Banner Portal
O processo de periferização do ensino primário paulista: o caso do 8º grupo escolar de campinas
PDF

Palavras-chave

Grupo escolar Dom João Nery. Movimento urbano-industrial. Periferização

Como Citar

PEREIRA, Rosimeri da Silva. O processo de periferização do ensino primário paulista: o caso do 8º grupo escolar de campinas. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 57, p. 211–229, 2014. DOI: 10.20396/rho.v14i57.8640413. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640413. Acesso em: 17 abr. 2024.

Resumo

O debate travado no interior deste texto tem como ponto de partida a minha tese de doutoramento defendida pela Faculdade de Educação – Unicamp, que cumpriu com propósito de elucidar a história da periferização dos primeiros grupos escolares inaugurados em Campinas –SP  nos primórdios da República. Refiro-me neste caso a história das primeiras escolas primárias seriadas que passaram a funcionavam nos bairros operários da Vila Industrial, Bonfim e Fundão – atual bairro da Ponte Preta. O objetivo aqui, entretanto, é o de apresentar a história de implantação e funcionamento do 8º  grupo escolar de Campinas denominado – Grupo Escolar Don João Nery considerado aqui como objeto da mais pura expressão da história da periferização dos grupos escolares em Campinas durante a primeira República
https://doi.org/10.20396/rho.v14i57.8640413
PDF

Referências

ALVES, G. L. Nacional e regional na história educacional brasileira: uma análise sob a ótica dos Estados Mato-grossenses. In: Educação no Brasil: história e historiografia / Sociedade Brasileira de História da Educação (Org.). Campinas, SP: Autores Associados, SBHE, 2001.

ALVES, G. L. O universal e o singular: em discussão a abordagem científica do regional. In: ALVES, G. L. Mato Grosso do Sul: o universal e o singular. Campo Grande: Editora UNIDERP, 2003.

AURAS, M. Fontes e historiografia educacional brasileira: contribuição para o debate a partir da produção de conhecimento em história da educação catarinense relativa ao século XIX. In: LOMBARDI, J. C.; NASCIMENTO, M. I. M., et al (orgs.). Fontes, história e historiografia da educação. Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR, 2004.

BITTENCOURT. L. C. Riscando a cidade: cartografia histórica e desenho urbano de Campinas. Campinas, SP: UNICAMP/Centro de Memória Publicações, Editora Arte Escrita, 2009.

BORGES, W.; ROCHA, M. M. A compreensão do processo de periferização urbana no Brasil por meio da mobilidade centrada no trabalho. In: Revista Geografia. Rio Claro, SP, set./dez. 2004. v. 29, n. 3, p. 383-400.

CANO, W. Desequilíbrios regionais e concentração industrial no Brasil (1930-1970). 3. ed. São Paulo: UNESP, 2007.

HOFF, S.; CARDOSO, M. A. A modernização da produção do mate e a criação de grupos escolares no Paraná. In: VIII Jornada do HISTEDBR - História, pesquisa e movimentos sociais. São Carlos, SP: UFSCAR, 2008. v. 1. p. 1-19.

NORONHA, O. M. Políticas Liberais, conhecimento e educação. In: Campinas, SP: Editora Alínea, 2002.

PEREIRA, R. S. A História do processo de periferização dos grupos escolares em Campinas.Tese de Doutorado. Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas.Unicamp.2013.

RIBEIRO, D. S. Campinas no Estado Novo: política de habitação popular na formação da cidade industrial. Tese de Doutorado. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, SP, 2007.

SEMEGHINI, U. C. Do café à indústria: Uma cidade e seu tempo. Campinas: Editora da Unicamp, 1991.

VITT, A. C.; CISOTTO M. F.; VILELA FILHO, L. R. A. Urbanização e a incorporação das várzeas ao espaço urbano de Campinas-SP. In: Revista Eletrônica do Programa de Pós Graduação em Geografia da UFPR. Revista Geografar. Curitiba jan./jun. 2010. v. 5, n. 1, p. 105-132.

SAVIANI, D. Instituições Escolares: conceito, história, historiografia e práticas. In: Cadernos de História da Educação. n. 4. jan./dez. 2005.

SAVIANI, D.; LOMBARDI, C.; NASCIMENTO, Maria Isabel. (Orgs). A escola pública no Brasil. História e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados, 2005. (Coleção Memória da Educação).

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.