Trabalho docente em perspectiva sócio-histórica: a posição de classe do professor e os desafios contemporâneos

Autores

  • Ivonaldo Leite

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v13i49.8640326

Palavras-chave:

Educação. Professor. Classe social. Trabalho. Reestruturação capitalista

Resumo

O artigo tem como objetivo apresentar a posição de classe do professorado e, ao mesmo tempo, descrever alguns dos desafios que a reestruturação capitalista tem colocado ao trabalho docente. Para tanto, metodologicamente, faz-se uma revisão da literatura científica da área, bem como de documentos de organizações internacionais que têm procurado influenciar os rumos da educação em diferentes países. Dentre os seus resultados, o artigo demonstra que: 1) o professor é um trabalhador intelectual cujas atividades estão sendo extremamente proletarizadas atualmente; 2) a reestruturação capitalista tem redefinido a relação entre trabalho e educação; 3) como alternativa contra-hegemônica, evidencia-se a necessidade de o trabalho docente ser desenvolvido realizando uma conexão entre novas tecnologias e ética, partindo, no cotidiano escolar, da categoria práxis como categoria englobante do ser social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AFONSO, Almerindo J. & ANTUNES, Fátima. Educação, cidadania e competitividade: algumas questões em tono de uma nova agenda teórica e política. Braga, 2001 (mimeo).

BANCO MUNDIAL. Education sector strategy. Washington, D.C.: The World Bank Group. Human Development Network, 1999.

BANCO MUNDIAL. Priorities and strategies for education. A World Bank Review. Washington, D.C.: The World Bank Group - Series Development in Practice, 1995.

BERNARDO, João. Estado: a silenciosa multiplicação do poder, São Paulo: Escrituras Editora, 1998.

BOLTANSKI, Luc. Les cadres: la formation d’un groupe social, Paris: Editions de Minuit, 1982.

CEPAL. Panorama social de América Latina. Santiago do Chile: CEPAL, 1995.

CEPAL. Transformación Productiva con Equidad. Santiago do Chile: CEPAL, 1990.

CEPAL & UNESCO. Educación y conocimiento: eje de la transformación productiva con equidad. Santiago do Chile: Publicación de las Naciones Unidas, 1992.

COMISSÃO EUROPEIA. Ensinar e aprender: rumo à Sociedade Cognitiva (Livro Branco sobre Educação e Formação). Luxemburgo: Publicações Oficiais das Comunidades Europeias, 1995.

COMISSÃO EUROPEIA. Crescimento, competitividade e emprego: os desafios e as pistas para educar no Século XXI (Livro Branco). Luxemburgo: Publicações Oficiais das Comunidades Europeias, 1994.

CORAGIO, J. L. Economía y educación en América Latina: notas para una agenda de los 90. S/L: CEAAL, 1993.

DUBBAR, Claude. A sociologia do trabalho frente à qualificação e à competência. In: Educação e Sociedade, no 64, São Paulo, 1998.

GRAMSCI, António. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1978.

ENGELS, Friedrich. Carta a Bloch. In: MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Obras escolhidas. v. 3. São Paulo: Alfa-Ômega, 1986.

GENTILI, Pablo. Educar para o desemprego: a desintegração da promessa integradora. In: FRIGOTTO, Gaudêncio (Org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. Rio de Janeiro: Vozes, 1998.

LUKÁCS, George. História e consciência de classe: estudos sobre a dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

GOLDMANN, Lucien, Filosofia e ciências humanas. São Paulo: Difel, 1986.

MANNHEIM, Karl. Ideologia e utopia. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

MARX, Karl. O 18 Brumário de Luís Bonaparte e cartas a Kugelmann. 2 ed. Tradução: Leandro Konder. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

OCDE. O ensino na sociedade moderna. Porto: ASA, 1989.

OCDE. Papel da educação no desenvolvimento sócio-econômico. Lisboa: Ministério da Educação, 1987.

POULANTZAS, Nicos. Poder político y clases sociales en el Estado capitalista. México: Siglo XXI, 1970

POULANTZAS, Nicos. Las clases sociales en el capitalismo actual. México: Siglo XXI, 1990.

MARTINS, António Maria. Formação e emprego numa sociedade em mutação. Aveiro: Universidade de Aveiro, 1999.

LOPES, H. Produção de competências no Portugal de amanhã: o desafio colocado às empresas portuguesas. In: Revista Portuguesa de Gestão, n°01, Lisboa, 1992.

OLIVEIRA, Manfredo Araújo. A nova problemática do trabalho e a ética”. In: OLIVEIRA, Manfredo Araújo & TEIXEIRA, Francisco J. S. (Orgs.). Neoliberalismo e reestruturação produtiva: as novas determinações do mundo do trabalho. São Paulo: Cortez; Fortaleza: Universidade Estadual do Ceará, 1996.

PAIVA, Vanilda & WARDE, Mirian. Novo paradigma do desenvolvimento e a centralidade do ensino básico. In: Educação & Sociedade, n°14, São Paulo, 1993.

RIBEIRO, Maria Luísa S. A formação política do professor de 1o e 2o graus. São Paulo: Cortez, 1984.

SCHULTZ, Theodoro. Capital humano. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

SCHULTZ, Theodoro. O valor econômico da educação. Rio de Janeiro: Zahar, 1962.

UNESCO. Educação: um tesouro a descobrir. Porto: ASA, 1962.

UNESCO. Educação, formação e emprego. Lisboa: Ministério da Educação, 1989.

Downloads

Como Citar

LEITE, I. Trabalho docente em perspectiva sócio-histórica: a posição de classe do professor e os desafios contemporâneos. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 49, p. 164–176, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i49.8640326. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640326. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos