Banner Portal
O papel da república na instrução primária segundo Primitivo Moacyr
PDF

Palavras-chave

Educação Pública. História da Educação. Primitivo Moacyr. História dos Intelectuais

Como Citar

OLIVEIRA, L. A. de; MACHADO, M. C. G. O papel da república na instrução primária segundo Primitivo Moacyr. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 61, p. 30–50, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i61.8640513. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640513. Acesso em: 2 mar. 2024.

Resumo

O artigo apresenta a compreensão da escola pública primária nos recortes de Primitivo Moacyr (1869-1942) no período da Primeira República.  As fontes principais são os livros partir das publicações “A instrução e a República” (7 volumes), “O Ensino Público no Congresso Nacional – Breve Notícia” (1916) e os “A instrução pública no Estado de São Paulo.” O estudo ampara-se no princípio da proposta conservadora (MONARCHA, 1989) que marcou o discurso e prática de modernização dos “homens cultos.” Moacyr, ao coligir as fontes, retomou questões e fatos que indicam a existência de posturas e ideários próprios. A contemporaneidade e adesão à causa republicana não se apresenta em Primitivo Moacyr solidária à negação do passado e sua responsabilização pela situação do presente, conforme fora comum nos intelectuais e políticos republicanos de seu tempo. De outro lado, a centralidade da instrução como mecanismo de construção do reordenamento do Brasil o insere na perspectiva positivista. É o que o autor encontrará no texto organizado em quatro tópicos: Considerações gerais para a leitura de Primitivo Moacyr; Conjeturas sobre o lugar da instrução na condição republicana brasileira; O referencial de instrução republicana – observações de Primitivo Moacyr; A participação da República no fomento da instrução pública primária.

https://doi.org/10.20396/rho.v15i61.8640513
PDF

Referências

BARROS, Jaymne de. Espelho dos livros. Diário da Noite. Rio de Janeiro, p. 2-2. 2 nov. 1936.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Pátria, civilização e trabalho: o ensino de história nas escolas paulistas (1917-1939). São Paulo: Loyola, 1990.

BOMENY, H. Os intelectuais da educação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. A escola e a república e outros ensaios. Bragança Paulista: EDUSF, 2003.

CASTANHA, André Paulo. O uso da legislação educacional como fonte: orientações a partir do marxismo. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, número especial, p. 309-331, abr2011 - ISSN: 1676-2584.

CASTANHO, Sérgio. Institucionalização das instituições escolares: final do Império e Primeira República no Brasil. In NASCIMENTO, Maria Isabel Moura; SANDANO, Wilson, LOMBARDI, José Claudinei, SAVIANI, Dermeval(orgs.). Instituições escolares no Brasil: conceito e reconstrução histórica. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

CERVI, Réjane de Medeiros. Padrão estrutural do sistema de ensino no Brasil. Curitiba: Ibpex, 2005.

CORREIO PAULISTANO. A coleção 'Brasiliana' comemorando o seu 100o volume! Correio Paulistano. São Paulo, p. 12-13. 25 nov. 1937.

FARIA, F.A. Arquivos de sombras: a privatização do Estado brasileiro da Primeira República. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1996.

FERREIRA, António Gomes. A difusão da escola e afirmações da sociedade burguesa. Revista Brasileira de História da Educação, n. 9, jan/jun. 2005. pp 177 – 198.

LEME, Paschoal. O manifesto dos pioneiros da educação e suas repercussões na realidade educacional brasileira. RBEP, Brasília, v. 86, n. 212, p.163-178, jan. /abr. 2005, com publicação original na RBEP v. 65, n. 150, p.255-272, maio/ago. 1984.

PESSANHA, Eurize Caldas; DANIEL, Maria Emília Borges; MANEGAZZO, Maria Adélia. Da história das disciplinas escolares à história da cultura escolar: uma trajetória de pesquisa. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 27, p. 57-69, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n27/n27a04.pdf. Acesso em: 24 maio, 2015.

MOACYR, Primitivo. O ensino público no Congresso Nacional, breve notícia. Rio de Janeiro: Typ. do Jornal do Commercio, 1916.

MOACYR, Primitivo. A instrução pública e a República(1917 – 1928). Chronica inactual I. Jornal do Comercio. Rio de Janeiro, 1920

MOACYR, Primitivo. A instrução pública e a República (1917 – 1928). Chronica inactual VI. Jornal do Comercio. Rio de Janeiro, 1929.

MOACYR, Primitivo. A instrução e o Império (subsídios para a história da educação no Brasil) 1823- 1853. v. 1. São Paulo: Nacional, 1936.

MOACYR, Primitivo. A instrução e o Império (subsídios para a história da educação no Brasil) 1850- 1887. v. 2. Reformas do Ensino. São Paulo: Nacional, 1937. (Série 5. Brasiliana, v. 87).

MOACYR, Primitivo. A instrução e o Império (subsídios para a história da educação no Brasil) 1854- 1887. v. 3. São Paulo: Nacional, 1938.

MOACYR, Primitivo. A instrução e as províncias (subsídios para a história da educação no Brasil) 1835-1889. v. 3. (Do Amazonas às Alagoas). São Paulo: Nacional, 1939a.

MOACYR, Primitivo. A instrução e as províncias (subsídios para a história da educação no Brasil) 1835-1889. v. 1. (Sergipe, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Mato Grosso). São Paulo: Nacional, 1939b.

MOACYR, Primitivo. A instrução e as províncias (subsídios para a história da educação no Brasil) 1835-1889. v. 2. (Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Goiaz). São Paulo: Nacional, 1940.

MOACYR, Primitivo. A instrução e a República. .v. 1. Reforma Benjamim Constant (1890-1892). Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1941a.

MOACYR, Primitivo. A instrução pública no Estado de São Paulo. Primeira década republicana 1890- 1893. v. 1. São Paulo: Nacional, 1942a.

MOACYR, Primitivo. A instrução pública no Estado de São Paulo. Primeira década republicana 1890- 1893. v. 2. São Paulo: Nacional, 1942b.

MOACYR, Primitivo. A instrução e a República. v. 4. Reformas Rivadávia e C. Maximiliano. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1942c.

MOACYR, Primitivo. A instrução e a República. v. 5. Reforma João Luiz Alves – Rocha Vaz (1925- 1930). Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1944.

NAGLE, Jorge. A educação na Primeira República. In: FAUSTO, Boris (Org.). História geral da civilização brasileira. O Brasil Republicano e instituições (1889-1930). v. 2. t. III. São Paulo: Difel, 1978. p.261-291.

MONARCHA, Carlos. A reinvenção da cidade e da multidão: dimensões da modernidade brasileira: a Escola Nova. São Paulo: Crotez/:autores Associados, 1989.

PAIM, Antonio. O liberalismo contemporâneo. 3a ed. Londrina: Humanidades, 2007.

PERES, Fernando Antônio. Estratégias de aproximação, sociedades de idéias e educação anarquista em São Paulo na Primeira República. Revista brasileira de história da educação, n. 11, jan./jun. 2006.

PERISSINOTTO, Renato M. Classes dominantes, Estado e os conflitos políticos na Primeira República em São Paulo: sugestões para pensar a década de 1920. In CARVALHO DE LORENZO; PERES, Wilma da Costa (org.) A década de 1920 e as origens do Brasil Moderno. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1997,pp. 37 – 69.

ROCHA, Marlos Bessa Mendes da. Matrizes da modernidade republicana: cultura política e pensamento educacional no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados; Brasília, DF: Plano, 2004.

SAVIANI, Dermeval. História da história da educação no Brasil: um balanço prévio e necessário. Ecos. Revista Científica. São Paulo.. v. 10. N. especial. P. 147 – 167. 2008.

SAVIANI, Dermeval. História das Idéias Pedagógicas no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

SAVIANI, Dermeval. Estágio atual e uma nova perspectiva para a História da Educação. In: SCHELBAUER, Analete Regina; LOMBARDI, José Claudinei; MACHADO, Maria Cristina Gomes (Orgs.). Educação em debate: perspectivas, abordagens e historiografia.Campinas, SP: Autores Associados, 2006. p.9-21.

SAVIANI, Dermeval. A política educacional no Brasil. In: STEPHANOU, Maria; BASTOS, Maria Helena Câmara (Orgs.). Histórias e memórias da educação no Brasil. v. III. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005a. p.29-38.

SAVIANI, Dermeval. História da escola pública no Brasil. Questões para pesquisa. In: LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval; NASCIMENTO, Maria Isabel Moura (Orgs.). A escola pública no Brasil: história e historiografia. Campinas, SP: Autores Associados, 2005b. p.1-29.

SOUZA, Rosa Fátima. Templos de Civilização: a implantação da escola primária Graduada no Estado de São Paulo (1890-1910), São Paulo, Unesp 1998.

STAMATTO, Maria Inês Sucupira. L’ecole primaire publique au Brasil de l’independance a la republique: 1822-1889. Thése pour le Doctorat – Université de La Sorbonne Nóuvelle, Paris, 1992.

TANURI, Leonor Maria. Historiografia da educação brasileira: contribuição para seu estudo na década anterior à instalação dos cursos de pós graduação. Mesa Redonda sobre História da Educação, 20 de outubro de 1997, no I congresso de Ciências da Educação, pela FCL/Araraquara e FEUSP. Araraquara. 140 - 153.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.