Geografia da educação do campo no triângulo mineiro

Autores

  • Ricardo Araujo Leite Universidade Federal de Uberlândia
  • Marcelo Cervo Chelotti Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v13i50.8640304

Palavras-chave:

Geografia Agrária. Educação do Campo. Triângulo Mineiro

Resumo

O presente artigo tem por objetivo refletir sobre os desafios da educação do campo noTriângulo Mineiro, região que nas últimas décadas caracterizou-se por uma intensaterritorialização do agronegócio, ao mesmo tempo em que avançaram as reivindicações dosmovimentos sociais do campo. Portanto, o caráter modernizador tornou invisível ademanda por outra educação, ou seja, uma educação do campo em consonância com osanseios da população rural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Araujo Leite, Universidade Federal de Uberlândia

Mestrando no Programa de Pós-graduação em Geografia. Membro do Núcleo de Estudos Agrários e Territoriais– NEAT e do Laboratório de Geografia Agrária – LAGEA

Marcelo Cervo Chelotti, Universidade Federal de Uberlândia

Professor do Instituto de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Uberlândia. Membro do Núcleo de Estudos Agrários e Territoriais – NEAT e do Laboratório de Geografia Agrária – LAGEA

Referências

ANTONIO, C. A. Movimentos sociais, educação do campo e política educacional: adversidades para a qualidade educacional. Tempo da ciência, n.12, p.25-47, 1 semestre 2005.

BRANDÃO, C. R. A educação popular na escola cidadã. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

BRANDÃO, C. A. Triângulo capital comercial, geopolítica e agroindústria, 1989. 183 f. Dissertação (Mestrado) – Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1989.

BRASIL. Decreto Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

BRASIL, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, Censo Escolar da Educação Básica 2010, Brasília. DF. 2010. Disponível em http://portal.inep.gov.br/basica-censo Acesso em: 16 set. 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de educação continuada, alfabetização (SECAD). Educação do Campo: diferenças mudando paradigmas. Brasília (DF), 2007.

BRASIL. Decreto 7.352 Política de Educação do Campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA. Brasília, DF, 2010.

BOGO, A. Arquitetos de sonhos. São Paulo: Editora Expressão Popular Ltda., 2003.

CALDART, R. S., Pedagogia do movimento sem terra, 3a edição, São Paulo, Expressão Popular, 2003.

CALDART, R. S. A escola do campo em movimento In: ARROYO, M. G. CALDART, R.

S. MOLINA, M. C. (org.) Por uma Educação do Campo. Petrópolis: Vozes, 2004. P. 87 a 131.

CLEPS JUNIOR, J. Dinâmicas e estratégias do setor agroindustrial do cerrado: o caso do Triângulo Mineiro, 1998. 256 f. Tese (doutorado) – Curso de Pós Graduação em Geografia – Área de concentração em organização do espaço, Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” Campos Rio Claro, 1998.

FAGUNDES, A. L.; DE DAVID C. O dinamismo na prática pedagógica da escola itinerante do MST e o ensino de Geografia. In: XIX ENCONTRO NACIONAL DE GEOGRAFIA AGRÁRIA, 19, 2009, São Paulo: Departamento de Geografia – FFLCH-

USP, 2009. p. 1-17.

FERNANDES, B. M. A formação do MST no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2000.

FERNANDES, B. M. Diretrizes de uma caminhada. In: ARROYO, M. G. CALDART, R. S. MOLINA, M. C. (org.) Por uma Educação do Campo. Petrópolis: Vozes, 2004. P. 134 a 158.

GRZYBOWSKI, C. Caminhos e descaminhos dos movimentos sociais no campo. 2a ed. Rio de Janeiro: FASE/ Vozes, 1987.

JESUS, I. N. Escola Família Agrícola: uma proposta de educação em desenvolvimento no campo e do campo. In: PEREIRA, J. B., COSTA E SILVA, V., PACHECO, Z. (Org.) Pedagogia Da Alternância: construindo a educação no campo. Goiânia: Brasília, Ed. da UCG/ Ed. Universa, 2006. P. 123-138.

LEITE, S. C. Escola Rural: urbanização e políticas educacionais 2 ed. São Paulo. Ed: Cortez, 2002.

MINAS GERAIS, Secretaria de Estado da Educação. Lista de escolas públicas e particulares de Minas Gerais, Belo Horizonte. MG. 2010. Disponível em https://www.educacao.mg.gov.br/escolas/lista-de-escolas Acesso em: 16 set. 2010.

MEURER, A. C.; DE DAVID, C. Educação no campo e escola itinerante do MST: articulação do projeto político-pedagógico com o contexto sócio-educacional. Disponível em: http://www.ufsm.br/ce/revista Acesso em: 14 jul. 2010.

MEURER, A. C.; DAVID, C. (Org.). Espaços-tempos de itinerância: articulações entre universidade e escola itinerante do MST. Santa Maria – RS: Ed. UFSM, 2006.

MOREIRA, M. C. Diversidade cultural e formação de professores/as: uma experiência em um assentamento rural. 2004. 186 f. Dissertação (Mestrado em Educação)-Programa de Mestrado em Educação, Universidade Federal de Uberaba, Uberaba, 2004.

MORIGI, V. Escola do MST: uma utopia em construção. Porto Alegre: Mediação, 2003.

PALADIM JÚNIOR, H. A. Educação do Campo: a territorialização e a espacialização do MST. São Paulo, SP: ANNABLUME, 2010.

PESSÔA, V. L. S. Características da modernização da agricultura e do desenvolvimento rural em Uberlândia. 1982. 164 f. Dissertação (Mestrado em Geografia)- Curso de Pós Graduação em Geografia – Área de concentração em organização do espaço, Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” Campos Rio Claro, 1982.

PETTY, M. TOMBIM, A. VERA, R. uma alternativa em educação rural. In: WERTHEN, J. BORDEVANE, J. D. (Org.) Educação rural no terceiro mundo: experiências e novas alternativas. Tradução de Paulo Roberto Kraner e Lúcia Teresa Lessa Carregal. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985. p.31 -63.

RIBEIRO, M. Movimento camponês trabalho e educação: liberdade, autonomia, emancipação: princípios/fins da formação humana. São Paulo, SP: Expressão Popular, 2010.

SILVA, A. C. O. Educação no campo e trabalho: um estudo das escolas municipais rurais de Uberlândia-MG. 125f. Dissertação (Mestrado em Educação), FACED-UFU, 2011.

SOUZA, J. F. Educação popular e movimentos sociais no Brasil. In: CANÁRIO, Rui. (Org.). Educação popular & movimentos sociais. Lisboa: Educa, 2007.

SOUZA, C. L. F.. SILVA, E. B.. SOUSA, F. C. et al. Geografia e Educação do Campo: para que e quem serve a educação no campo do Estado de Goiás?. Goiânia: Editora Vieira, 2010.

SOARES, B. R. CAVALINI, M. B. PESSÔA, V. L. S. O espaço rural de Uberlândia no ano de seu centenário. Cadernos de Geografia. Uberlândia, n. 2, p 1 – 53, dez. 1988.

UBERLÂNDIA. Secretaria Municipal de Educação. Disponível em http://www5.uberlandia.mg.gov.br Acesso em: 16 nov. 2013.

VENDRAMINI, C. R. A escola diante do multifacetado espaço rural. Perspectiva – Revista do Centro de Ciências da Educação, Florianópolis, v.21, n.1, jan./jun. 2004, p. 145-166.

Downloads

Como Citar

LEITE, R. A.; CHELOTTI, M. C. Geografia da educação do campo no triângulo mineiro. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 50, p. 226–237, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i50.8640304. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640304. Acesso em: 25 jan. 2021.

Edição

Seção

Artigos