Por uma educação para além da cidadania: O caso de Rio Bonito do Iguaçu (de 1980 a 2007)

Autores

  • Cláudia Regina Paese Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)
  • Paulino José Orso Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v12i45.8640152

Palavras-chave:

Educação e cidadania. Educação e Emancipação. Rio Bonito do Iguaçu

Resumo

Neste artigo se pretende realizar uma reflexão sobre a educação do/no campo, tendo presente a experiência do Rio Bonito do Iguaçu, ocorrida no período entre 1980 e 2007. Para isso, traz à tona os movimentos sociais do campo, que têm na educação uma importante bandeira de suas luta. Marcados pelas práticas de cooperação e solidariedade que vivenciam, procuram idealizar projetos sociais mais avançados do que os fundados nas formais liberdade e igualdade em que se assenta a cidadania burguesa. Deste modo, os movimentos populares também procuram ampliar o horizonte da educação para além da cidadania.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Regina Paese, Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)

Graduada em Pedagogia/Séries Iniciais - Unisinos/RS, Mestre em Política Social – UFMT, Membro do grupo de pesquisa da UFMT "Ciência, Tecnologia e Inovação Tecnológica" o INTEC Cuiabá – MT.

Paulino José Orso, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Doutor em História e Filosofia da Educação pela Unicamp, docente dos Cursos de Pedagogia e Mestrado em Educação da Unioeste e líder do Grupo de Pesquisa HISTEDOPR/UNIOESTE/ Campus Cascavel.

Referências

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaios sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2001.

CALDART, R. S. A escola do campo em movimento. Currículo sem Fronteiras, v.3, n.1, p.20-81, 2003.

CALDART, R. S. Pedagogia do movimento sem terra: escola é mais que escola. Petrópolis: Vozes, 2000.

CALDART, R. S. Educação popular no meio rural: as experiências pedagógicas nas escolas do MST. In: Silva, L. H.; A, J. C. (Orgs.). Reestruturação curricular. Petrópolis: Vozes, 1995.

CALDART, R. S. Educação em movimento: formação de educadoras e educadores no MST. Petrópolis: Vozes, 1997.

DOSSIÊ MST ESCOLA. Caderno Pedagógico N. 1, Texto Base. Documentos e estudos 1990-2001. ITERRA, 2005.

KOLLING, E. J.; Ir. NERY; MOLINA, M. C. (Orgs.). Por uma educação básica do campo. Brasília: UNB, 1999.

KUENZER, A. Z. Pedagogia da fábrica: as relações de produção e educação do trabalhador. 4. ed. São Paulo: Cortez, 1985.

MELO, D. M. de. Subjetividade e gênero no MST: observações sobre documentos publicados entre 1979 e 2000. In: GOHN, M. da G. (Org.). Movimentos sociais no início do séc. XXI: antigos e novos atores sociais. Vozes: Petrópolis, 2003

MOREIRA, A. F B.; SILVA, T. T. da (Org.). Sociologia e teoria crítica do currículo: uma introdução. In: Currículo, cultura e Sociedade. São Paulo: Cortez, 1994

MORISSAWA, M. A história da luta pela terra e o MST. São Paulo: Expressão Popular, 2001.

PEREIRA, J. E. D. Derrubando as Cercas: A educação no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (Brasil) Currículo sem Fronteiras, v.3, n.1, pp.5-10, Jan/Jun 2003.

RESOLUÇÃO CNE/CEB 1, de 03 de Abril de 2002. Disponível em: www.mieib.org.br/legis/reso_ceb_1_030402.pd Acesso em: 20 ago. 2006. Secretaria municipal de educação, cultura e esportes. A Constituinte escolar de Rio Bonito do Iguaçu. Caderno pedagógico n. 1 Texto Base.

VENDRAMINI. C. R. Terra, trabalho e educação: experiência sócio-educativas em assentamentos do MST. Ijuí: UNIJUI, 2000.

Downloads

Publicado

2012-06-09

Como Citar

PAESE, C. R.; ORSO, P. J. Por uma educação para além da cidadania: O caso de Rio Bonito do Iguaçu (de 1980 a 2007). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 12, n. 45, p. 330–339, 2012. DOI: 10.20396/rho.v12i45.8640152. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640152. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>