A gestão democrática no Programa Escola Ativa/MEC– políticas para o consenso

Autores

  • Mara Regina Martins Jacomeli UNICAMP
  • Maria Angélica Cardoso UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v14i57.8640411

Palavras-chave:

Escola Pública. Escola Multisseriada. Gestão Democrática. Política Educional

Resumo

O artigo trata da análise da concepção de gestão democrática presente no Programa Escola Ativa, implementado pelo Ministério da Educação (MEC), o qual se destinava à melhoria da qualidade do ensino nas escolas multisseriadas. No Brasil, o Programa Escola Ativa teve início em 1997, sendo implantado em 1998 no Nordeste; em 1999 expandiu-se para o Norte e o Centro-Oeste; a partir de 2008, passou a atender às regiões Sul e Sudeste. Tinha como base a melhoria do ensino por meio da formação docente continuada e da gestão democrática. O Escola Ativa, em 2012, foi substituído pelo Programa Nacional de Educação do Campo, que manteve na proposta alguns princípios, como o da gestão democrática. A noção de gestão democrática tem relação direta com a implementação de instâncias de decisão entre os vários segmentos que compõem a escola. A concepção contida no documento da Escola Ativa atrela a gestão democrática à implementação dos Conselhos Escolares e dos Colegiados Estudantis. Após análise documental, questionamos o conceito de gestão e de democracia esposados pelos documentos oficiais. Em contrapartida, sugerimos uma prática social transformadora, quer nas escolas urbanas quer nas escolas do campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mara Regina Martins Jacomeli, UNICAMP

Pesquisadora e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação/UNICAMP. Mestre e Doutora em Educação pela UNICAMP. Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Educação da Unicamp.

 

 

Maria Angélica Cardoso, UNICAMP

Professora Doutora do Centro de Ciências Humanas e Sociais/UFMS, especialista em Educação/Formação Docente pela UNIDERP, Mestre em Educação pela UFMS, doutora em Filosofia e História da Educação pela UNICAMP. E-mail: maria.cardoso@ufms.br

Referências

BRASIL. (1997). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, no 9.394 de dezembro de 1996. Brasília: Senado Federal.

BRASIL. (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/ Secretaria de Educação Fundamental.

BRASIL, TV ESCOLA. (2001). Programa Salto para o Futuro/Série Escolas Rurais e Classes Multisseriadas. Disponível em www.tvebrasil.com.br/saltoparaofuturo/boletim2001.

BRASIL, INEP. Sinopses Estatísticas da Educação Básica de 1997 a 2007. Disponíveis em Disponíveis em www.inep.gov.br, link portal INEP/Informações Estatísticas/Sinopses Estatísticas.

BRASIL, MEC/SECAD. Elementos para um Plano Nacional de Educação do Campo. Disponível em www.mec.gov.br/secad/ educação no campo.

BRASIL/MEC/SECAD. Por uma Política de Educação do Campo. Disponível em WWW.mec.gov.br/secad

BRASIL, TV ESCOLA. (2005). Programa Salto para o Futuro/Série Gestão Democrática da Educação. Disponível em www.tvebrasil.com.br/saltoparaofuturo/boletim2005.

BRASIL, MEC/SECAD (2010). Projeto Base (Programa Escola Ativa). Disponível em http://portal.mec.gov.br/secad (link Programas e Ações – Escola Ativa – Projeto Base).

BRASIL, MEC/SECAD (2010). Orientações Pedagógicas (Programa Escola Ativa). Disponível em http://portal.mec.gov.br/secad (link Programas e Ações – Escola Ativa – Orientações Pedagógicas).

CARDOSO, M. A.; LARA, A. M. B. (2009) Sobre as Funções Sociais da Escola. In: Anais do IX Congresso Nacional de Educação – EDUCERE: Políticas e Práticas Educativas: desafios da aprendizagem. Curitiba, PR: Champagnat/PUC. CD ROM. Disponível em http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2009/anais/pdf/1929_1160.pdf

CURY, C. R. J. (2001). O Conselho Nacional de Educação e a Gestão democrática. In OLIVEIRA (org.). Gestão Democrática da Educação: desafios contemporâneos. 3 ed. Petrópolis, RJ: Vozes. p. 199-206.

DEMO, P. (2006). Pobreza política: a pobreza mais intensa da pobreza brasileira. Campinas, SP: Autores Associados.

FONSECA, M. (2001) O Banco Mundial e a Gestão da Educação Brasileira. In OLIVEIRA (org.). Gestão Democrática da Educação: desafios contemporâneos. 3 ed. Petrópolis, RJ: Vozes. p. 43-63.

FRIGOTTO, G. (2007). A Relação da Educação Profissional e Tecnológica com a Universalização da Educação Básica. Revista Educação e Sociedade. Campinas, vol. 28, n. 100, p. 1129-1152, Especial - Out. 2007. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br

HAGE, S. Mufarrej. (2006). A Realidade das Escolas Multisseridas frente às conquistas na Legislação Educacional. In: Anais da 29a Reunião Anual da ANPED: Educação, Cultura e Conhecimento na Contemporaneidade: desafios e compromissos manifestos. Caxambu: ANPED. CD ROM.

HAGE, S. Mufarrej. (2007). Movimentos Sociais do Campo e a Afirmação do Direito à Educação: pautando o debate sobre as escolas multisseriadas na Amazônia Paraense. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Jan. 2007.

LUCE, M. B.; MEDEIROS, I. L. P. (2008). Gestão democrática Escolar. Disponível em http://www.portaleducacao.com.br/pedagogia/artigos/2666/gestao-democratica-escolar

MENEZES, E. T; SANTOS, T. H. (2002). "Classes multisseriadas" (verbete). Dicionário Interativo da Educação Brasileira - EducaBrasil. São Paulo: Midiamix Editora. Disponível em www.educabrasil.com.br/dicionario. Acesso em 9/1/2007

MÉSZÁROS, I. (2005). A Educação para além do Capital. São Paulo: Boitempo.

MÜLLER, M. T. (2006). A Educação em Campinas – Suporte Político no Início da Primeira República. In: ANAIS do VII Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas. 20 anos de HISTEDBR: navegando pela História da Educação Brasileira. Campinas, SP: UNICAMP/HISTEDBR. CD ROM.

OLIVEIRA, D. A. (2001). Educação e Planejamento: a escola como núcleo da gestão. In OLIVEIRA (org.). Gestão Democrática da Educação: desafios contemporâneos. 3 ed. Petrópolis, RJ: Vozes. p. 64-100.

PARO, V. H. (1987). A Utopia da Gestão Escolar Democrática. Revista Cadernos de Pesquisa, n. 60, fev. 1987. São Paulo: Fundação Carlos Chagas. Disponível em http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/cp/arquivos/921.pdf

PISTRAK, M. M. (Org.). (2009) Trad. Luiz Carlos de Freitas e Alexandra Marenich. A comuna escolar. São Paulo: Expressão Popular.

PIZA, F. F; SENA, L. B. (2001). PMG 3 – Escola Ativa. Salto para o Futuro. Disponível em www.tvebrasil.com.br/saltoparaofuturo/boletim 2001.

QUEIROZ, M. M. A.; MENDES SOBRINHO, J. A. (2004) A Escola Ativa: aspectos do ensino de Ciências Naturais em Classes Multisseriadas da zona rural de Teresina. In: Anais do III Encontro de Pesquisa em Educação da UFPI. Disponível em http://www.ufpi.br/mesteduc/eventos/iiiencontro/gt14/escola_ativa.pdf

RIBEIRO, Marlene. (2011). Educação do Campo e Escola Ativa: contradições na política educacional no Brasil Rural. Educação em Revista. Marília, v. 12, n. 2, p. 23-40. Jul./dez. 2011. Disponível em http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/educacaoemrevista/article/viewFile/2485/2022v

ROSA, Julia Mazinini; BEZERRA, Maria Cristina dos Santos. (2013). A Busca pelo consenso Neoliberal no Campo: aspectos históricos do Programa Escola Ativa. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, no 50 (especial), p. 31-47, mai 2013. Disponível em http://www.fe.unicamp.br/revistas/ged/histedbr/article/viewFile/5473/4376

ROSA, Julia Mazinini; BEZERRA, Maria Cristina dos Santos. (2014). A Qualidade Educacional para o Programa Escola Ativa. Revista Exitus. v. 4. n. 1. Jan./jun. 2014. Disponível em http://www.ufopa.edu.br/revistaexitus/revistas/vol.-4-no.-1-2013-2014-issn-impresso-2236-2983-issn-eletronico-2237-9460/artigos/a-qualidade-educacional-para-o-programa-escola-ativa/view

ROSAR, M. F. F. (2001). A Municipalização como Estratégia de Descentralização e de Desconstrução do Sistema educacional Brasileiro. In OLIVEIRA (org.). Gestão Democrática da Educação: desafios contemporâneos. 3 ed. Petrópolis, RJ: Vozes. p.105-140.

SANFELICE, J. L. (2005). Da Escola Estatal Burguesa à Escola Democrática e Popular: considerações historiográficas. In: LOMBARDI, J. C; SAVIANI, D; NASCIMENTO, M. I. M. (orgs.) A Escola Pública no Brasil: história e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados. (p. 89-105)

SANTOS, Stella R; PINHO, A. S. T. (2002). A Historia in(visível) do Currículo no Cotidiano de Professoras da Roça, em Classes Multisseriadas In: Anais da 25a Reunião Anual da ANPED: Educação: manifestos, lutas e utopias. Caxambu: ANPED. CD ROM.

SAVIANI, D. (1980) Educação: do Senso Comum à Consciência Filosófica. SP: Cortez Editora; Autores Associados.

SAVIANI, D. (2005). Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 9 ed. Campinas, SP; Autores Associados.

SOUZA, R. F. (2006). Lições da Escola Primária. In: O Legado Educacional do Século XX no Brasil. SAVIANI, D. [et al.]. 2 ed. Campinas, SP: Autores Associados. p. 109-161.

WOOD, Elen. Disponível em http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/campus/marxispt/cap. 18.doc

Downloads

Como Citar

JACOMELI, M. R. M.; CARDOSO, M. A. A gestão democrática no Programa Escola Ativa/MEC– políticas para o consenso. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 57, p. 180-198, 2014. DOI: 10.20396/rho.v14i57.8640411. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640411. Acesso em: 31 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>