Banner Portal
O processo de inclusão/exclusão da pessoa com deficiência no contexto da reestruturação produtiva do capital
PDF

Palavras-chave

Processo de inclusão/exclusão. Pessoa com deficiência. Crise do trabalho

Como Citar

FERRAZZO, Gedeli; FRUTUOSO, Claudinei; PATRÍCIA, Márcia Ângela; GOMES, Marco Antônio Oliveira. O processo de inclusão/exclusão da pessoa com deficiência no contexto da reestruturação produtiva do capital. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, SP, v. 15, n. 61, p. 237–254, 2015. DOI: 10.20396/rho.v15i61.8640525. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640525. Acesso em: 15 jun. 2024.

Resumo

Este artigo discute o processo de inclusão/exclusão da pessoa com deficiência no contexto da reestruturação produtiva do capital. Debate imprescindível perante o cenário de significativas mudanças que vem ocorrendo ao longo das últimas décadas, nas relações entre capital e trabalho, particularmente pela crise do trabalho que a sociedade se encontra. Desta forma, tende-se a considerar a possível síntese de embates das forças sociais e econômicas, na trama ideológica do processo de inclusão de pessoas com deficiência. Para tanto, o presente artigo tem como objetivo apresentar elementos que contribuem para o debate sobre a inclusão das pessoas com deficiências, no mercado de trabalho. Para alcançarmos o objetivo acima elencado, utilizamos como referencial metodológico, as principais contribuições Marx (1998, 1985, 1978,) além de autores identificados com as proposições marxianas, tais como Saviani (2008, 2007, 2005), Kuenzer (2001, 2006), Mészáros (2004), entre outros. Concluímos, ressaltando os impasses do discurso hegemônico profanado pelo capital que coloca em pauta a qualificação das pessoas com deficiência como fator crucial para sua absorção no mercado de trabalho.

https://doi.org/10.20396/rho.v15i61.8640525
PDF

Referências

ALBORNOZ, Suzana. O que é Trabalho. São Paulo: Brasiliense, 2008.

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do Trabalho: ensaio sobre a afirmação e negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 1999.

BACZINSKI, Alexandra V. de M., PITON, Ivania M., TURMENA, Leandro. Editorial. Revista HISTEDBR, Campinas, n. 31, p. 1-3, set. 2008. Disponível em: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/revista/edicoes/31/editorial.html. Acesso em: 20 de março de 2013.

BARBOSA, Ana Maria. Cotas, empresas e pessoas com deficiência. Paraná, Coordenadora do programa “Agenda Deficiência” e diretora de Comunicação de Rede

SACI (Sociedade Apoio, Comunicação e Informação), 2008. Disponível em: http://carreiras.empregos.com.br/comunidades/rh/artigos/141204-cotas_deficientes_saci.shtm. Acesso em: 3 maio 2013.

BELLUZZO, L. G. Capital financeiro e Desigualdade. Le Monde Diplomatique Brasil, São Paulo, ano 6, n. 65, p. 16-17, dez, 2012.

BRASIL. Constituição Federal 1988. Brasília: Senado, 1988a.

BRASIL. Lei N° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Senado, 1996.

BRASIL. A inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. 2. ed. Brasília: MTE, SIT, 2007.

BRASIL. Decreto no 3.956, de 08 de outubro de 2001. Promulga a Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiência. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2001/d3956.htm. Acesso em 30 de março de 2013.

BRASIL. Decreto no 7611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7611.htm#art11. Acesso em 02 de abril de 2013.

BRASIL. Lei no 7853, de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência, sua integração social, sobre a Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência – Corde, institui a tutela jurisdicional de interesses coletivos ou difusos dessas pessoas, disciplina a atuação do Ministério Público, define crimes, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7853.htm. Acesso em 04 de abril de 2013.

BRASIL. Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8112cons.htm. Acesso em 12 de abril de 2013.

BRASIL. Lei no 8.213, de 24 de julho de 1991. Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8213cons.htm. Acesso em 02 de abril de 2013.

BRASIL. Lei no 8.213, de 24 de julho de 1991. Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8213cons.ht. Acesso em: 20 de março de 2013.

BUENO, José, Geraldo, Silveira. Educação especial brasileira: integração/segregação do aluno diferente. São Paulo: EDUC, 1993.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA. Sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca, Espanha 10 de junho de 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 20 jan. 2013.

ENGELS, Friederich. A origem da família, da propriedade privada e do estado. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1984.

GALLAGHER, J. J. Planejamento da educação especial no Brasil. In: PIRES, Educação especial em foco. Rio de Janeiro: Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais, 1974.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=ro. Acesso em: 2 mar. 2013.

KUENZER, Acácia Zeneida. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval; SANFELICE, José Luis. Capitalismo, trabalho e educação. SP: Autores Associados, 2001. p. 77-95.

KUENZER, Z. A. A educação profissional nos anos 2000: a dimensão subordinada das políticas de inclusão. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 96, esp., p. 877-910, out. 2006.

MARTINS, J. S. Exclusão social e a nova desigualdade. São Paulo: Paulus, 1997.

MARX, Karl. Miséria da Filosofia. Portugal- Estampa Lisboa 1978.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Cortez, 1998.

MARX, Karl. O capital. São Paulo: Nova Cultural, 1985. v. II.

MÉSZÁROS, István. O poder da ideologia. São Paulo: Boitempo, 2004.

MINAYO GOMES, Carlos. Processo de trabalho e processo de conhecimento. In: MINAYO GOMES, Carlos et al. Trabalho e conhecimento: dilemas na educação do trabalhador. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

RAMOS, Alexandre L. Acumulação Flexível, Toyotismo e Desregulamentação do Direito do Trabalho. In: ARRUDA JUNIOR, Edmundo Lima de (Org.). Globalização, neoliberalismo e o mundo do trabalho. Curitiba: EDIBEJ, 1998. p. 60-76. v. 1.

SAVIANI, Demerval. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre a educação política. 37. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005 (Polêmicas do nosso tempo, v. 5).

SAVIANI, Demerval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, Campinas- SP, v. 12, n. 34, p. 152-165, jan./abr. 2007.

SAVIANI, Demerval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 10. ed. São Paulo: Ed. Autores Associados, 2008.

SILVA, Otto Marques da. A epopeia ignorada: a pessoa deficiente na história do mundo de ontem e de hoje. São Paulo: CEDAS, 1986.

SIMONELLI, Angela Paula and CAMAROTTO, João Alberto. Análise de atividades para a inclusão de pessoas com deficiência no trabalho: uma proposta de modelo. Gestão e Produção. [online]. 2011, vol.18, n.1, pp. 13-26. ISSN 0104-530X.

Revista HISTEDBR On-line utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.