A pedagogia histórico-crítica e a luta pela formação humana plena de conteúdos: o caso da cultura corporal na educação escolar do MST

Autores

  • Isis Conrado Haun Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC
  • Katiusca Lima Cunha Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC
  • Tiago Nicola Lavoura Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v14i57.8640408

Palavras-chave:

Pedagogia histórico-crítica. Educação do campo. Cultura corporal

Resumo

O presente artigo investigou os fundamentos pedagógicos do trabalho educativo escolar do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e sua relação com o ensino da cultura corporal. A pesquisa é de caráter bibliográfico e documental, complementada por uma etapa de pesquisa exploratória no Assentamento Terra Vista do MST, no município de Arataca – BA. Os dados da pesquisa apontam a pedagogia dos projetos fundamentando o trabalho educativo do MST, evidenciando-se fragilidades para o processo formação e emancipação humana respaldados pelas bandeiras de luta do movimento. Defende-se a pedagogia histórico-crítica enquanto teoria pedagógica balizadora do trabalho educativo do MST, visto sua tese de que o processo educativo escolar é um processo criador de carecimentos superiores, voltado para a formação humana dos indivíduos não fundamentada na satisfação das necessidades já dadas pela vida cotidiana, mas sim pelo contato com conteúdos socialmente produzidos e integrantes da esfera da vida não-cotidiana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isis Conrado Haun, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

Aluna do curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Metodologia da Educação Física e Esporte da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC. Professora da rede estadual de ensino básico da Bahia. Pesquisadora do Grupo de Estudos Marxistas em Educação – UESC.

Katiusca Lima Cunha, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

Aluna do curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Metodologia da Educação Física e Esporte da Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC. Professora da rede estadual de ensino básico da Bahia. Pesquisadora do Grupo de Estudos Marxistas em Educação – UESC.

Tiago Nicola Lavoura, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

Doutor em Educação. Professor da Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC. Líder do Grupo de Estudos Marxistas em Educação - UESC.

Referências

ARAÚJO, M. N. R. As contradições e as possibilidades de construção de uma educação emancipatória no contexto da luta pela terra. Tese de Doutorado (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2007.

ARROYO, M. G. Pedagogias em movimento: o que temos a aprender dos movimentos sociais? Currículo sem Fronteiras, v. 3, n. 1, p. 28-49, jan./jun 2003.

BAHIA. Secretaria de Educação do Estado da Bahia. Referencial Curricular Básico para a Educação Física na Rede Pública Estadual de Educação da Bahia. Superintendência da Educação Básica, Salvador, 2012 (versão preliminar).

CALDART, R. S. Pedagogia do movimento sem terra. 3. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

CALDART, R. A escola do campo em movimento. Currículo sem Fronteiras, v. 3, n. 1, p. 60-81, Jan/Jun 2003.

D’AGOSTINI, A. A educação do MST no contexto educacional brasileiro. Tese de Doutorado (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

DALMAGRO, S. L. A escola no contexto das lutas do MST. In: VENDRAMINI, C. R.; MACHADO, I. F. (Orgs.). Escola e movimento social: experiências em curso no campo brasileiro. São Paulo: Expressão Popular, 2011, p. 43-78.

DUARTE, N. O debate contemporâneo das teorias pedagógicas. In: MARTINS, L. M.; DUARTE, N. (Orgs.). Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010, p. 33-50.

DUARTE, N. Educação Escolar, teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. 4. ed. Campinas: Autores Associados, 2007.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. Campinas: Autores Associados, 2000.

DUARTE, N. A individualidade para-si. Contribuição a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. Campinas: Autores Associados, 1993.

FACCI, M. G. D.; TULESKI, S. C. Da apropriação da cultura ao processo de humanização: o desenvolvimento das funções psicológicas superiores. Anais do II Encontro Brasileiro de Educação e Marxismo. Curitiba, 2006.

ESCOBAR, M. O.; TAFFAREL, C. N. Z. A cultura corporal. In: HERMIDA, Jorge Fernando (Org.). Educação Física: conhecimento e saber escolar. João Pessoa: EDUFPB, 2009, p. 173-180.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

LAVOURA, T. N. Cultura corporal e tempo livre em áreas de reforma agrária: notas acerca da educação escolar e da emancipação humana. Tese de Doutorado (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

MARSIGLIA, A. C. G. A prática pedagógica na perspectiva da pedagogia histórico crítica. In: MARSIGLIA, A. C. G. (Org.). Pedagogia histórico-crítica: 30 anos. Campinas: Autores Associados, 2011, p. 101-120.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Tese (Livre Docência) – Departamento de Psicologia, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2012.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MST. 26 anos do Movimento Sem Terra, 2009. Disponível em: http://www.mst.org.br/node/7702 Acesso em: 22/08/2012.

MST. Dossiê MST Escola – Documentos e estudos 1990 – 2001. São Paulo: Iterra, 2005.

OLIVEIRA, B. A.; DUARTE, N. A socialização do saber escolar. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1990.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

SANTOS, C. F. Pedagogia histórico-crítica e movimentos sociais populares: para além das dicotomias entre práticas educativas escolares e não escolares. In: MARSIGLIA, A. C. G.; BATISTA, E. L. (Orgs.). Pedagogia histórico-crítica: desafios e perspectivas para uma educação transformadora. Campinas: Autores Associados, 2012, p. 181-206.

SANTOS JÚNIOR, C. L. et. al. A base conceitual sobre formação de professores e militantes culturais. In: COLAVOLPE, C. R.; TAFFAREL, C. N. Z.; SANTOS JÚNIOR, C. L. Trabalho pedagógico e formação de professores / militantes culturais: construindo políticas públicas para a Educação Física, esporte e lazer. Salvador: EDUFBA, 2009, p. 33-46.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2011.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 41. ed. Campinas: Autores Associados, 2009a.

SAVIANI, D. Modo de produção e pedagogia histórico-crítica. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Londrina, v. 1, n. 1, p. 110-116, jun. 2009b.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 10. ed. São Paulo: Autores Associados, 2008.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. 10. ed. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1991.

TAFFAREL, C. N. Z.; ESCOBAR, M. O. Educação Física e movimentos de luta sociais. Faculdade de Educação. Universidade Federal da Bahia, 2008. Disponível em http://www.rascunhodigital.faced.ufba.br. Acesso em 18/07/2010.

TEIXEIRA, D. R. A necessidade histórica da cultura corporal: possibilidades emancipatórias em áreas de reforma agrária – MST/BA. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

VENDRAMINI, C. R. Educação e trabalho: reflexões em torno dos movimentos sociais do campo. Cad. Cedes, Campinas, vol. 27, n. 72, p. 121-135, maio/ago. 2007.

Downloads

Publicado

2014-11-22

Como Citar

HAUN, I. C.; CUNHA, K. L.; LAVOURA, T. N. A pedagogia histórico-crítica e a luta pela formação humana plena de conteúdos: o caso da cultura corporal na educação escolar do MST. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 57, p. 129–145, 2014. DOI: 10.20396/rho.v14i57.8640408. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640408. Acesso em: 17 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos