O trabalho didático na obra de Calkins: a alfabetização segundo o método intuitivo

  • Enilda Fernandes Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Trabalho didático. Alfabetização. Métodos e conteúdos

Resumo

O presente artigo analisa o manual Primeiras Lições de Coisas, de autoria do norte-americano Norman Alisson Calkins, na versão modificada em 1870, traduzida por Rui Barbosa de Oliveira em 1881, e publicada no Brasil em 1886. Buscou-se enfocar o método e os conteúdos de alfabetização nesse manual, como foram articulados e as funções que lhe foram atribuídas. Para subsidiar o estudo, tomou-se a categoria organização do trabalho didático, formulada por Alves (2005), sendo a análise baseada no referencial metodológico marxista, situada a investigação no âmbito histórico. Assim, no exame do método e conteúdo desse manual, considerou-se importante captar os pontos essenciais característicos de inovação na organização do trabalho didático, em fins do século XIX e início do século XX, durante a transição do Império para a República. No decurso da investigação, caracterizou-se o fim utilitário que o livro em análise conferiu à alfabetização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Enilda Fernandes, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Professora titular da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Referências

ALVES, G. L. A produção da escola pública contemporânea. Campo Grande/MS: ed. UFMS: Campinas, SP: Autores Associados, 2001. 288p.

ALVES, G. L. O Trabalho didático na escola moderna: formas históricas. Campinas, SP: autores Associados, 2005. (Coleção Educação contemporânea).

ARCE, A. A pedagogia na “era das revoluções”: uma análise do pensamento de Pestalozzi e Froebel. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

BACON, F. Novum Organum. São Paulo: Editora Nova Cultural Ltda., 1999.

BARBOSA, R. Reforma do ensino primário e várias instituições complementares da instrução pública. Obras Completas de Rui Barbosa, Ministério da Educação e Saúde. Rio de Janeiro, 1946,Vol. X T. II

BUISSON, F. Documento. Conférence sur l’enseignement intuitif par Ferdiand Buisson (31 de agosto de 1878). Trad. Maria Helena Camara Bastos. Hist. Educ. (Online) Porto Alegre, v. 17, n. 39, jan/abr. 2013, p. 231-253.

CALKINS, N. A. Primeiras Lições de Coisas: manual de ensino elementar para uso dos pais e professores. Trad. Rui Barbosa, Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1886. 613p.

COMÉNIO, J. A. A escola da Infância. Trad. Wojciech Andrzej Kulesza. São Paulo: Ed. UNESP, 2011. 120p. (Clássico).

COMÉNIO, J. A. Didáctica Magna. Trad. e Notas Joaquim Ferreira Gomes. 3a edição. Fundação Calouste Gulbenkian, 1957.

COMPAYRÉ. J. G. Cours de Pédagogie: théorique et pratique. Vingt-deuxieme édition. Paris. [191-?].

DESCARTES, R. O discurso sobre o método. Trad. Paulo M. de Oliveira. 1a Ed. Bauru, SP: EDIPRO, 1996.

EBY, F. História da Educação moderna: teoria, organização e práticas educacionais (séc. XVI-séc. XX). Trad. Maria Ângela Vinagre de Almeida; Nelly Aleotti, 1970.

GRAMSCI, A. 1978. Concepção Dialética da História. 3a edição, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

HOFF, S. A história da organização do trabalho didático: a palavra e a coisa. In: Brito, S. H. A. de. [et al] (Orgs.) A Organização do Trabalho Didático na História da Educação. Campinas: SP: Autores Associados: HSTEDBR, 2010.

HOFF, S. A história da organização do trabalho didático: a palavra e a coisa. In: Brito, S. H. A. de. [et al] (Orgs.) A Organização do Trabalho Didático na História da Educação. Campinas: SP: Autores Associados: HSTEDBR, 2010.

Lukács, G. A teoria do romance: um ensaio histórico-filosófico sobre as formas da grande épica. São Paulo: Duas Cidades, Ed. 34, 2000. 240p.

LUTERO, M. Obras selecionadas: ética: fundamentos – oração – sexualidade – educação – economia, v. 5 2. Ed. Atual. São Leopoldo: Sinodal; Porto Alegre: Concórdia, 2011.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Livro Primeiro. O Processo de Produção do Capital, 12a edição, Volume I, Bertrand Editora Brasil S.A. 1988.

MARX, K; ENGELS, F. A Ideologia Alemã (Feuerbach). 8a edição. Editora HUCITEC, 1991.

NETTO, J. P. Introdução ao Estudo do Método de Marx. 1. Ed. São Paulo: Expressão Popular, 2011. 64p.

RATKE, W. Escritos sobre A Nova Arte de Ensinar de Wolfgang Ratke (1571-1635): textos escolhidos. Apresentação, tradução e notas Sandino Hoff. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. 18 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2009.

SAVIANI, D. Trabalho didático e história da educação: enfoque histórico-pedagógico. In: Brito, S. H. [et. al] (Org) a organização do trabalho didático na história da educação. Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR, 2010.

SCHELBAEUR, A. R. Orbis Sensualium Pictus: das lições ilustradas de Comenius no século XVII às lições de coisas da escola primária no século XIX. In: Brito, S. H. [et. al] (Org) a organização do trabalho didático na história da educação. Campinas, SP: Autores Associados: HISTEDBR, 2010. (Coleção Memória Educação).

SOUZA, A. A. A. de. Porque ler os clássicos. In: GOMES, N. S. e ABRÃO, D. (Org.) Pesquisa em Letras: questões de língua e literatura, Curitiba: APPRIS, 2012.

SOUZA, A. A. A. de. Manuais didáticos de ensino de língua e literatura na modernidade: gênese e desenvolvimento histórico. Revista HISTEDBR Online, Campinas, número especial, Mai, 2010. p. 6-19.

TAURO. S. Gabriel Compayré (1843-1913) De la Revista Pedagógica de Milán, eenro 1914.

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e Linguagem. 3a edição brasileira, Martins Fontes, 1991.

Publicado
2015-04-19
Como Citar
Fernandes, E. (2015). O trabalho didático na obra de Calkins: a alfabetização segundo o método intuitivo. Revista HISTEDBR On-Line, 14(60), 38-61. https://doi.org/10.20396/rho.v14i60.8640547
Seção
Dossiê