Escola pública em Minas Gerais: gênese do Grupo Escolar Ildefonso Mascarenhas da Silva (anos 1940–50)

Autores

  • Betânia de Oliveira Laterza Ribeiro Universidade Federal de Uberlândia
  • Valéria Aparecida de Lima Universidade Federal de Uberlândia
  • Armindo Quillici Neto FACED

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v13i51.8640280

Palavras-chave:

Educação. Economia. Modelo escolar. Alfabetização

Resumo

O primeiro grupo escolar de Ituiutaba (MG) começou a funcionar em 1910; o segundo, em 1947. Como esse meio-tempo foi de expansão nacional da educação pública, a diferença de 37 anos suscita vários questionamentos. Por exemplo: por que esse município formalizou o primeiro grupo escolar em 1908 — quando sua economia era inexpressiva — e o segundo em 1947 — quando sua economia se projetava no estado e no país? Este estudo problematiza historicamente a criação do grupo escolar Ildefonso Mascarenhas nessa relação entre educação (precária) e economia (ascendente), sem se furtar aos aspectos políticos e sociais que permeiam tal relação. As fontes dessa problematização abrangem dados demográfico-estatísticos, imprensa escrita, relatos orais e fotografias, analisados interpretativamente. Dentre outros achados, os resultados sugerem que a criação da escola resultou menos da ação de políticos, e mais do esforço de sujeitos ligados diretamente à educação; e que o papel do Estado se restringiu mais à formalização legal da escola do que a seu funcionamento cotidiano. Ao discutir essas questões, este estudo buscou ampliar a escrita de uma história-problema da educação no país, sobretudo da tentativa de massificar a alfabetização pela difusão de um modelo escolar como política pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Betânia de Oliveira Laterza Ribeiro, Universidade Federal de Uberlândia

Docente do curso de Pedagogia da Faculdade de Ciências Integradas o Pontal (FACIP) e da pós-graduação da Faculdade de Educação (FACED), ambas da Universidade Federal e Uberlândia; é pós-doutora pela Universidade de São Paulo (USP), campus de Ribeirão Preto, e doutora pela USP de São Paulo.

Valéria Aparecida de Lima, Universidade Federal de Uberlândia

Coordenadora pedagógica Escola Especial Bem-Me-Quer, de Ituiutaba, MG; é graduada em Pedagogia pela FACIP/UFU e especializada em História e Cultura Brasileira.

Armindo Quillici Neto, FACED

Docente do curso de Pedagogia da FACIP e da pós-graduação da FACED; é doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ARAUJO, José C. S. Os grupos escolares em Minas Gerais como expressão de uma política pública: uma perspectiva histórica. In: VIDAL, Diana G. (Org.). Grupos escolares: cultura escolar primária e escolarização da infância no Brasil (1893–1971). Campinas: Mercado de Letras, 2006.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Dos pardieiros aos palácios: forma e cultura escolares em Belo Horizonte (1906/1918). 1996. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

FERREIRA, Ana Emília Cordeiro Souto; CARVALHO, Carlos Henrique. O Grupo Escolar João Pinheiro: sua gênese e desenvolvimento no cenário histórico-educacional de Ituiutaba (1908–1988). In: RIBEIRO, Betânia Oliveira Laterza; SOUZA, Sauloéber Társio (Org.). Do público ao privado, do confessional ao laico: a história das instituições escolares na Ituiutaba do século XX. Uberlândia: ed. UFU, 2009, p. 73–115.

FISCHER, Beatriz Daudt. Imprensa pedagógica como dispositivo de subjetivação da professora moderna: estudo de caso a partir da Revista do Ensino no Brasil/1950–1970. Linhas, Florianópolis: UDESC, v. 5, n. 1, s. p., 2004.

GONÇALVES NETO, Wenceslau; GATTI JÚNIOR, Décio. Reflexões em torno da expansão escolar no Triangulo Mineiro. Boletim do CDHIS — Centro de Documentação e Pesquisa em História, Uberlândia, v. 11, n. 22, p. 5–7, 1998.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Prática Escolar: do Erro Como Fonte de Castigo ao Erro Como Fonte de Virtude. Série Idéias, São Paulo: FDE, n. 8, p. 133–140, 1998.

MORAES, Vera C. O. Tudo pela pátria: a história do Instituto Marden (1933–45). 2004. Dissertação (Mestrado em Educação) — Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.

MOURA SOBRINHO, Vicente Batista de; INÁCIO FILHO, Geraldo. Imprensa e massificação do ensino em Uberlândia, MG: preliminares do percurso histórico (1940–1960). Cadernos de História da Educação, Uberlândia: ed. UFU, v. 1, n. 1, p. 127–32, jan./dez. 2002. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/che/article/viewFile/320/313. Acesso em: 8 ago. 2013.

RIBEIRO, Betânia Oliveira Laterza; SILVA, Elizabeth Farias. O Grupo Escolar de Villa Platina e a educação: variações intrínsecas sobre um prédio determinado. In: RIBEIRO, Betânia Oliveira Laterza; SOUZA, Sauloéber Társio (Org.). Do público ao privado, do confessional ao laico: a história das instituições escolares na Ituiutaba do século XX. Uberlândia: ed. UFU, 2009, p. 47–72.

RIBEIRO, Betânia Oliveira Laterza. Escolarização pública na região de Ituiutaba/MG (1940–50). Projeto de pesquisa aprovado pelo Conselho Nacional de Pesquisa para ser desenvolvido no curso de Pedagogia da Faculdade de Ciências Integradas do Pontal. Ituiutaba, MG, 2010.

RIBEIRO, Betânia Oliveira Laterza; SILVA, Elizabeth Farias. Educação e domínio: escola como ilusão de inclusão social do “negro” no Brasil da década de 1930. Cadernos de História da Educação, Uberlândia: ed. UFU, v. 9, n. 2, p. 363–75, jul./dez. 2010.

SÁ, Nicanor Palhares; SIQUEIRA, Elizabeth Madureira. Modernidade e castigos escolares: oscilando entre os costumes e a legislação (o caso da Província de Mato Grosso). In: LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval; NASCIMENTO, Maria Isabel (Org.). Navegando pela história da educação Brasileira. 1. ed. Graf. FE: HISTEDBR, v. 1, p. 1–14, 2006. Disponível em: <http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/artigos_frames/artigo_086.html>. Acesso em: 8 maio 2013.

SAVIANI, Dermeval. O legado educacional do século XX no Brasil. São Paulo: Autores Associados, 2004.

SILVA, Dalva Maria Oliveira. Memória: lembrança e esquecimento. Trabalhadores nordestinos no Pontal do Triângulo Mineiro nas décadas de 1950 e 1960. 1997. Dissertação (Mestrado em História) — Programa de Estudos Pós-graduados em História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

SOUZA, Rosa Fátima de. Templos de civilização. A implantação da escola primária graduada no Estado de São Paulo (1890–1910). São Paulo: ed. UNESP, 1998.

SOUZA, Rosa Fátima de. Lições da escola primária. In: SAVIANI, Dermeval et al. O legado educacional do século XX no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2004.

SOUZA, Sauloéber Tarsio de. O universo escolar nas páginas da imprensa tijucana (Ituiutaba/MG — anos de 1950 e 1960). Cadernos de História da Educação, v. 9, n. 2, p.523–41, jul./dez. 2010,

VEIGA, Cynthia Greive. Sentimentos de vergonha e embaraço: novos procedimentos disciplinares no processo de escolarização da infância em Minas Gerais no século XIX. In: CONGRESSO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS, 2., 2003, Uberlândia. Anais... Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, 2003. Disponível em: http://www.faced.ufu.br/nephe/images/arq-ind-ome/eixo7/completos/sentimentos-vergonha.pdf. Acesso em: 8 maio 2012.

VILELA, Claudia Oliveira Cury. Escola Noturna “Machado de Assis”: primeira instituição municipal de ensino primário noturno da cidade de Ituiutaba, MG (1941–1960). 2011. 141 f. Dissertação (Mestrado em Educação) — Faculdade de EducaçãoUniversidade federal de Uberlândia, Ufberlândia.

Downloads

Como Citar

RIBEIRO, B. de O. L.; LIMA, V. A. de; QUILLICI NETO, A. Escola pública em Minas Gerais: gênese do Grupo Escolar Ildefonso Mascarenhas da Silva (anos 1940–50). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 51, p. 323–340, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i51.8640280. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640280. Acesso em: 29 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos