“Descobrindo o corpo humano”: a prática pedagógica histórico-crítica na educação infantil

Autores

  • Liliane Alves Bernardo Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
  • Leonardo Docena Pina Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v13i52.8640244

Palavras-chave:

Pedagogia histórico-crítica. Psicologia histórico-cultural. Educação Infantil. Ciências. Corpo humano

Resumo

o presente texto apresenta um estudo que teve como foco a prática pedagógica histórico-crítica na educação escolar de crianças de 4 a 6 anos. Para iniciar a discussão, apresentamos uma crítica à pedagogia antiescolar na educação infantil, enfatizando sua contribuição à desvalorização da educação escolar e à expropriação do conhecimento a que são submetidos os indivíduos das frações menos privilegiadas da classe trabalhadora no capitalismo. Contrapondo-se a essa concepção, situamos a Pedagogia histórico-crítica e a Psicologia histórico-cultural como referências para defender a pré-escola como instituição responsável pela socialização do conhecimento historicamente acumulado pela humanidade. Em seguida, apresentamos uma experiência pedagógica desenvolvida na educação infantil, tendo como referência os fundamentos da perspectiva histórico-crítica e histórico-cultural. O texto comprova a viabilidade dessa perspectiva na educação infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liliane Alves Bernardo, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Leonardo Docena Pina, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Doutorando em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), professor de Educação Física da rede pública municipal de ensino de Juiz de Fora e integrante do Núcleo de Estudos sobre Trabalho e Educação da UFJF.

Referências

ARCE, A. O Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil e o espontaneísmo: (re)colocando o ensino como eixo norteador do trabalho pedagógico com crianças de 4 a 6 anos. In: ARCE, A; MARTINS, L. M. (Orgs.). Quem tem medo de ensinar na Educação Infantil? Em defesa do ato de ensinar. 2.ed. Campinas: Alínea, 2010.

ARCE, A. Pedagogia da infância ou Fetichismo da infância?. In: DUARTE, N. (Org.). Crítica ao fetichismo da individualidade. Campinas: Autores Associados, 2004.

ARCE, A; MARTINS, L. M (orgs.). Quem tem medo de ensinar na educação infantil? Em defesa do ato de ensinar. 2. Ed. São Paulo: Editora Alínea, 2010.

ARCE, A; SILVA, D. A. M; VAROTTO, M. Ensinando ciências na educação infantil. Campinas: Editora Alínea, 2011.

BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. 3 vols. Brasília: MEC/SEF, 1998.

DUARTE, N. Concepções afirmativas e negativas sobre o ato de ensinar. Cadernos CEDES, Campinas, v. 44, p. 85-106, 1998.

DUARTE, N. Educação escolar, teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. 4. Ed. Campinas: Autores Associados, 2007.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a prender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 4. Ed. Campinas: Autores Associados, 2006.

DUARTE, N. A escola de Vigotski e a educação escolar: algumas hipóteses para uma leitura pedagógica da psicologia histórico-cultural. Psicologia USP, São Paulo, v.7, n.1/2, p.17-50, 1996.

DUARTE, N. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões? Quatro ensaios crítico-dialéticos em filosofia da educação. Campinas: Autores Associados, 2003.

GASPARIN, J. L. Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. 3. Ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

LEONTIEV. A. Desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizontes, 1978.

LOURO, A. Cada um... é um! Juiz de Fora: Franco Editora, 2010.

MARSIGLIA, A. C. G. A prática pedagógica histórico-crítica na educação infantil e no ensino fundamental. Campinas: Autores Associados, 2011.

MARSIGLIA, A. C. G. Como transpor a pedagogia histórico-crítica para a prática pedagógica do professor na educação infantil? Trabalho (Conclusão de Curso) – Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2005.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Tese (Livre Docência em Psicologia da Educação). Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2011.

PASQUALINI, J. C. A educação escolar da criança pequena na perspectiva histórico-cultural e histórico-crítica. IN: MARSIGLIA, A. C. G (org). Pedagogia histórico-crítica: 30 anos. Campinas: Autores associados, 2011.

PASQUALINI, J. C. O papel do professor e do ensino na educação infantil: a perspectiva de Vigotski, Leontiev e Elkonin. In: DUARTE, N; MARTINS, L. M (orgs.). Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

PASQUALINI, J. C.; MARTINS, L. M. A Educação Infantil em busca de identidade: análise crítica do binômio cuidar-educar e da perspectiva anti-escolar em Educação Infantil. Psicologia da Educação, v. 27, p. 71-100, 2008.

PINA, L. D. Uma prática pedagógica histórico-crítica com o atletismo na educação infantil. In: Congresso Infância e Pedagogia Histórico-crítica, 2012, Vitória. Anais... Congresso Infância e Pedagogia Histórico-crítica. Vitória: Editora do PPGE da UFES, 2012.

ROCHA, E. A. C. A pesquisa em educação infantil no Brasil: trajetória recente e perspectivas de consolidação de uma pedagogia. Tese (Doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

SAVIANI, D. Escola e Democracia. 38. Ed. Campinas: Autores Associados, 2006.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9. Ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

SAVIANI, D. Trabalho e Educação: fundamentos ontológicos e históricos. In: Revista Brasileira de Educação, v.12, n.34, p. 152-165, 2007.

SUHR, M; GORDON, M. Eu me alimento. 2. Ed. São Paulo, Scipione, 1998.

VIANA, V. A. Eu sou isso. 8. Ed. Belo Horizonte: Editora Lê, 1997.

Downloads

Publicado

2013-11-19

Como Citar

BERNARDO, L. A.; PINA, L. D. “Descobrindo o corpo humano”: a prática pedagógica histórico-crítica na educação infantil. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 52, p. 301–320, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i52.8640244. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640244. Acesso em: 24 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos