O circo e suas miragens: a escola nacional do circo e a história dos espetáculos na produção acadêmica brasileira

Autores

  • Gláucia Andreza Kronbauer Departamento de Educação Física, DEDUF/I Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO, Paraná
  • Maria Isabel Moura Nascimento Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes Universidade Estadual de Ponta-Grossa, UEPG, Paraná

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v13i52.8640240

Palavras-chave:

Circo. Relações de Produção. Trabalhador Circense

Resumo

O circo é uma manifestação artística que transita entre as mais diversas sociedades da história da humanidade, e delas empresta características e peculiaridades. Chegou ao Brasil no século XVIII e, no século XX iniciou processo de capitalização dos espetáculos, ainda em andamento, o que vem trazendo implicações para sua configuração e, principalmente, para o trabalhador circense. Destacamos o fato de que, uma vez que os espetáculos assumiram valor de troca e possibilidade de acúmulo de capital, o artista enquanto fornecedor da força de trabalho precisou qualificar e profissionalizar suas atividades e, uma das formas encontradas, foi a institucionalização dos conhecimentos circenses em escolas profissionalizantes. A criação da Escola Nacional do Circo, fundada em 1982 no Rio de Janeiro, e mantida até hoje pela Fundação Nacional de Artes (FUNARTE), é um exemplo desse processo. Nesse contexto, o objetivo do presente estudo é analisar a produção acadêmica referente a Escola Nacional do Circo e, consequentemente, aquelas que tematizam a reestruturação do circo com o surgimento das grandes companhias empresariais e as mudanças ocorridas nas relações de produção no espetáculo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gláucia Andreza Kronbauer, Departamento de Educação Física, DEDUF/I Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO, Paraná

Graduada em Educação Física pela Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, 2005. Mestrado em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, 2009. Professora do Departamento de Educação Física da Universidade Estadual do Centro-Oeste, Paraná

Maria Isabel Moura Nascimento, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes Universidade Estadual de Ponta-Grossa, UEPG, Paraná

Graduada em Pedagogia pelo Instituto de Ciências Sociais de Americana, 1992. Mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, 1996. Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, 2004. Professora no Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná.

Referências

BOLOGNESI, M. F. Circo e teatro: aproximações e conflitos. Revista Sala Preta (USP), v. 6, p. 9-19, 2006.

CURY, C. R. J. Educação e Contradição: elementos metodológicos para uma teoria crítica do fenômeno educativo. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1989.

FONSECA, M. A. B. Serafim Ponte Grande: o mundo enquanto circo. 1978. Dissertação (Mestrado em Teoria Literária e Literatura Comparada). Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1978.

GOMES, R. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In.: MINAYO, M. C. S. (org). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

IANNI, O. Dialética e Capitalismo – ensaio sobre o pensamento de Marx. Petrópolis, RJ: Vozes, 1988.

HARNECKER, M. Conceitos elementares do materialismo histórico. São Paulo: Global, 1983.

BRASIL. Lei Federal 6.533, de 24 de maio de 1978. Dispõe sobre a regulamentação das profissões de Artistas e de técnico em Espetáculos de Diversões, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Poder Executivo, Brasília, DF, 26 de maio de 1978.

LARA, C. De Pirandello a Piolim – Alcântara Machado e o teatro no modernismo. Rio de Janeiro: INACEN, 1987.

MAGNANI, J. G. C. Festa no Pedaço: cultura popular e lazer na cidade. São Paulo: EDUNESP/HUCITEC, 2003.

MARX, K. Teorias da mais valia: Vol I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,1980.

MARX, K. ; ENGELS, F. A Ideologia Alemã. Trad. José Carlos Bruni e Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: HUCITEC, 1989.

OLIVEIRA, D. A. ; FERREIRA, E. B. Políticas sociais e democratização da educação: novas fronteiras entre público e privado. In.: AZEVEDO, M. L. N. de (org.). Políticas Públicas: debates contemporâneos. Maringá, PR: EDUEM, 2008, p. 23-45.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 34, p. 152-165, 2007.

SILVA, E. Circo-teatro: Benjamin de Oliveira e a teatralidade circense no Brasil. São Paulo: Atlanta, 2007.

SILVA, E. ; ABREU, L.A. Respeitável Público... O circo em cena. Rio de Janeiro: Funarte, 2009.

Downloads

Publicado

2013-11-19

Como Citar

KRONBAUER, G. A.; NASCIMENTO, M. I. M. O circo e suas miragens: a escola nacional do circo e a história dos espetáculos na produção acadêmica brasileira. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 52, p. 238–249, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i52.8640240. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640240. Acesso em: 29 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>