A filosofia da história “nacional-popular” nos cadernos de A. Gramsci

  • Giovanni Semeraro Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: História. Filosofia. Educação. Gramsci

Resumo

O texto tem como objetivo resgatar a concepção de filosofia da história que emerge dos Cadernos do cárcere de A. Gramsci, um autor que mostra uma fecunda relação dialética não apenas entre filosofia e política, mas, também, entre filosofia e história. Ao longo da investigação destaca-se a ligação de Gramsci com Hegel e Marx, mas, se colocam particularmente em evidência as diferenças entre eles. Desta forma, o foco das atenções é direcionado sobre os aspectos inovadores que o marxista italiano desenvolve ao interpretar a história moderna, as formas que assume a burguesia na consolidação do seu poder e as novas estratégias de lutas das classes subalternas para conquistar a hegemonia e criar um Estado de caráter nacional-popular. Para Gramsci, o mundo moderno não é apenas a história da burguesia e da “revolução passiva”, mas é também a época em que emergem novos sujeitos políticos que procuram se organizar com uma “vontade coletiva nacional-popular”. Uma “vontade” que Gramsci nunca separa da “necessidade histórica”, de modo a formar nas lutas populares uma “consciência operosa”, ou seja, uma visão lúcida da realidade inseparável da ação política eficaz.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovanni Semeraro, Universidade Federal Fluminense
Prof. de Filosofia da Educação do Departamento de Fundamentos Pedagógicos, no Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense

Referências

BADALONI, Nicola. Il marxismo di Gramsci. Dal mito alla ricomposizione politica. Roma: Riuniti, 1975.

BARATTA, Giorgio. “Spirito popolare creativo”, in: LIGUORI, G. VOZA, P. (Orgs.), Dizionario gramsciano: 1926-1937. Roma: Carocci, 2009, p. 794.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo, SP: Brasiliense, 1987, p. 225.

BLUMENBERG, Hans. Tempo della vita e tempo del mondo. Bologna: Il Mulino, 1996.

BUKHARIN, Nikolai. Teoria del materialismo storico. Manuale popolare de sociologia marxista. Firenze: La Nuova Italia, 1977.

BURGIO, Alberto. Gramsci storico: una lettura dei “Quaderni del carcere”. Roma-Bari: Laterza, 2002.

COUTINHO, Carlos Nelson. De Rousseau a Gramsci. São Paulo, SP: Boitempo, 2011.

CROCE, Benedetto. Materialismo storico ed economia marxista. Bari: Laterza, 1968.

CROCE, Benedetto. La filosofia di Giambattista Vico [1911]. Bari: Laterza 1980.

DE FELICE, Franco. “Rivoluzione passiva, fascismo, americanismo in Gramsci”. In:

FERRI, F. (Org.), Politica e storia in Gramsci, atti del Convegno Internazionale dei studi gramsciani, Firenze, 9-11 dicembre 1977.

FUSARO, Diego Essere senza tempo: accelerazione della storia e della vita. Milano: Bompiani, 2010.

GENTILE, Giovanni. La filosofia di Marx, Firenze: Le Lettere, 2012.

GRAMSCI, Antonio. Quaderni del Carcere, a cura di V. Gerratana. Torino: Einaudi, 4 voll., 1975.

GRAMSCI, Antonio. Alguns temas da questão meridional. In: GRAMSCI, Antonio. A questão meridional. Tradução de Carlos Nelson Coutinho e Marcos Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1987, p.61-93.

GRAMSCI, Antonio. Utopia. In: COUTINHO, Carlos Nelson. (Org.). Escritos políticos, Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Vol I, Rio de Janeiro. RJ: Civilização Brasileira, 2004. p. 200-209.

HEGEL, Georg, W.F. Lezioni sulla storia della filosofia. Firenze: La Nuova Italia, 1983.

HEGEL, Georg, W.F. Fenomenologia do Espírito. Tradução de Paulo Menezes. Petrópolis, RJ: Vozes, 1988.

HEGEL, Georg, W.F. Lineamenti di filosofia del diritto. Roma-Bari: Laterza, 1996.

HEGEL, Georg, W.F. Filosofia da História. Tradução de Maria Rodrigues e Hans Harden.Brasília, DF: UnB, 1999.

HOBSBAWM, Eric. Sobre história. Tradução de Cid Knipel. São Paulo, SP: Companhia das Letras, 1998.

LABRIOLA, Antonio. Da un secolo all’altro. In: LABRIOLA, Antonio. Scritti varii e inediti di filosofia e política, a cura di B. Croce. Bari: Laterza, 1906, p. 487-495.

LOSURDO, Domenico. Contra-história do liberalismo. Tradução de Giovanni Semeraro. Aparecida, SP: Idéias e Letras, 2006.

LÖWITH, Karl. Critica dell’esistenza storica. Napoli: Morano, 1967.

MARRAMAO, Giacomo. Cielo e terra. Genealogia della secolarizzazione. Roma-Bari: Laterza, 1994.

MARTELLI, Michele. Etica e politica: Croce e Gramsci a confronto. Napoli: Città del sole, 2001.

MARX, Karl. Il Capitale. Roma: Riuniti, v.I, 1964.

MARX, Karl. Il Capitale. Roma: Riuniti. v.III, 1965.

MARX, Karl. Manoscritti economici-filosofici del 1844. Torino: Einaudi, 1968.

MARX, Karl. Lineamenti fondamentali di critica dell’economia política. Torino: Einaudi, v.I, 1976.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. Tradução de Maria Helena Barreiro Alves. São Paulo, SP: Martins Fontes, 1983.

MARX, Karl. Miseria della filosofia. Roma: Riuniti, 1998.

MARX, Karl. Il 18 di brumario di Luigi Buonaparte. Roma: Riuniti, 2001.

MARX, K. ENGELS, F. La sacra famiglia. Ovvero critica della critica critica. Contro Bruno Bauer e soci Roma: Riuniti, 1967.

MARX, K. ENGELS, F. Manifesto del partito comunista, traduzione e introduzione di D. Losurdo. Roma-Bari: Laterza, 1999.

MARX, K. ENGELS, F. A idelogia alemã. Tradução de José Carlos Bruni e Marco Aurélio Nogueira. São Paulo, SP: Martins Fontes, 1998, p..

MARX, K. ENGELS, F. Teses sobre Feuerbach. In: MARX, K. e ENGELS, F. A ideologia alemã. Tradução de José Carlos Bruni e Marco Aurélio Nogueira. São Paulo, SP: Martins Fontes, 1998, p.

SECCO, Lincoln. Gramsci e a revolução. São Paulo, SP: Alameda, 2006.

SEMERARO, Giovanni. Gramsci e os movimentos populares: uma leitura do Caderno 25. In: SEMERARO, Giovanni et al. Gramsci e os movimentos populares, Niterói, RJ: Eduff, 2011, p. 287-302.

VICO, Giambattista. Ciência Nova. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2005.

Publicado
2014-03-22
Como Citar
Semeraro, G. (2014). A filosofia da história “nacional-popular” nos cadernos de A. Gramsci. Revista HISTEDBR On-Line, 13(54), 54-69. https://doi.org/10.20396/rho.v13i54.8640168
Seção
Artigos