Formação de professores na Parahyba do Norte iniciativas para a sua institucionalização (1861 a 1883)

Autores

  • Rose Mary de Souza Araújo Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v13i52.8640228

Palavras-chave:

Formação de professores. Escola Normal. Paraíba. Império

Resumo

O presente artigo trata de um estudo sobre o movimento e constituição histórica da formação de professores na Parahyba do Norte. Para tanto analisou-se as iniciativas de institucionalização da formação de professores ensaiadas no período de 1861 a 1883. A análise dessas iniciativas assenta-se no materialismo histórico dialético a partir dos referenciais elaborados por Thompson (1981) e Gramsci (1989). O corpo documental é composto por: legislações, relatórios e mensagens de gestores públicos paraibanos e jornais locais. Constata-se que na realidade paraibana oitocentista as iniciativas para institucionalizar a formação de professores foram atravessadas por conflitos políticos adversos, não lograram êxito e foram projetadas sob os princípios iluministas difundidos pela modernidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rose Mary de Souza Araújo, Universidade Federal da Paraíba

Professora Adjunto de História da Educação no Departamento de Fundamentação da Educação- CE/UFPB.  Membro do Grupo de Pesquisa História da Educação no Nordeste Oitocentista - GHENO/PPGH e do Grupo de Pesquisa História da Educação da Paraíba - HISTEDBR-PB. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação Brasileira.

Referências

ALMEIDA, José Ricardo Pires. Instrução pública no Brasil (1500-1889): História e Legislação. 2. ed. Tradução Antonio Chizzotti. São Paulo: EDUC, 2000.

GRAMSCI, Antonio. Concepção dialética da história. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1988.

GURJÃO, Eliete de Queiroz. Morte e vida das oligarquias: Paraíba (1889-1945). João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 1994.

KULESZA, Wojciech A. A institucionalização da Escola Normal no Brasil (1870-1910). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. V. 79, No. 193. Brasília: O Instituto, 2000, 63-71.

LEWIN, Linda. Política e parentela na Paraíba. Tradução de André Villalobos. Rio de Janeiro: Record, 1993.

LOPES, Antônio de Pádua Carvalho. Um viveiro muito especial: Escola Normal e profissão docente no Piauí. In: ARAUJO, José Carlos Souza [et al.], (orgs.). As escolas normais no Brasil: do império à república. Campinas, SP: Alínea, 2008, p. 107-122.

MELO, José Octávio de Arruda. História da Paraíba: lutas e resistências. João Pessoa: A União/Sec, 1994.

MELLO, José Baptista de. Evolução do ensino na Paraíba. João Pessoa: Imprensa Oficial, 1956.

MONARCHA, Carlos. Escola Normal da Praça: o lado noturno das luzes. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp. 1999.

PINHEIRO, Antonio Carlos F.; CURY, Claudia Engler (Orgs.). Leis e Regulamentos da Instrução da Paraíba no Período Imperial. Brasília: INEP, 2004. Disponível em http://www.inep.gov.br/estatisticas/cdeb_2004/PB.pdf. Acesso em 09/04/2007.

SAVIANI, Dermeval. A pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas, SP: Autores Associados, 2008. (Coleção Memória da Educação).

THOMPSON, Edward Palmer. A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Tradução Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

Downloads

Publicado

2013-11-18

Como Citar

ARAÚJO, R. M. de S. Formação de professores na Parahyba do Norte iniciativas para a sua institucionalização (1861 a 1883). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 52, p. 35–53, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i52.8640228. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640228. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos