Anos 50 e mundo rural: na terra do “atraso” a semente da luta

Autores

  • Ana Elizabeth Santos Alves Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Ivana Teixeira Silveira Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.20396/rho.v14i56.8640438

Palavras-chave:

Mundo Rural. Desenvolvimento. Tradicional. Moderno, Urbano-Industrial

Resumo

Este artigo tem como objetivo realizar uma revisão teórica sobre o contexto econômico, social e político dos Anos 50 e o Mundo Rural, tendo em vista as análises que nortearam as discussões acerca da ideologia desenvolvimentista e a modernização do campo, buscando construir um olhar no qual homens e mulheres do campo são vistos como sujeitos militantes. O texto apresenta as estratégias políticas e econômicas adotadas pelo Estado, em favor do desenvolvimento industrial: a dubiedade entre o passado tradicional e rural e a modernidade urbano-industrial, a intervenção regional, o comportamento racional econômico capitalista, os “dois brasis” e o Projeto Colúmbia. Apresenta, também, o exemplo de dois movimentos de militância rural: as Ligas Camponesas e o Sindicalismo Rural da Igreja Católica. Nas conclusões, ressaltamos as contradições que estavam postas para o Mundo Rural, representando ao mesmo tempo um lugar de submissão e de luta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Elizabeth Santos Alves, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB. Membro do Museu Pedagógico da UESB. Doutora em Educação pela UFBA.

Ivana Teixeira Silveira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB. Membro do Museu Pedagógico da UESB. Mestre em Ciências Sociais pela UFBA.

Referências

ALVES, A. E. S. ; SILVA, Lucineide Silva . A memória do trabalho em Rio de Contas. In: Lívia Diana Rocha Magalhães. (Org.). Projeto Colúmbia: Anísio Teixeira e o desenvolvimento nacional. 1ed.Campinas, SP: Alínea, 2012, v. , p. 1-17.

BRUNEAU, Thomas C. Catolicismo brasileiro em época de transição. São Paulo: Edições Loyola, 1974.

CONSORTE, J. Lembrando Costa Pinto: memória das ciências sociais no Brasil. In: MAIO, Marcos C; BÔAS, Gláucia V. Ideais de Modernidade e Sociologia no Brasil. Porto Alegre, RS: UFRGS, 1999.

CONSORTE, J. Itinerário de uma pesquisadora: sucesso e percalços. In: MAGALHÃES, Lívia D. R; CASIMIRO, Ana Palmira S. Memória e trajetória de pesquisa. Campo Grande, MS: UNIDERP, 2005. p. 57-78.

FERNANDES, Florestan. Mudanças sociais no Brasil. Rio de Janeiro: DIFEL, 1979.

HARRIS, M. Town & country in Brazil: a social-anthropological study of a small Brazilian town. New York, EUA: The Norton Library, 1971.

IANNI, Octavio. Estado e capitalismo. 2 ed. São Paulo: Brasiliense, 1989.

IANNI, Octavio. Origens agrárias do estado brasileiro. São Paulo: Brasiliense, 2004.

IVO, A. O Paradigma do desenvolvimento: do mito fundador ao novo desenvolvimento. Cadernos CRH, v. 25, n. 65, Salvador, BA, p. 187-210, Mai/Ago. 2112. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-49792012000200002&script=sci_arttext.

MARTINS, J.S. A política do Brasil: lúmpen e místico. SP: Contexto, 2011.

MARTINS, J.S. A vida privada nas áreas de expansão da sociedade brasileira. In: NOVAIS, Fernando A.; SCHWARCZ, L. M. História da vida privada, vol. 4, SP: Cia das Letras, 1998. p. 659-726.

MATTOSO, J. A desordem do trabalho, 1a reimpressão, SP: Scritta, 1996.

MEDEIRO, R. O Programa de oesquisa sociais estado da Bahia - Universidade de Colúmbia: o seu contexto. Questio. V.11, n. 1, SP, p. 89-110,mai. 2009.

OLIVEIRA, F. A economia brasileira: crítica à razão dualista. 4 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1981.

SADER, Eder; PAOLI, Maria Célia. Sobre “classes populares” no pensamento sociológico brasileiro (Notas de leitura sobre acontecimentos recentes). In: CARDOSO, Ruth (org). A Aventura Antropológica: Teoria e Pesquisa. 4 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004. p. 39-67.

SINGER, P. Interpretação do Brasil: uma experiência histórica de desenvolvimento. In:

PIERUCCI, Antonio F. de O. et AL. O Brasil republicano: economia e cultura (1930-1964). 3 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995. p.211- 245.

SORJ, B. Estado e classes sociais na agricultura brasileira. RJ: Guanabara, 1986.

WAGLEY, Charles; AZEVEDO, Thales de e COSTA PINTO, Luiz A. Uma pesquisa sobre a vida social no Estado da Bahia. Salvador: Publicações do Museu do Estado. Secretaria de Educação e Saúde – Bahia. Brasil, 1950.

WANDERLEY, M. de N. B. O Mundo rural como um espaço de vida: reflexões sobre a Propriedade da Terra. Agricultura familiar e ruralidade. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

Downloads

Como Citar

ALVES, A. E. S.; SILVEIRA, I. T. Anos 50 e mundo rural: na terra do “atraso” a semente da luta. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 14, n. 56, p. 118–131, 2014. DOI: 10.20396/rho.v14i56.8640438. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640438. Acesso em: 2 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>