal básica. São Paulo: Cortez, 2004, p. 45-87.

BRASIL. Lei 5.692. “Fixa diretrizes e bases para o ensino de 1o e 2o graus e dá outras providências”. In: DAVIES, Nicholas. Legislação educacional federal básica. São Paulo: Cortez, 2004, p. 109-134.

CASTANHA, André Paulo. “O uso da legislação educacional como Fonte: orientações a partir do marxismo”. In: Revista HISTEDBR On-line, Campinas, número especial, p. 309-331, abr/2011.

EVANGELISTA, Olinda. “Apontamentos para o trabalho com documentos de política educacional”. Apostila usada no curso de pós-graduação. s/d, (mineo).

LOMBARDI, José Claudinei. “História e historiografia da educação: atentando para as fontes”. In: LOMBARDI, J. C. e NASCIMENTO, M. I. M. (Org). Fontes, História e Historiografia da Educação. Campinas: Autores Associados, 2004, p. 141-176.

LOPES, E. M. T. e GALVÃO, A. M. de O. História da educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

MAGALHÃES, Justino Pereira de. “Breve apontamento para a história das instituições educativas”. In: SANFELICE, J. L.; SAVIANI, D.; LOMBARDI, J. C. História da educação: perspectivas para um intercâmbio internacional. Campinas: Autores Associados, 1999, p. 67-72.

MIGUEL, M. E. B. “Os arquivos e fontes como conhecimento da história das instituições escolares”. In: SAVIANI, D. e outros. Instituições escolares no Brasil: conceito e reconstrução histórica. Campinas: Autores Associados, 2007, p. 31-38.

MORAES, Carmen Sylvia Vidigal; Zaia, Iomar Barbosa; Vendrameto, Maria Cristina. “Arquivos escolares e pesquisa histórica: fontes para o estudo da educação brasileira”. In: Pro-posições. Campinas, SP, v.16, n. 46, jan/abril de 2005, p. 117-133.

PARANÁ. Circular n. 24 – outubro de 1956. Dispõe sobre uma campanha para aumento da matrícula nos cursos normais. Secretaria de Educação e Cultura – Serviço de Ensino Normal. Curitiba, out. 1956. (Arquivo do Colégio Estadual Wilson Joffre, 2011).

PARANÁ. Circular n. 52 de 1959. Dispõe sobre a necessidade do corpo docente das Escolas Normais serem constituídas de professores normalistas. Secretaria de Educação e Cultura – Serviço de Ensino Normal. Curitiba, 1959. (Arquivo do Colégio Estadual Wilson Joffre, 2011).

PARANÁ. Decreto no 27.098, de 21 de dezembro de 1959. Fundação da Escola Normal Ginasial Carola Moreira, Curitiba. (Arquivo do Núcleo Regional de Ensino de Cascavel, 2011).

PARANÁ. Decreto no 10.909, de 19 de fevereiro de 1963. Fundação da Escola Normal Colegial Irene Rickli Curitiba. (Arquivo do Núcleo Regional de Ensino de Cascavel, 2011).

PARANÁ. Portaria n. 1.134 – 9 março de 1966. Dispõe sobre as comemorações do movimento revolucionário de 1964 nas escolas. Curitiba: Secretaria de Educação e Cultura, 1966. (Arquivo do Colégio Estadual Wilson Joffre, 2011).

RAGAZZINI, Dário. “Os estudos histórico-educativos e a história da educação”. In: SANFELICE, J. L.; SAVIANI, D.; LOMBARDI, J. C. História da educação: perspectivas para um intercâmbio internacional. Campinas: Autores Associados, 1999, p. 19-35.

RAGAZZINI, Dário. “Para quem e o que testemunham as fontes da história da educação?”. In: Educar em revista. n. 18/2001. Curitiba: Editora UFPR, 2001 p. 13-28.

RODRÍGUEZ, Margarita Victoria. “Pesquisa histórica: o trabalho com fontes documentais”. In: COSTA, C. J.; MELO, J. J. P. e FABIANO, L. H. Fontes e Métodos em História da Educação. Dourados-MS: Ed. UFGD, 2010, p. 35-48.

SAVIANI, Dermeval. “Breves considerações sobre fontes para a história da educação”. In: LOMBARDI, J. C. e NASCIMENTO, M. I. M. (Org). Fontes, História e Historiografia da Educação. Campinas: Autores Associados, 2004, p. 3-12.

SAVIANI, Dermeval. História das idéias pedagógicas no Brasil. 2ao ed. Rev. e ampl. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

SBARDELOTTO, Denise K. O desenvolvimento dos cursos de formação de professores primários na Fronteira Oeste Paranaense: a criação da primeira Escola Normal Secundária Pública de Foz do Iguaçu e do Oeste do paraná. Ponta Grossa, 2009 (Dissertação de mestrado).

SILVA, João Carlos da. “História da Educação: instituições escolares como bjeto de pesquisa”. In: ORSO, P. J.; CASTANHA, A. P. e outros. Educação e História Regional: os desafios de sua reconstrução. Cascavel-PR: Coluna do Saber, 2008, p. 13-25.

SPERANÇA, Alceu A. e SPERANÇA, Carlos. Pequena História de Cascavel e do Oeste. Cascavel, J. S. Impressora, 1980.

TANURI, Leonor Maria. “História da formação de professores”. In: Revista Brasileira de Educação, mai/ago 2000, n. 14. Número especial, p. 61-88.

WERLE, Flávia Obino Corrêa. “História das instituições escolares: de que se fala?” In: LOMBARDI, J. C. e NASCIMENTO, M. I. M. (Org). Fontes, História e Historiografia da Educação. Campinas: Autores Associados, 2004, p. 13-35.

XAVIER, Maria E. S. Capitalismo e escola no Brasil: a constituição do liberalismo em ideologia educacional e as reformas do ensino (1931-1961). Campinas: Papirus, 1990.

Downloads

Como Citar

CASTANHA, A. P.; FACCHI, J. Z. K. Memórias das escolas normais de Cascavel-PR: desafios à preservação. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 45e, p. 162–180, 2012. DOI: 10.20396/rho.v12i45e.8640115. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640115. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)