Banner Portal
A escola contemporânea e sua identidade (ou sobre o óbvio esquecido)
PDF

Palavras-chave

Identidade da escola. Capitalismo. Materialismo histórico-dialético

Como Citar

RAMOS, Géssica Priscila. A escola contemporânea e sua identidade (ou sobre o óbvio esquecido). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 13, n. 49, p. 350–362, 2013. DOI: 10.20396/rho.v13i49.8640337. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640337. Acesso em: 16 abr. 2024.

Resumo

Este artigo tem como objetivo central compreender a identidade da escola moderna, trazendo subsídios para se refletir sobre sua expressão contemporânea. Tendo por base o materialismo histórico-dialético, tal estudo se processará com base nos procedimentos elencados por Kosik, quais sejam: destruição de sua pseudoconcreticidade; conhecimento de seu caráter histórico; conhecimento de seu conteúdo e significado, sua função objetiva e o lugar histórico que ocupa no corpo social. Observou-se que a escola moderna tem em sua identidade uma contradição: a de representar, ao mesmo tempo, o local de enclausuramento do saber pela burguesia, bem como a chave da libertação intelectual dos trabalhadores, tendo como foco desse conflito a briga pela posse do saber/conhecimento. Portanto, reconfigurá-la em um ou mais de seus elementos constituintes ou em todos eles não seria suficiente para redefinir sua identidade na contemporaneidade. Essa redefinição só se daria pela dissolução da contradição que a sustenta, o que representaria, em si, a dissolução das próprias contradições historicamente postas pelo capitalismo.

https://doi.org/10.20396/rho.v13i49.8640337
PDF

Referências

DUARTE, N. As pedagogias do "aprender a aprender" e algumas ilusões da assim chamada sociedade do conhecimento. Rev. Bras. Educ., 2001, n.18, pp. 35-40.

DUARTE, N. Limites e contradições da cidadania na sociedade capitalista. Pro-Posições. 2010, vol.21, n.1, pp. 75-87.

GRAMSCI, A. Concepção dialética da história. (tradução de Carlos Nelson Coutinho). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

GRAMSCI, A. Maquiavel, a política e o estado moderno. (tradução de Luiz Mario Gazzaneo). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

GRAMSCI, A. Os intelectuais e a organização da cultura (2a ed.). (tradução de Carlos Nelson Coutinho). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

KOSIK, K. Dialética do concreto. Tradução de Célia Neves e Alderico Toríbio. (8a reimpressão) Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

OLIVEIRA, B. As relações entre conhecimento e valoração no trabalho educativo. Perspectiva, Florianópolis, ano 11, n. 19,jan./jun. 1993, pp. 29-46.

OLIVEIRA, J. F. de. A função social da educação e da escola pública: tensões, desafios e perspectivas. In. FERREIRA, E. B.; OLIVEIRA, D. A (orgs.). Crise da escola e políticas educativas. Belo Horzonte: Autêntica Editora, 2009.

PONCE, A. Educação e luta de classes. (4.ed) (tradução José Severo de Camargo Pereira). São Paulo”Cortez: Autores Associados, 1983.

SAVIANI, D. Escola e Democracia. 30 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 1995.

SAVIANI, D. O institucional, a organização e acultura da escola. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, v. 35, n. 125, mai. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742005000200012&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 17 dez. 2010.

SAVIANI, D. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 10 ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2008a.

SAVIANI, D. A nova lei da educação: trajetória, limites e perspectivas. 11. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2008b.

SAVIANI, D; DUARTE, N. A formação humana na perspectiva histórico-ontológica. Rev. Bras. Educ.. 2010, vol.15, n.45, pp. 422-433.

SHIROMA, E. O.; MORAES, M.C. M.; EVANGELISTA, O. Política educacional. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.