A concepção de formação de professores presente nas teses sobre o currículo de pedagogia no Brasil: uma análise crítica

  • Carolina Nosella Gama Universidade Federal da Bahia
  • Cláudio de Lira Santos Júnior Universidade Federal da Bahia
Palavras-chave: Formação de professores. Modo de produção. Teses sobre o currículo de pedagogia

Resumo

Este artigo é parte constitutiva da pesquisa de mestrado intitulada Contribuição à crítica da produção do conhecimento sobre o currículo de pedagogia no Brasil: uma análise das teses (1987-2010). O levantamento das produções foi realizado no banco de teses e dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), no período de 1987 a 2010, utilizando os termos de busca ‘currículo de pedagogia’ e ‘currículo do curso de pedagogia’. Esta investigação permitiu-nos identificar as concepções de formação de professores hegemônicas nos estudos sobre o currículo de pedagogia, em particular, e sobre a formação de professores, no geral. Nosso objetivo é expor a análise acerca das concepções de formação de professores hegemônicas presentes nas teses sobre currículo de pedagogia no Brasil, tendo em vista a relação das mesmas com o modo de produção da existência, bem como as possibilidades contra-hegemônicas expressas nesta relação. A análise demonstrou que hegemonicamente as teses fundamentam-se numa visão idealista de homem, centrando a discussão do currículo na subjetividade. As explicações teóricas densas são substituídas por descrições fenomênicas e interpretações consensuais da realidade. Discute-se o currículo sem considerar que a sua alteração vincula-se a luta pela superação da realidade que o determina, o que não contribui para o enfrentamento dos problemas educacionais do nosso país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Nosella Gama, Universidade Federal da Bahia
PPGE – FACED – UFBA
Cláudio de Lira Santos Júnior, Universidade Federal da Bahia
Professor associado I da Universidade Federal da Bahia. 

Referências

BRZEZINSKI, I. (org.). Anfope em movimento: 2008-2010. Brasília: Liber Livro: Anfope: Capes, 2011.

BRZEZINSKI, I. Pedagogia, pedagogos e formação de professores: busca e movimento. Campinas, SP: Papirus, 1996.

DUARTE, N. Conhecimento tácito e conhecimento escolar na formação do professor (por que Donald Schön não entendeu Luria). IN: DUARTE, N.; DELLA FONTE, S. Arte, conhecimento e paixão na formação humana: sete ensaios de pedagogia histórico-crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2010.

ENGUITA, M. F. Trabajo, escuela e ideologia. Madrid: Akal/Universitária, 1985.

FREITAS, H. C. L de. Certificação docente e formação do educador: regulação e desprofissionalização. Educação e Sociedade, vol. 24, n. 85, dez. 2003.

FREITAS, H. C. L de. Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Campinas: Educação e Sociedade, vol. 23, n. 80, set. 2002.

FREITAS, H. C. L de. O trabalho como princípio articulador da teoria/prática: uma análise da prática de ensino e estágios supervisionados na habilitação magistério do curso de pedagogia da FE/UNICAMP. Tese de Doutorado, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP, 1993.

FREITAS, L. C de. Crítica da organização do trabalho pedagógico e da didática. Campinas, SP: Papirus, 1995.

FRIGOTTO, G. Educação, crise do trabalho assalariado e do desenvolvimento: teorias em conflito. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

HARVEY, D. O neoliberalismo: história e implicações. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

MANACORDA, M. A. Marx e a pedagogia moderna. Campinas, SP: Editora Alínea, 2007.

MARTINS, L. M. O legado do século XX para a formação de professores. In: MARTINS, L. M.; DUARTE, N. (orgs.). Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

MORAES, M.C.M. Recuo da teoria: dilemas na pesquisa em educação. Revista Portuguesa de educação, ano/vol. 14, n. 1, pp. 7-25, 2001.

PEIXOTO, E. M. Estudos do lazer no Brasil: apropriação da obra de Marx e Engels. Tese de Doutorado, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP: [s.n.], 2007.

PINTO, G. A. A organização do trabalho no século 20: taylorismo, fordismo e toyotismo. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

SAVIANI, D. A pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas, SP: Autores Associados, 2008a.

SAVIANI, D. Escola e democracia. Campinas, SP: Autores Associados, 1987.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 10. ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2008b.

SILVA, C. S. B. da. Curso de pedagogia no Brasil: história e identidade. 2.ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

TAFFAREL, C. N. Z. (et al). Currículo. In: UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA (UFBA). Cadernos didáticos sobre educação no campo. Salvador, 2009. (no prelo).

Como Citar
Gama, C. N., & Santos Júnior, C. de L. (1). A concepção de formação de professores presente nas teses sobre o currículo de pedagogia no Brasil: uma análise crítica. Revista HISTEDBR On-Line, 14(59), 166-175. https://doi.org/10.20396/rho.v14i59.8640354
Seção
Artigos