A DOPS e a vigilância política do movimento estudantil paranaense durante a ditadura civil-militar

Autores

  • Silvana Lazzarotto Schmitt UNIOESTE
  • Alexandre Felipe Fiuza UNIOESTE

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i45.8640139

Palavras-chave:

Movimento Estudantil Secundarista. Polícia Política. Ditadura Civil-Militar

Resumo

Este artigo é resultado de uma pesquisa realizada nos arquivos da Delegacia de Ordem Política e Social (DOPS) do Paraná, em particular, junto aos documentos referentes à organização dos estudantes paranaenses, examinando a documentação relativa a União Paranaense de Estudantes Secundaristas (UPES). O objetivo deste trabalho é elucidar a forma como a polícia política agia em relação ao movimento estudantil paranaense secundarista e ainda como o pensamento político de direita esteve presente na atuação estudantil durante o período da ditadura civil-militar (1964-1984).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvana Lazzarotto Schmitt, UNIOESTE

Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE. Professora Pedagoga da rede estadual de ensino do Estado do Paraná.

Alexandre Felipe Fiuza, UNIOESTE

Pós-doutor em História Contemporânea pela Universidad Autónoma de Madrid/ Espanha e professor do Colegiado de Pedagogia e do Mestrado em Educação da UNIOESTE/ Campus de Cascavel.

Referências

AQUINO, Maria Aparecida de. Censura, Imprensa, Estado Autoritário (1968-1978): o exercício cotidiano da dominação e da resistência: O Estado de São Paulo e Movimento. Bauru: EDUSC, 1999.

HAGEMAYER, Rafael Rosa. 1968: a derrubada do ensino pago no Paraná. In: MARTINS FILHO, João Roberto (org.). 1968 faz trinta anos. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1998.

HELLER, Milton Ivan. Resistência democrática: a repressão no Paraná. Rio de Janeiro: Paz e Terra: Curitiba: Secretaria de Cultura do Estado do Paraná, 1988.

LE GOFF, Jacques. “Memória”. In: História e memória. Campinas: Ed. Unicamp, 1994. p. 423-483.

LE GOFF, Jacques. Documento/monumento. In: História e memória. Campinas: Ed. Unicamp, 1994, p. 535-549.

RIDENTI, Marcelo. O fantasma da revolução brasileira. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1993.

Pastas da DOPS-PR

Pasta Associação Cascavelense de Estudantes Secundaristas no. 54, topografia 08.

Pasta da Associação Central Medianeirense Estudantil de 1o e 2o graus no. 55, topografia 08.

Pasta II Encontro Nacional dos Estudantes no. 0922, topografia 144.

Pasta Movimento de Ação Secundarista no. 1370, topografia 163.

Pasta Movimento Estudantil no. 1419, topografia 168.

Pasta Movimento Estudantil Livre no. 1393, topografia 165.

Pasta União Paranaense dos Estudantes Secundaristas no. 2328, topografia 264.

Pasta União Paranaense dos Estudantes Secundaristas no. 2331, topografia 266.

Pasta União Paranaense dos Estudantes Secundaristas no. 2336, topografia 266.

Pasta União Paranaense dos Estudantes Secundaristas no. 2338, topografia 266.

Downloads

Publicado

2012-06-08

Como Citar

SCHMITT, S. L.; FIUZA, A. F. A DOPS e a vigilância política do movimento estudantil paranaense durante a ditadura civil-militar. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 45, p. 101–114, 2012. DOI: 10.20396/rho.v12i45.8640139. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640139. Acesso em: 16 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos