A atuação do professor enquanto a transformação social radical não se realiza

  • Iael de Souza Universidade Federal do Piauí
Palavras-chave: Educação. Sociedade. Consciência filosófica

Resumo

Apontamos como o professor deve orientar sua atividade educativa enquanto a transformação social radical não se efetiva, e também identificamos quais as possibilidades colocadas no limite do aparelho ideológico escolar, demonstrando que é, sim, possível ir além da teoria crítico-reprodutivista. Afinal, a educação é condicionada, mas também, enquanto parte da contradição que permeia as relações sociais e de produção capitalistas, condicionante, ainda que dentro de certos limites, já que a luta pela transformação social radical deve ser travada na e pela sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iael de Souza, Universidade Federal do Piauí
UFPI (Universidade Federal do Piauí), campus de Picos

Referências

ALTHUSSER, Louis. Aparelhos Ideológicos de Estado – Nota sobre os Aparelhos Ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

BAUDELOT, C. & ESTABLET, R. L’École Capitaliste em France. Paris: François Maspero, 1971.

DELLA FONTE, Sandra Soares. Fundamentos teóricos da pedagogia histórico-crítica. In: MARSIGLIA, Ana Carolina Galvão (Org.). Pedagogia histórico-crítica: 30 anos. Campinas, SP: Autores Associados, 2011. (Coleção memória da educação)

DUARTE, Newton (et. al.). A Pedagogia Histórico-Crítica e o Marxismo – equívocos de (mais) uma crítica à obra de Dermeval Saviani. In: SAVIANI, Demerval; DUARTE, Newton. (Orgs.) Pedagogia Histórico-Crítica e luta de classes na educação escolar. Campinas, SP: Autores Associados, 2012. (Coleção polêmicas do nosso tempo)

FERNANDES, Florestan. “A formação política e o trabalho do professor”. CATANI, Denice Bárbara. (Et. all.) (Orgs) Universidade, escola e formação de professores. São Paulo: Brasiliense, 1986.

GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Trad. Daniel Bueno. Porto Alegre: Artmed, 1997.

LENIN, Vladimir I. A falência da II Internacional. Trad. Armando Boito Júnior e Maria Luiza Gonçalves. 1a ed. São Paulo: Kairós Livraria e Editora Ltda, 1979. (Série Materialismo Histórico)

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Obras Escolhidas. v. 3. Rio de Janeiro: Editorial Vitória Ltda, s/d.

NOSELLA, Paolo. A escola de Gramsci. 3. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2004.

ORSO, Paulino José. A educação na sociedade de classes: possibilidades e limites. In: ORSO, Paulino José; GONÇALVES, Sebastião Rodrigues; MATTOS, Valci Maria. (Orgs) Educação e luta de classes. 2 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SAVIANI, Dermeval. Marxismo, Educação e Pedagogia. In: SAVIANI, Dermeval; DUARTE, Newton. (Orgs.) Pedagogia Histórico-Crítica e luta de classes na educação escolar. Campinas, SP: Autores Associados, 2012. (Coleção polêmicas do nosso tempo)

SAVIANI, Dermeval. Educação: do senso comum à consciência filosófica. 15. ed, Campinas, SP: Autores Associados, 2004. (Coleção Educação Contemporânea)

TONET, Ivo. Educação, Cidadania e Emancipação Humana. Ijuí: Ed. Unijuí, 2005. (Coleção fronteiras da educação)

TONET, Ivo. Educar para a cidadania ou para a liberdade? Maceió, s/d. Disponível em: http://www.ivotonet.xpg.com.br/

Como Citar
Souza, I. de. (1). A atuação do professor enquanto a transformação social radical não se realiza. Revista HISTEDBR On-Line, 14(59), 228-239. https://doi.org/10.20396/rho.v14i59.8640359
Seção
Artigos