A história cultural e as fontes de pesquisa

  • Alboni Marisa Dudeque Pianovski Vieira Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR
Palavras-chave: História cultural. História oral. Tecnologias

Resumo

Na primeira metade do século XX, a história “abriu-se” para as demais ciências, com uma proposta de diálogo interdisciplinar. O campo historiográfico, então, sofreu mudança significativa, obrigando os historiadores a reconsiderar o conceito de fontes, para além daquelas predominantemente documentais, na pesquisa em história. Sobre essas fontes de pesquisa incide a reflexão, considerando-se a contribuição que os avanços tecnológicos trazem à coleta de dados, em particular, na história oral. Do ponto de vista metodológico, trata-se de estudo de caso, com caráter bibliográfico, que traça uma retrospectiva da história cultural, enfatizando as possibilidades de uso da história oral. Como aporte teórico, foram consultados estudos de Ribeiro (2003), Pesavento (2005) e Alberti (2005). Os resultados apontam para possibilidades de utilização da história oral na pesquisa em história cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alboni Marisa Dudeque Pianovski Vieira, Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR

Licenciada em Pedagogia, bacharel em Direito. Mestre e Doutora em Educação. Professora do curso de Pedagogia, de cursos de especialização e do Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestado e Doutorado) da PUCPR.

Referências

ALBERTI, Verena. Manual de história oral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2004.

ALBERTI, Verena. Histórias dentro da História. In: PINSKY, Carla B. (Org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2005, p. 155-202.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BLOCH, Marc. Apologia da História ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1987.

BURKE, Peter. O que é história cultural. São Paulo: Jorge Zahar, 2008.

CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. (Orgs.). Domínios da história: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

CARRASCO, Ramón F. Investigación cualitativa: una forma diferente de hacer ciencia.Abordaje del método etnográfico desde el marco de uma perspectiva cualitativa de la investigación. México: Escuela de Ciencias de la Educación, 2002.

CASTANHO, Sérgio E. M. Questões teórico-metodológicas de história cultural e educação. In: LOMBARDI, José Claudinei; CASIMIRO, Ana Palmira Bittencourt Santos;

MAGALHÃES, Lívia Diana Rocha (Orgs.). História, cultura e educação. São Paulo: Autores Associados, 2006.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

CONSTANTINO, Nuncia Santoro de. Teoria da história e reabilitação da oralidade: convergência de um processo. In: ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto (Org.). A aventura (auto)biográfica – teoria & empiria. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004, p. 37-74.

DE GARAY, Graciela. La entrevista de historia oral: monologo ou conversação? Revista Electrónica de Investigación Educativa, UABC: México, n. 1, 1999.

ELIAS, Norbert. A sociedade da corte. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

FERREIRA, Marieta de Moraes. História, tempo presente e história oral. Topoi, Rio de Janeiro, 12, 314-332, 2002.

FRASER, Ronald. La historia oral como historia desde abajo. Ayer, 12, 1993, GINZBURG, Carlo. Chaves do Mistério: Morelli, Freud e Sherlock Holmes. In: ECO, Umberto & SEBECK, Thomas A. O signo de três. São Paulo: Perspectiva, 1991.

GOLDMANN, Lucien. Dialética e cultura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

GOMBRICH, Ernst H. Para uma história cultural. Lisboa: Gradiva, 1994.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.

______. Maquiavel, a política e o estado moderno. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

JAMESON, Fredric. O inconsciente político: a narrativa como ato socialmente simbólico. São Paulo: Ática, 1992.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas, SP: Unicamp, 2003.

LOMBARDI, José Claudinei; CASIMIRO, Ana Palmira Bittencourt Santos; MAGALHÃES, Lívia Diana Rocha (Orgs.). História, cultura e educação. São Paulo: Autores Associados, 2006.

PANOFSKY, Erwin. Significado nas artes visuais. São Paulo: Perspectiva, 1991.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História & história cultural. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

RIBEIRO, José da Silva. Métodos e técnicas de investigação em Antropologia. Lisboa: Universidade Aberta, 2003.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. Campinas: Papirus, 1994.

THOMPSON, Edward Palmer. A formação da classe operária inglesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

TRIVIÑOS, Augusto N. Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 2006.

VAINFAS, Ronaldo. História das mentalidades e história cultura. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. (Orgs.). Domínios da história: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997, p.127-162.

VIÑAO FRAGO, Antonio. História da educação e história cultural: possibilidades, problemas e questões. Revista Brasileira de Educação, 0, p. 63-82, 1995.

Publicado
2015-07-21
Como Citar
Vieira, A. M. D. P. (2015). A história cultural e as fontes de pesquisa. Revista HISTEDBR On-Line, 15(61), 367-378. https://doi.org/10.20396/rho.v15i61.8640533
Seção
Artigos