Banner Portal
O circo e suas miragens: a escola nacional do circo e a história dos espetáculos na produção acadêmica brasileira
PDF

Palavras-chave

Circo. Relações de Produção. Trabalhador Circense

Como Citar

KRONBAUER, Gláucia Andreza; NASCIMENTO, Maria Isabel Moura. O circo e suas miragens: a escola nacional do circo e a história dos espetáculos na produção acadêmica brasileira. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 52, p. 238–249, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i52.8640240. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640240. Acesso em: 30 maio. 2024.

Resumo

O circo é uma manifestação artística que transita entre as mais diversas sociedades da história da humanidade, e delas empresta características e peculiaridades. Chegou ao Brasil no século XVIII e, no século XX iniciou processo de capitalização dos espetáculos, ainda em andamento, o que vem trazendo implicações para sua configuração e, principalmente, para o trabalhador circense. Destacamos o fato de que, uma vez que os espetáculos assumiram valor de troca e possibilidade de acúmulo de capital, o artista enquanto fornecedor da força de trabalho precisou qualificar e profissionalizar suas atividades e, uma das formas encontradas, foi a institucionalização dos conhecimentos circenses em escolas profissionalizantes. A criação da Escola Nacional do Circo, fundada em 1982 no Rio de Janeiro, e mantida até hoje pela Fundação Nacional de Artes (FUNARTE), é um exemplo desse processo. Nesse contexto, o objetivo do presente estudo é analisar a produção acadêmica referente a Escola Nacional do Circo e, consequentemente, aquelas que tematizam a reestruturação do circo com o surgimento das grandes companhias empresariais e as mudanças ocorridas nas relações de produção no espetáculo.

https://doi.org/10.20396/rho.v13i52.8640240
PDF

Referências

BOLOGNESI, M. F. Circo e teatro: aproximações e conflitos. Revista Sala Preta (USP), v. 6, p. 9-19, 2006.

CURY, C. R. J. Educação e Contradição: elementos metodológicos para uma teoria crítica do fenômeno educativo. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1989.

FONSECA, M. A. B. Serafim Ponte Grande: o mundo enquanto circo. 1978. Dissertação (Mestrado em Teoria Literária e Literatura Comparada). Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1978.

GOMES, R. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In.: MINAYO, M. C. S. (org). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

IANNI, O. Dialética e Capitalismo – ensaio sobre o pensamento de Marx. Petrópolis, RJ: Vozes, 1988.

HARNECKER, M. Conceitos elementares do materialismo histórico. São Paulo: Global, 1983.

BRASIL. Lei Federal 6.533, de 24 de maio de 1978. Dispõe sobre a regulamentação das profissões de Artistas e de técnico em Espetáculos de Diversões, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Poder Executivo, Brasília, DF, 26 de maio de 1978.

LARA, C. De Pirandello a Piolim – Alcântara Machado e o teatro no modernismo. Rio de Janeiro: INACEN, 1987.

MAGNANI, J. G. C. Festa no Pedaço: cultura popular e lazer na cidade. São Paulo: EDUNESP/HUCITEC, 2003.

MARX, K. Teorias da mais valia: Vol I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,1980.

MARX, K. ; ENGELS, F. A Ideologia Alemã. Trad. José Carlos Bruni e Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: HUCITEC, 1989.

OLIVEIRA, D. A. ; FERREIRA, E. B. Políticas sociais e democratização da educação: novas fronteiras entre público e privado. In.: AZEVEDO, M. L. N. de (org.). Políticas Públicas: debates contemporâneos. Maringá, PR: EDUEM, 2008, p. 23-45.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 34, p. 152-165, 2007.

SILVA, E. Circo-teatro: Benjamin de Oliveira e a teatralidade circense no Brasil. São Paulo: Atlanta, 2007.

SILVA, E. ; ABREU, L.A. Respeitável Público... O circo em cena. Rio de Janeiro: Funarte, 2009.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.