A escola normal do pará e o ideal de professor ilustrado e aplicado (1838 – 1871)

Autores

  • Rogério Guimarães Malheiros Universidade Federal do Pará
  • João Ribeiro dos Santos Filho UFPA

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v14i57.8640404

Palavras-chave:

Escola Normal do Pará. Formação de Professores. Instrução Pública

Resumo

Nossa proposta para  este artigo é a de estabelecermos um debate acerca dos ideais de Instrução Pública dos Presidentes da Província do Grão-Pará, que, em meio as mudanças econômicas e sociais, elegeram a Escola Normal como modelo de formação de professores que poderia sanar os problemas do sistema de Instrução Pública da Província. Procuramos observar também os embates na impresa paraense, da época, relativos a Lei nº 669, de 13 de abril de 1871, que cria a Escola Normal do Pará, como forma de compreendermos os meandros discursivos das tendências liberal e conservadora relacionados a esta medida legal, bem como a disputa, travada por esses grupos, dos projetos políticos de sociedade e de educação para o Império do Brasil e para a Província do Grão-Pará.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Guimarães Malheiros, Universidade Federal do Pará

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação do Instituto de Ciências da Educação da Universidade Federal do Pará (PPGED/ICED/UFPA - 2012) - Linha de Pesquisa: Educação, Currículo, Epistemologia e História; é graduado em Bacharelado e Licenciatura Plena em História pela Faculdade de História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UFPA (FAHIS/IFCH/UFPA - 2008); e possui Aperfeiçoamento em Gestão de Políticas Públicas em Gênero e Raça pela UFPA (2011).

João Ribeiro dos Santos Filho, UFPA

Doutorando em Educação pela UFPA

Referências

ARAÚJO, José Carlos Souza. A Gênese da Escola Normal de Uberlândia, MG: o contexto estadual e a independência cultural em 1926. In: ARAÚJO, José Carlos Souza; FREITAS, Ana Maria Gonçalves Bueno de; LOPES, Antônio de Pádua Carvalho (orgs.). As Escolas Normais no Brasil: do Império à República. Campinas, SP: Editora Alínea, 2008.

ARAÚJO, José Carlos Souza; FREITAS, Ana Maria Gonçalves Bueno de; LOPES, Antônio de Pádua Carvalho (orgs.). As Escolas Normais no Brasil: do Império à República. Campinas, SP: Editora Alínea, 2008.

BOTO, Carlota. Na Revolução Francesa, os princípios democráticos da escola pública, laica e gratuita: o relatório de Condorcet. Revista Educação e Sociedade. vol. 24, no.84, Campinas, Set. 2003. pp. 735-762.

BRITO, Elias Santos de. Educazione e instruzione della scuola normale: celebrações e durezas das professoras e professores da Escola Normal na aurora da República paraense (1890-1908). 2005. Monografia de Graduação – Faculdade de História. Universidade Federal do Pará, Belém.

BURKE, Peter. História e teoria social. São Paulo: UNESP, 2002.

COUTEL, C. À l'école de Condorcet. Contre l'orléanisme des esprits. Paris: ellipses/éditions marketing S.A., 1996.

FRANÇA, Maria do Perpétuo Socorro de Souza Avelino de. Raízes históricas do ensino secundário público na Província do Grão Pará: o Liceu Paraense. 1997. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

GONDRA, J. G.; SCHUELER, A. Educação, poder e sociedade no Império Brasileiro. São Paulo: Editora Cortez, 2008.

GREGÓRIO, Vitor Marcos. Uma face de Jano: a navegação do rio Amazonas e a formação do Estado brasileiro (1838-1867). 2008. Dissertação (Mestrado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

KINTZLER, K. C. Condorcet, l’instruction publique et la naissance du citoyen. Paris: Folio - Essais, Minerve, 1994.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Tradução Bernardo Leitão [et al.]. 5a ed. – Campinas, SP: Editora UNICAMP, 2003.

MALHEIROS, Rogério Guimarães. Formação de Professores na Província do Grão-Pará: os discursos de seus administradores acerca da necessidade de se instaurar uma Escola Normal (1838 – 1871). 2012. 253f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal do Pará, Belém.

MALHEIROS, R. G.; ROCHA, G. O. R. da. Instrução, Ciência e Civilização: a Província do Grão-Pará e as influências francesa e estadunidense nas questões educacionais (1860 – 1870). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.48, p. 77-92 Dez.2012 - ISSN: 1676-2584.

MONARCHA, Carlos. A Escola Normal da Praça – o lado noturno das luzes. São Paulo: Editora da Unicamp, 1999.

NUNES, Clarice (Org.). O Passado sempre presente. São Paulo: Cortez, 1992.

PARÁ, Governo da Província do. Relatório ao Exm. Senr. Dr. Francisco Maria Corrêa de Sá e Benevides, pelo Exm. Senr. Dr. Pedro Vicente de Azevedo, por ocasião de passar-lhe a administração da Província do Pará, no dia 17 de janeiro de 1875. Pará: Typographia do Diario do Gram-Pará, 1875. Disponível em: www.crl.edu/areastudies/LAMP/index.htm. Acesso em: 12 mar. 2012.

PARÁ, Governo da Província do. Relatorio apresentado à Assembléa Legislativa Provincial na segunda sessão da 17a Legislatura, pelo Dr. Abel Graça Presidente da Provincia. Pará: Typographia do Diario do Gram-Pará, 1871. Disponível em: www.crl.edu/areastudies/LAMP/index.htm. Acesso em: 12 mar. 2012.

PARÁ, Governo da Província do. Relatório apresentado a Assembleia Legislativa Provincial, na primeira sessão da 19a legislatura pelo Presidente da Província do Pará, o Excelentíssimo Senhor Doutor Pedro Vicente de Azevedo, em 15 de fevereiro de 1874b. Pará: Typographia do Diario do Gram-Pará, 1874. Disponível em: www.crl.edu/areastudies/LAMP/index.htm. Acesso em: 12 mar. 2012.

PARÁ, Governo da Província do. Relatório apresentado pelo Presidente do Gram-Pará, Leitão da cunha, em 8 de dezembro de 1858. Disponível em: www.crl.edu/areastudies/LAMP/index.htm. Acesso em: 12 mar. 2012.

PARÁ, Governo da Província do. Relatório dos Negócios da Província do Pará eleabora do pelo Secretário Geral da Província Domingos Soares Ferreira Penna, e apresentado pelo Presidente Couto de Magalhães à Assembléia Legislativa Provincial, em 15 de agosto de 1864. Pará: Typographia de Frederico Carlos Rhossard, 1864. Disponível em: www.crl.edu/areastudies/LAMP/index.htm. Acesso em: 12 mar. 2012.

PARÁ, Governo da Província do. Discurso recitado pelo Exco. Snr. Doutor Bernardo de Souza Franco, Presidente da Província do Pará, quando abrio a Assembleia Legislativa Provincial, no dia 15 de agosto de 1839. Pará: Typographia Restaurada de Santos & menor, 1839. Disponível em: www.crl.edu/areastudies/LAMP/index.htm. Acesso em: 12 mar. 2012.

PARÁ, Governo da Província do. Falla que o Exmo Snr. Conselheiro desta Provincia dirigiu à Assemblea Legislativa Provincial na abertura da mesma Assemblea no dia 15 de Agosto de 1854. Pará: Typographia da Aurora Paraense, 1854. Disponível em: www.crl.edu/areastudies/LAMP/index.htm. Acesso em: 12 mar. 2012.

RICCI, Magda. O fim do Grão-Pará e o nascimento do Brasil: Movimentos Sociais, Levantes e Deserções no Alvorecer do Novo Império (1808-1840). In: PRIORE, Mary Del& GOMES, Flávio dos Santos (orgs.). Os senhores dos rios. Amazônia, margens e histórias. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

SILVA, Sidney Reinaldo. Direitos humanos e instrução pública segundo Condorcet. Educação em Revista, Marília, v. 11, n.12, p. 1-18, Jan.-Jun. 2010.

VILLELA, H. de O. S. A primeira escola normal do Brasil. In: NUNES, Clarice (Org.). O Passado sempre presente. São Paulo: Cortez, 1992.

XAVIER, Maria Elizabete S. Prado. Poder político e educação de elite. 3.ed., São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1992.

Downloads

Publicado

2014-11-22

Como Citar

MALHEIROS, R. G.; SANTOS FILHO, J. R. dos. A escola normal do pará e o ideal de professor ilustrado e aplicado (1838 – 1871). Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 57, p. 75–90, 2014. DOI: 10.20396/rho.v14i57.8640404. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640404. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos